Adriana (cantora brasileira)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde dezembro de 2014).
Por favor, adicione mais referências inserindo-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Disambig grey.svg Nota: Para outras Adrianas, veja Adriana.
Adriana
Informação geral
Nome completo Adriana Rosa dos Santos
Também conhecido(a) como Rainha Hippie
Nascimento 03/02/1953
Origem Rio de Janeiro, RJ
País  Brasil
Gênero(s) MPB
Instrumento(s) Voz
Período em atividade (1966-Atualmente)
Outras ocupações Compositora
Afiliação(ões) Jovem Guarda

Adriana Rosa dos Santos, mais conhecida simplesmente como Adriana (Rio de Janeiro, 03 de Fevereiro de 1953), é uma cantora e compositora brasileira, considerada uma das mais belas vozes nacionais.[1] [2] A Composição da música "O QUE ME IMPORTA", é atribuuda à José de Ribamar Cury Hélio, no ano de 1970.

Biografia e Carreira[editar | editar código-fonte]

Filha da vedete de teatro de revista Maria Helena, Adriana começou a carreira aos treze anos de idade, cantando em apresentações de matinês, mesmo contra a vontade da mãe, que não queria que ela seguisse carreira artística. Começou a se inscrever em concursos de rádio, passou no teste, tornando -se cantora de rádio. Em pouco tempo, foi descoberta por produtores musicais, devido ao sucesso que fazia cantando nestes eventos e passou a ser chamada para se apresentar na TV. A jovem extremamente tímida pensou em recusar a fama e obedecer a mãe, mas voltou atrás e decidiu seguir seu sonho, convencida pelos produtores a não desperdiçar sua potência vocal.[3]

Seu sucesso veio em 1969, logo ao gravar seu primeiro disco. A música foi "Vesti Azul", que ela regravou, sendo original na voz de Wilson Simonal. Seu disco bateu recorde de vendas, com 380 mil cópias vendidas. Como ainda era adolescente, só podia se apresentar de tarde nos programas do Chacrinha ou Flávio Cavalcante. Seu carisma com o público lhe rendeu a alcunha de "Rainha Hippie".[4]

Com a carreira consolidada, foi capa da revista O Cruzeiro em 1973. Como seus discos não paravam de vender, foi contratada nesta época pela gravadora Odeon, onde iniciou sua carreira com trilhas musicais românticas. Seu grande sucesso na gravadora foi a canção "O que me importa", que ela compôs, tendo sido regravada por Tim Maia e Marisa Monte.[5]

Em 1978 foi premiada como a melhor cantora e compositora do ano, pela música "O Cara", na qual venceu o festival de música Mar del Plata, na Argentina.[6]

Emplacou diversos hits de sucesso nacional e internacional. Fez muito sucesso com canções de sua autoria, como "I love you baby" e "Combinado Assim", de 1986, que foram temas de novelas.[7]

Até hoje afirma ser muito tímida, tem vergonha de dar entrevistas e aparecer na TV, e que sempre fica nervosa ao subir em um palco.[8]

Seu último CD foi uma coletânea de seus 14 maiores sucessos. Fazendo shows até hoje, ainda canta repertórios antigos, muito pedidos, e também atuais.[9]

Vida Pessoal[editar | editar código-fonte]

Casada há mais de vinte anos com o biólogo marinho, produtor, compositor e músico Márcio Monteiro, que conheceu nos palcos, o casal possui filhas gêmeas idênticas, chamadas Tuanny e Natanna. Assim como O casal, as filhas seguiram carreira artística. Enquanto se apresenta cantando, seu marido toca guitarra, e suas filhas atuam como backing vocals.[10]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • 1967 - Anjo Azul/La-La-La
  • 1968 - Viu/Deixa Pra Lá
  • 1969 - Volta Pra Mim/Era de Manhã
  • 1970 - Anjo Azul (EP)
  • 1970 - Adriana (1970)
  • 1970 - Justo Nesta Noite/Quero Ver Você Longe de Mim
  • 1970 - A Juventude
  • 1970 - Só Sucessos, Vol. 7
  • 1971 - O Problema é Seu/Henry/Eu Não Devia/Ligue a Televisão
  • 1971 - Deixe Estar Como Está/Que Bom Que Existe Amor
  • 1971 - Mamãe, Cê Viu?/Sigo O Caminho/Deixe Estar Como Está/O Que Me Importa
  • 1972 - O Que Me Importa/Mamãe, Cê Viu?
  • 1972 - Você Nem Viu/Sinto Muito
  • 1973 - Deixem-Me Viver/Aposto
  • 1973 - Dia D/Velho Abrigo
  • 1974 - Goodbye My Love/Última Resposta
  • 1975 - Ganhar e Perder/Serrote
  • 1978 - O Amor Que Existe em Mim/Você Não Era Assim
  • 1978 - Adriana (1978)
  • 1978 - O Amor Que Existe em Mim/Todo Mistério/As Flores do Jardim da Nossa Casa/Sei Lá, Amor
  • 1979 - Falsa Maquiagem/Doce Mentira
  • 1980 - Sem Querer Dizer Adeus/Eu Preciso Te Amar/Que Falta Faz Você/Ainda Te Amo
  • 1981 - O Amor Tem Dessas Coisas/A Vida é Passageira/O Cara/O Amor Que Existe em Mim
  • 1986 - Adriana (1986)
  • 1988 - Dom de Amar
  • 1990 - Haja Coração
  • 1996 - Simplesmente Por Você
  • 1999 - A Discoteca do Chacrinha
  • 2000 - Santa Edwiges, Rogai Por Nós!
  • 2001 - Acústico Brasil

Referências

  1. «Adriana». Cantoras do Brasil. Consultado em 29 de dezembro de 2014 
  2. [[1]]
  3. [[2]]
  4. [[3]]
  5. [[4]]
  6. [[5]]
  7. [[6]]
  8. [[7]]
  9. [[8]]
  10. [[9]]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]