Aeroporto Humberto Delgado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2015). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Aeroporto Humberto Delgado
Aeroporto
Aeroporto da Portela
ANA Aeroportos de Portugal Logo.svg
IATA: HDL/LIS - ICAO: LPPT
Características
Tipo Público / Militar
Administração ANA Aeroportos de Portugal
Serve Região de Lisboa
Localização Portugal Olivais, Lisboa
Inauguração 1940 (79 anos)
Coordenadas 38° 46' 46" N 9° 08' 10" O
Altitude 114 m (374 ft)
Movimento de 2018
Passageiros 29 031 000 passageiros
Aéreo 213 700 movimentos
Capacidade anual 25 000 000 passageiros[1]
Website oficial Página oficial
Mapa
LPPT está localizado em: Portugal Continental
LPPT
Localização do aeroporto em Portugal continental
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
03 / 21 3 800  m (12 467 ft) Asfalto
17 / 35 2 510  m (8 235 ft) Asfalto

Fotografia aérea da pista do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa.

O Aeroporto Humberto Delgado, também chamado Aeroporto de Lisboa ou Aeroporto da Portela, (código IATA: HDL/LIS, código ICAO: LPPT) situa-se maioritariamente na freguesia dos Olivais,[2] em Lisboa, Portugal. É o maior aeroporto português em número de passageiros, sendo também o que regista maior volume de tráfego. Foi aberto ao tráfego em 15 de outubro de 1942.

É servido, desde 1962, por duas pistas, a 03/21, com 3805 m de comprimento, e a 17/35, com 2400 m de comprimento, ambas asfaltadas e com 45 m de largura. Dispõe de dois terminais civis (T1 e T2) e ainda de um terminal militar, conhecido como Aeroporto de Figo Maduro.

Serve de base para a companhia aérea de bandeira portuguesa, a TAP Air Portugal, e é administrado pela companhia ANA Aeroportos de Portugal.

Em 15 de maio de 2016 o Aeroporto de Lisboa adquiriu a denominação oficial de Aeroporto Humberto Delgado.[3]

Este é o principal hub europeu para o Brasil, funcionando como o maior hub da Star Alliance para a América do Sul. É, igualmente, um dos mais importantes hubs europeus para o continente africano.

Número passageiros:

  • 1990- 5 282 000;
  • 1991- 5 307 000;
  • 1992- 5 594 000;
  • 1993- 5 647 000;
  • 1994- 5 950 000;
  • 1995- 6 243 000;
  • 1996- 6 381 000;
  • 1997- 6 817 000;
  • 1998- 6 726 000;
  • 1999- 8 667 000;
  • 2000- 9 422 000.
  • 2017- 26 670 000
  • Fonte:INE/PORDATA.

Movimento[editar | editar código-fonte]

Em grafico[editar | editar código-fonte]

Ver a consulta original do Wikidata.

Na tabela[editar | editar código-fonte]

Ano Passageiros
2001 9 357 000
2002 9 369 000
2003 9 637 000
2004 10 705 000
2005 11 235 000
2006 12 314 000
2007 13 392 000
2008 13 604 000
2009 13 261 000
2010 14 067 000
2011 14 790 000[4]
2012 15 301 000
2013 16 009 000
2014 18 142 000[5]
2015 20 088 000
2016 22 449 000
2017 26 670 000

História[editar | editar código-fonte]

A sede da TAP Air Portugal, Edifício 25
Descolagem do Aeroporto Humberto Delgado, no sentido sudoeste, num voo da TAP

Até à inauguração do Aeroporto Humberto Delgado (então Aeroporto da Portela), Lisboa era servida por um aeroporto primitivo denominado Campo Internacional de Aterragem situado em Alverca, que entrou em funcionamento em 1919 e foi desactivado em 1940.

Na década de 1930 os voos transatlânticos entre a Europa e a América eram feitos em hidroaviões por motivos de segurança. Só depois de atravessarem o Atlântico os passageiros mudavam para aviões com base terrestre que os levavam ao seu destino final.

Sendo Lisboa a capital mais ocidental da Europa, a cidade era o terminal ideal do lado europeu dessas ligações transatlânticas. Por essa razão, o Governo Português entendeu transformar Lisboa numa grande plataforma aérea para voos internacionais. Para isso foram projectados dois aeroportos para Lisboa: um marítimo, para hidroaviões, e outro terrestre, para aviões convencionais. Outra razão para a construção destas infra-estruturas era o facto de ir ser realizada em 1940 a grande Exposição do Mundo Português que se previa ir atrair a Lisboa muitos voos com turistas estrangeiros (isso acabou por não acontecer devido ao início da 2.ª Guerra Mundial).

