Adesão da Macedônia do Norte à Organização do Tratado do Atlântico Norte

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Macedônia do Norte (em laranja) e restantes membros da OTAN (em verde).

A adesão da Macedônia do Norte à Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN) foi concluída em 27 de março de 2020.[1]

Processo de adesão[editar | editar código-fonte]

O convite da OTAN para a Macedônia do Norte foi bloqueado pela Grécia na cúpula de Bucareste em 2008. As nações da OTAN concordaram que o país receberia um convite após a resolução da disputa sobre o nome da Macedônia.[2] A Grécia considera que o nome constitucional do seu vizinho implica aspirações territoriais contra a sua própria região da Macedônia. Depois do veto, a Grécia foi processada na Corte Internacional de Justiça defendendo o uso da denominação "Antiga República Iugoslava da Macedônia" como uma opção aceitável para entrar na OTAN, enquanto a Grécia argumenta que foi uma decisão coletiva da OTAN de não convidar a Macedônia e, portanto, o acordo provisório assinado entre os dois países não foi violado. A Grécia também pode bloquear a adesão da Macedônia do Norte à União Europeia pela disputa do nome.[3] A ex-secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, pediu à República da Macedônia e à Grécia que encontrem uma "solução aceitável" para a disputa, para que a República da Macedônia esteja livre para se juntar à OTAN.[4] Em 2014, antes do seu 65º aniversário desde a sua criação, a OTAN anunciou que não ofereceria qualquer nova adesão de países à organização naquele ano. Alguns analistas, como Jorge Benitez, do think tank do Atlantic Council, argumentaram que essa relutância se deveu em parte ao novo clima de segurança após a anexação da Crimeia pela Rússia.[5]

Após um acordo em junho de 2018 para renomear o país para "República da Macedônia do Norte", a OTAN considerou a possibilidade de estender um convite ao país para participar de sua cúpula nos dias 11 e 12 de julho.[6] Em 11 de julho de 2018, a OTAN convidou a República da Macedônia para iniciar as conversações sobre a adesão, dizendo que o país poderia se juntar à organização uma vez que a questão do nome fosse resolvida.[7][8][9]

A adesão foi concluída em 27 de março de 2020,[1] após a ratificação pelos restantes 29 membros.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b NATO - News (27 de março de 2020). «North Macedonia joins NATO as 30th Ally». 27-3-2020. Consultado em 27 de março de 2020 
  2. Lungescu, Oana (2 de abril de 2008). «Nato Macedonia veto stokes tension». BBC News. Consultado em 7 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 8 de abril de 2008 
  3. Marusic, Sinisa-Jakov (25 de março de 2009). «Macedonia 'Respects' Greece's Identity». Balkin Insight. Consultado em 7 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 27 de março de 2009 
  4. http://www.setimes.com/cocoon/setimes/xhtml/en_GB/features/setimes/roundup/2009/04/28/roundup-dd-03
  5. «NATO rules out admitting new members anytime soon». Fox news. Consultado em 7 de agosto de 2018 
  6. «The invitation to Macedonia for NATO membership was listed on the agenda for the July summit». 20 de junho de 2018. Consultado em 20 de junho de 2018 
  7. «NATO's relations with the former Yugoslav Republic of Macedonia». OTAN. 26 de maio de 2008. Consultado em 7 de agosto de 2018. Cópia arquivada em 11 de setembro de 2008 
  8. «Otan convida Macedônia para iniciar negociações de adesão». EXAME. 11 de julho de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2018 
  9. «Otan convida Macedônia para negociar adesão». em.com.br. 11 de julho de 2018. Consultado em 7 de agosto de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]