Aeromóvel de Canoas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Marcador do evento atual
Este artigo ou seção contém informações sobre eventos futuros.
É provável que contenha informações de natureza especulativa, e seu conteúdo pode mudar drasticamente.
Editor: considere marcar com um aviso mais específico.
Aeromóvel que opera no Aeroporto Internacional Salgado Filho, que servirá de modelo para o sistema em Canoas.

O Aeromóvel de Canoas será um meio de transporte urbano de média capacidade que irá operar no município de Canoas, no Rio Grande do Sul.[1] Será um dos primeiros sistemas de metropolitanos a ser operado por Aeromóvel.

De acordo com o prefeito de Canoas, Luiz Carlos Busato, a concessão do sistema deverá ser licitada até o final de 2017. A empresa vencedora será responsável pela construção de três linhas previstas no projeto do sistema, além de assumir os custos do que já foi feito anteriormente: a remoção da rede elétrica e das adutoras da Avenida Boqueirão e a aquisição de trilhões, ventiladores e vagões. O edital de licitação, em elaboração, também prevê a concessão do serviço de transporte de passageiros feito pelas linhas de ônibus da cidade.[2]

Projeto[editar | editar código-fonte]

O projeto inicial prevê que o sistema terá 3 linhas elevadas que totalizarão 15 km. A linha 1 terá 4,9 km e será composta por 9 estações. Se estenderá da Estação Mathias Velho até o Brigada Militar que fica na Avenida 17 de abril, no bairro de Guajuviras.[3] Deverá ser operada por 6 veículos com capacidade para 300 passageiros cada. Será a primeira linha a ser construída, com previsão de início de obras em abril de 2016.

Ainda há outras duas linhas em projeto. A linha 2 se estenderá da Estação Mathias Velho até próximo à Escola Estadual Tereza Francescutti, enquanto a que linha 3 se estenderá da Avenida Boqueirão até a Praça do Avião.

Material rodante[editar | editar código-fonte]

No dia 30 de novembro de 2015 foi assinado o contrato de fornecimento de veículos para o sistema. A Marcopolo, fabricante de carrocerias de ônibus sediada em Caxias do Sul, ficará encarregada de fornecer a carroceria de seis veículos que irão operar na Linha 1.[4]

Inspiração[editar | editar código-fonte]

O projeto do sistema pode servir de inspiração para outros sistemas no Brasil. O Secretário de Transportes e Mobilidade de São Paulo, Jilmar Tatto, afirmou que o Aeromóvel é uma solução viável para o transporte coletivo urbano já saturado de São Paulo.[5]

O prefeito de Canoas, Jairo Jorge, também apontou que a experiência do Aeromóvel em Canoas pode fazer da cidade um modelo sustentável de rede de transporte para o mundo.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Drummond, Carlos (15 de julho de 2015). «A energia no ar». CartaCapital. Consultado em 20 de setembro de 2015 
  2. Souza, Tamires (8 de setembro de 2017). «Aeromóvel será licitado no fim do ano». Diário de Canoas. Consultado em 15 de novembro de 2017 
  3. Roese, Luiz (19 de junho de 2015). «Placa simboliza implantação do aeromóvel de Canoas». Prefeitura Municipal de Canoas. Consultado em 20 de setembro de 2015 
  4. «Marcopolo vai fornecer Aeromóvel para Canoas». ANPTrilhos. 30 de novembro de 2015. Consultado em 16 de dezembro de 2015 
  5. Rosa, Eloá (6 de julho de 2015). «Secretário de São Paulo conhece o projeto do aeromóvel de Canoas». Prefeitura Municipal de Canoas. Consultado em 20 de setembro de 2015 
  6. Roese, Luiz (2 de junho de 2015). «Aeromóvel: assinada Ordem de Início para linha Guajuviras». Prefeitura Municipal de Canoas. Consultado em 20 de setembro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]