Em 1938 iniciaram-se as obras dos dois aeroportos, que foram concluídas em 1940. Como aeroporto terrestre construiu-se o Aeroporto da Portela, em homenagem à Quinta da Portela que existia nos terrenos onde foi construído,[6] e como aeroporto marítimo, construiu-se o Aeroporto de Cabo Ruivo, à beira do Rio Tejo e a cerca de 3 km do primeiro. Para uma ligação rápida por automóvel entre os dois aeroportos construiu-se uma via rodoviária denominada Avenida Entre-os-Aeroportos (actual Avenida de Berlim).

O sistema de voos transatlânticos funcionava com os hidroaviões vindos da América, amarando no Rio Tejo e desembarcando os seus passageiros em Cabo Ruivo. Daí, eram transportados por automóvel até à Portela. No Aeroporto da Portela eram distribuídos pelos diversos aviões que os iam levar aos diferentes destinos na Europa. Os passageiros que iam da Europa para a América faziam o percurso inverso.

O Aeroporto de Cabo Ruivo, que se localizava onde é hoje a Doca dos Olivais no Parque das Nações, foi desactivado com o fim completo dos voos regulares de passageiros por hidroavião, no final dos anos 1950. Desde essa altura manteve-se apenas o Aeroporto da Portela.

Airbus A321NEO da Portuguesa TAP Air Portugal, No Aeroporto Humberto Delgado\Lisboa

A 1 de agosto de 2007 foi aberto ao público o novo terminal 2, apenas para partidas de voos domésticos.

O aeroporto está presente nas seguintes freguesias:

  • Entrada principal: Olivais
  • Complexo de Carga: Lumiar
  • ANA Museu: Olivais
  • Hangar TAP: Olivais
  • Outros serviços: Olivais / Sacavém e Prior Velho
  • Pista 03/21: Pelo extremo sul inicia-se nos limites das freguesias de Alvalade e Lumiar, segue pela freguesia dos Olivais, passa por Santa Clara e, atravessando Camarate, Unhos e Apelação, vai terminar com o seu perímetro de segurança no limite da união das freguesias de Sacavém e Prior Velho. Tem cerca de 4 km de comprimento e é a única dotada com ILS (CAT III).
  • Pista 17/35: Pelo extremo sul inicia-se nos limites da freguesia de Alvalade, segue pela freguesia dos Olivais, indo terminar na freguesia de Santa Clara. Tem cerca de 2,5 km de comprimento. Nos últimos anos, as pistas 17/35, têm vindo a ser cada vez menos utilizadas, facto justificado, uma vez que qualquer aeronave ao descolar da pista 35/17, terá de usar mais potência logo torna a descolagem menos económica e mais arriscada. Da mesma forma acontece com as aterragens, pois implica uma maior utilização de travões e aumenta a possibilidade de uma "runway excursion". Outro motivo para a fraca utilização destas duas pistas é o facto de qualquer aeronave que esteja estacionada no terminal 1 ou que tenha aterrado na pista 03 necessita, obrigatoriamente, de atravessar a pista 35 para seguir ao seu lugar de estacionamento designado. No entanto, em dias de forte nortada, a pista 35 proporciona aterragens mais seguras que a 03. Serve, excepcionalmente, no seu extremo sul (35), de estacionamento extra em caso sobrecarga da capacidade do aeroporto.

Metropolitano[editar | editar código-fonte]

A estação Aeroporto foi inaugurada a 17 de julho de 2012 e é estação terminal da linha vermelha. A partir de então o aeroporto passou a poder ser ligado por transporte de grande capacidade aos pontos mais importantes da cidade e em apenas poucos minutos. A estação de Metro Aeroporto está ligada ao terminal do aeroporto através de uma galeria subterrânea.

Expansão[editar | editar código-fonte]

No dia 8 de janeiro de 2019 foi assinado o acordo de financiamento da expansão da capacidade aeroportuária de Lisboa. O evento teve lugar na Base Aérea Nº6 do Montijo, a localização proposta para o desenvolvimento de um aeroporto que funcionará de forma integrada com o Aeroporto Humberto Delgado. Lisboa passará a beneficiar de um modelo dual que combina a operação de hub do Aeroporto Humberto Delgado com uma operação ponto a ponto no Aeroporto do Montijo. No mesmo dia, a ANA Aeroportos de Portugal publicou um vídeo com o projeto de expansão: até 2028, o aeroporto terá 89 posições de estacionamento e 72 movimentos por hora (capacidade combinada).


Referências

  1. [1]
  2. Apesar de um dos nomes pelos quais é conhecido provir da freguesia da Portela)
  3. «Lisboa - Aeroporto da Portela muda de nome a 15 de maio - Portugal - DN». DN. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  4. ANA. «Relatório Anual de Estatística de Tráfego» (PDF). Janeiro 2012. Consultado em 27 de Janeiro de 2013. Arquivado do original (PDF) em 26 de maio de 2014 
  5. Aeroportos portugueses entre os que mais cresceram em 2014, Expresso Online, 6 de fevereiro 2015
  6. Teixeira da Silva (4 de abril de 2014). «Aeroporto da Portela». Consultado em 2 de agosto de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aeroporto Humberto Delgado