Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

4 de Fevereiro
Aeroporto
Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro
IATA: LAD - ICAO: FNLU
Características
Tipo Público / Militar
Administração Sociedade Nacional de Gestão de Aeroportos
Serve Luanda
Inauguração 1954 (67 anos)
Coordenadas 8° 051' 030" S 13° 013' 052" E
Altitude 74 m (243 ft)
Movimento de 2009
Passageiros 2,430,794 passageiros
Aéreo 65,843
Website oficial Página oficial
Mapa
FNLU está localizado em: Angola
FNLU
Localização do aeroporto em Angola
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
05 / 23 3 716  m (12 192 ft) Asfalto
07 / 25 2 600  m (8 530 ft) Asfalto
Notas
Fontes de: DAFIF[1][2]
Vista externa do Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro.

O Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro é um aeroporto situado em Luanda, capital de Angola. Seu sítio aeroportuário está no distrito urbano de Maianga, no bairro de Cassequel, circundado também pelos bairros da Cassenda, Bairro Popular, Rocha Pinto e Mártires do Quifangondo.

É o maior aeroporto de Angola e um dos maiores das áfricas Austral e Central, sendo o quatro mais movimentado da África Austral em número de passageiros transportados. No transporte de mercadorias na África Austral, chega a rivalizar com os aeroportos internacionais da Cidade do Cabo e de Oliver Tambo-Joanesburgo.[3]

História[editar | editar código-fonte]

Até a década de 1950 Luanda ainda dependia do Aeródromo Emílio de Carvalho, construído em 1918, localizado no Largo da Independência, na rua Deolinda Rodrigues, região anteriormente designada por Estrada de Catete, a 3 km a sul da cidade.[4]

A portaria nº 11 029/45, de 21 de julho de 1945, cria uma missão técnica para realizar os reconhecimentos e estudos necessários à elaboração do projeto de um novo aeródromo para a cidade de Luanda. Os estudos indicam o local e concluem a necessidade de construir um novo aeroporto em Luanda.[4]

A construção do novo aeroporto de Luanda teve início em 1951 ficando concluída em 1954. Foi inaugurado nesse mesmo ano pelo então Presidente da República Portuguesa, General Craveiro Lopes, que o "batizou" com o seu nome, ficando com o nome de "Aeroporto Presidente Craveiro Lopes".[5]

Durante a Guerra de Independência de Angola o aeroporto dividia-se entre as operações aeroportuárias civis e as militares da Base Aérea N.º 9 da Força Aérea Portuguesa.[4]

Após a independência, em 1976, passou a chamar-se "Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro", em homenagem à data de início da Guerra de Independência de Angola. A cerimónia de renomeação deu-se com uma visita do Presidente da República Agostinho Neto.[4]

Obras de requalificação[editar | editar código-fonte]

A partir do final da Guerra Civil Angolana, em 2002, o aeroporto recebeu muitas obras de reabilitação e ampliação, que permitiram a remodelação do terminal de passageiros e a construção de um novo parque de estacionamento de viaturas. Segundo o então ministro angolano dos Transportes, Augusto Tomás,[6] as obras visaram aumentar o número de salas de embarque, balcões, tapetes para recolha de bagagens, a capacidade de atendimento de passageiros de 400 para 1000 por hora. Na lista de melhorias estão ainda o arranjo da zona de saída de aeronaves, a construção de pistas de rodagens (C, C1 e C2), bem como a de rodagem paralela ligando a C1 à C2 do espaço aeroportuário. Por fim, as obras aumentaram a capacidade de um 1,2 milhão de passageiros por ano, para 3,6 milhões, num investimento cerca de 74 milhões de dólares americanos.[7]

Entretanto, como o atual aeroporto está já completamente integrado na zona urbana, impossibilitando a sua expansão, as autoridades angolanas estão a desenvolver estudos com vista à construção de novo Aeroporto Internacional de Bom Jesus do Cuanza, no município de Ícolo e Bengo, a 40 km de Luanda.[8]

Acidentes e incidentes[editar | editar código-fonte]

Em 12 de fevereiro de 2000, um avião de carga Boeing 727 da Transafrik International despenhou-se na aterragem na pista 23. Devido a ventos que sopravam entre os 50 e os 80 nós, a aeronave, que já tinha feito uma primeira aproximação falhada, acabou por tocar o solo com a asa direita logo após a aterragem.

Em 25 de maio de 2003, um Boeing 727-223 com a matrícula N844AA, que estava parqueado no aeroporto há mais de um ano, desapareceu em circunstâncias misteriosas.[9]

Infraestruturas de controle[editar | editar código-fonte]

Anexo ao aeroporto está o Centro de Controle Regional de Luanda, que serve como centro de controle de tráfego aéreo para o centro-norte do país, sob responsabilidade da Empresa Nacional de Navegação Aérea.[10]

Referências

  1. Informações para o aeroporto FNLU no World Aero Data. Visitada em 9 de dezembro de 2016.
  2. Informações para o aeroporto LAD no Great Circle Mapper. Visitada em 9 de dezembro de 2016.
  3. «World Airport Traffic Report: 2009» (PDF). Airports Council International. 2010. p. 37-73. Cópia arquivada (PDF) em 11 de agosto de 2016 
  4. a b c d Silva, Sandra Marisa Veiga. O desenvolvimento das infraestruturas aeroportuárias em Angola : o caso do Aeroporto “4 de fevereiro", em Luanda. Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, Escola de Ciências Económicas e das Organizações, Departamento de Aeronáutica e Transportes, 2013.
  5. Relatório das Actividades do Serviços do Aeroporto Craveiro Lopes, 1963; ENANA, 2013
  6. Aeroporto 4 de Fevereiro aguarda modernização[ligação inativa]
  7. «Obras de restauro do Aeroporto 4 de Fevereiro prosseguem a bom ritmo». ANGOP. 7 de Fevereiro de 2009. Consultado em 5 de julho de 2018 
  8. «Novo aeroporto internacional de Luanda será no Bom Jesus - ANGONOTÍCIAS». ANGONOTÍCIAS. Consultado em 5 de julho de 2018 
  9. «Plane disappears after mystery take-off». ABC News (em inglês). 29 de maio de 2003 
  10. Contactos Enna. 2021.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro