Adelomelon beckii

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaAdelomelon beckii
Vista inferior (esquerda) e superior (direita) de uma concha do molusco Volutidae A. beckii, coletada a uma profundidade de 140 metros em Mar del Plata, Argentina.
Vista inferior (esquerda) e superior (direita) de uma concha do molusco Volutidae A. beckii, coletada a uma profundidade de 140 metros em Mar del Plata, Argentina.
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Mollusca
Classe: Gastropoda
Subclasse: Caenogastropoda
Ordem: Neogastropoda
Superfamília: Volutoidea
Família: Volutidae
Subfamília: Cymbiinae
Tribo: Adelomelonini
Género: Adelomelon
Dall, 1906[1]
Espécie: A. beckii
Nome binomial
Adelomelon beckii
(Broderip, 1836)[1]
Sinónimos
Voluta beckii Broderip, 1836
Voluta fusiformis Kiener, 1839
Voluta festiva d'Orbigny, 1841
Adelomelon indigestus Ihering, 1908[1][2]

Adelomelon beckii (nomeada, em inglês, Beck's volute)[3] é uma espécie de molusco gastrópode marinho pertencente à família Volutidae. Foi classificada por William Broderip, em 1836[1], com seu tipo nomenclatural coletado a sete milhas da ilha Rasa, Rio de Janeiro.[2] Sua distribuição geográfica abrange o sudoeste do oceano Atlântico, entre sul do Espírito Santo, no sudeste do Brasil, até a Terra do Fogo, na Argentina.[3][4] Este caramujo é o maior Volutidae do Atlântico Ocidental e um dos maiores gastrópodes marinhos do mundo[5], cuja concha atinge de 35[3] até 49.2[4] centímetros de comprimento.

Descrição da concha e hábitos[editar | editar código-fonte]

Concha com até 7 voltas, bastante convexas, com superfície laranja-avermelhada e dotada de linhas em zigue-zague castanhas em sua espiral inicial, esculpida com nódulos angulosos que raramente chegam à sua volta final; que apresenta abertura ampla, dotada de lábio externo fino, semi-circular, e columela com três pregas oblíquas. Sua protoconcha é mamiliforme, possuindo uma espora ou projeção pontiaguda no início da espiral, denominada calcarella.[2][4][6]

É encontrada em águas moderadamente profundas, entre 40 e 75 metros, em fundos lodo-arenosos.[4] Devido a suas dimensões, esta espécie é coletada para ser vendida como enfeite ou para a atividade de colecionismo.[5]

Referências

  1. a b c d «Adelomelon beckii» (em inglês). World Register of Marine Species. 1 páginas. Consultado em 30 de outubro de 2018 
  2. a b c Wiggers, F.; Veitenheimer-Mendes, I. L. (novembro de 2008). «Taxonomic review of the genus Adelomelon (Gastropoda; Volutidae), based on type material» (em inglês). Brazilian Journal of Biology. vol.68 no.4. (SciELO). 1 páginas. Consultado em 30 de outubro de 2018 
  3. a b c d ABBOTT, R. Tucker; DANCE, S. Peter (1982). Compendium of Seashells. A color Guide to More than 4.200 of the World's Marine Shells (em inglês). New York: E. P. Dutton. p. 218. 412 páginas. ISBN 0-525-93269-0 
  4. a b c d RIOS, Eliézer (1994). Seashells of Brazil (em inglês) 2ª ed. Rio Grande, RS. Brazil: FURG. p. 136. 492 páginas. ISBN 85-85042-36-2 
  5. a b Carranza, Alvar; Martínez, Gastón; Arim, Matias (2017). «An endangered gigant marine gastropod : Adelomelon beckii (Broderip, 1836) in Uruguayan waters» (PDF) (em inglês). Pan-American Journal of Aquatic Sciences, 12(2). (PanamJAS). pp. 117–122. Consultado em 30 de outubro de 2018 
  6. «Adelomelon beckii (Broderip, 1836)». Conquiliologistas do Brasil: CdB. 1 páginas. Consultado em 30 de outubro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre gastrópodes, integrado no Projeto Invertebrados é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.