Adriano de Souza

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde dezembro de 2011). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Adriano de Souza Surfista
Dados Pessoais
Apelido Mineirinho
Nacionalidade  brasileiro
Nascimento 13 de fevereiro de 1987 (28 anos)
Guarujá, São Paulo
 Brasil
Residência atual Florianópolis, Santa Catarina[1]
Altura 1,67 cm
Peso 65 kg
Posição Regular
Patrocinador (es) HD, Oakley, Red Bull, Mitsubishi, FCS,
Carreira profissional
Período em atividade 2002-presente (13 anos)
Títulos Campeão Mundial 2015 tour WSL,

Campeão Etapa do Havaí do WCT de 2015, Campeão Etapa de Margaret River de 2015, Campeão Etapa de Bells Beach de 2013, Campeão Etapa de Portugal de 2011, Campeão Etapa do Rio de Janeiro de 2011, Campeão Etapa de Mundaka de 2009,

[2] Campeão da divisão de acesso - WQS (2005),

Campeão do Mundial de Juniores na Austrália em (2004)

Adriano de Souza, mais conhecido como Mineirinho (Guarujá, 13 de fevereiro de 1987), é um surfista profissional brasileiro. Em 2015, foi campeão mundial de surfe no World Surf League (WSL), sendo o segundo brasileiro da História a se tornar campeão do mundo [3] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

Em 2002, aos 15 anos, Adriano tornou-se o mais jovem campeão de uma competição profissional, vencendo uma etapa do SuperSurf, do Circuito Brasileiro. Em 2004 conquistou o Mundial Júnior na Austrália e em 2005 foi o recordista de pontos no WQS,[4] que o credenciou para a elite do esporte.

Em 2011, venceu a terceira etapa da ASP World Tour na Praia da Barra da Tijuca na cidade do Rio de Janeiro, tornando-se o primeiro surfista brasileiro a liderar o ranking mundial do esporte.[5] Mais tarde, ainda em 2011, ele vence pela sua segunda vez, a etapa do WCT em Peniche, Portugal, numa final emocionante contra o até então deca-campeão Kelly Slater.[6] Em 2013, vence a segunda etapa WCT do ano, o Rip Curl Pro Bell's Beach na Austrália, a mais antiga e tradicional etapa do mundial. [7] Em 2015, vence a terceira etapa do WCT, o Drug Aware Margaret River na Austrália. Na última etapa de 2015, em Pipeline, além de ser o primeiro brasileiro a conquistar a etapa, chegou ao inédito título mundial, vencendo na semifinal o havaiano Mason Ho. Na final, enfrentou o também brasileiro Gabriel Medina (campeão em 2014) e venceu o compatriota, conquistando a etapa final do ano. Esta foi a primeira vez que dois brasileiros disputaram a final da etapa de Pipeline do Circuito Mundial de Surfe [8] .

Histórico Profissional[editar | editar código-fonte]

  • Ganho na carreira: US$ 1.528.100,00 em prêmios
  • Melhor resultado: Campeão em 2015
  • Ingresso na Elite: 2006
  • Ranking por ano:
2015: campeão mundial
2015: primeiro brasileiro campeão em Pipeline
2014: oitavo
2013: décimo terceiro
2012: quinto
2011: quinto
2010: décimo
2009: quinto
2008: sétimo
2007: vigésimo oitavo
2006: vigésimo
  • Vitórias no Circuito de Elite:
- Billabong Pipe Masters (2015)
- Drug Aware Margaret River Pro (2015)
- Rip Curl Pro Bells Beach (2013)
- Rip Curl Pro Portugal (2011)
- Billabong Rio Pro (2011)
- Billabong Pro Mundaka (2009)

Fatos Históricos[editar | editar código-fonte]

  • Foi o surfista que mais ganhou de Kelly Slater em baterias, vencendo-o em 11 das 15 que se enfrentaram.
  • Foi o primeiro surfista brasileiro da história a ficar em 1° lugar no WCT, fato ocorrido em 2011 quando venceu a terceira etapa do mundial na Barra da Tijuca
  • Foi o primeiro surfista brasileiro campeão em Pipeline

Referências

Brazilian storm 2015.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Surfe é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.