Aeroporto Internacional de Curitiba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Airport symbol comercial.png
Curitiba
Aeroporto Internacional Afonso Pena
IATA: CWB - ICAO: SBCT
Características
Tipo Público
Administração Infraero
Serve Região de Curitiba
Localização Brasil São José dos Pinhais, PR
Inauguração 1945 (71 anos)
Coordenadas 25° 31' 54" S 49° 10' 34" O
Altitude 911 m (2 989 ft)
Movimento de 2015
Passageiros 3 606 713 passageiros
Carga 11 618 439 Kg
Aéreo 35 763 Decolagens
Capacidade anual 15 milhões[1]
Mapa
SBCT está localizado em: Brasil
SBCT
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
15 / 33 2 218 m (7 277 ft) Asfalto
11 / 29 1 798 m (5 899 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[2] e da ANAC[3]

O Aeroporto Internacional Afonso Pena,[4] [5] (IATA: CWBICAO: SBCT) é um aeroporto brasileiro localizado em São José dos Pinhais, na Grande Curitiba, distante 18 km do centro da capital paranaense.[6]

História[editar | editar código-fonte]

O aeroporto foi aberto em 1944 como aeródromo militar na então Colônia Afonso Pena, município de São José dos Pinhais. A iniciativa da construção de um aeródromo foi do Exército dos Estados Unidos e contou com a participação do Ministério da Guerra do Brasil e o objetivo era estratégico, pois, em plena Segunda Guerra Mundial e com o conflito se estendendo por mais tempo, o local serviria para que aviões Aliados "levantassem" desta base para combater no Atlântico Sul a presença de submarinos e embarcações bélicas do Eixo. Outro detalhe para a escolha do local foi que os engenheiros militares americanos escolheram a região devido a formação de espessa névoa, em algumas épocas do ano, o que ajudaria na camuflagem contra qualquer ataque que porventura chegasse a sofrer. Militarmente perfeito na época, hoje, comercialmente, um problema.[7]

Com o fim da guerra, em 1946 o aeroporto começou a ser explorado comercialmente, recebendo fortes benefícios ao seu redor com o advento da Copa do Mundo de 1950. Em 1974 a Infraero assumiu a administração do aeroporto.

Em 1997, em decorrência do grande movimento operacional do Aeroporto do Bacacheri, a Infraero transferiu a aviação regional para o Aeroporto Afonso Pena, para proporcionar mais conforto aos usuários.[8]

O atual nome do aeroporto é uma homenagem ao político mineiro Afonso Augusto Moreira Pena, presidente da república no início do século XX, mas não é uma homenagem direta, pois, local onde foi construído o aeroporto era a antiga Colônia Afonso Pena e em virtude desta denominação, manteve-se a homenagem[9].

Localização[editar | editar código-fonte]

O aeroporto esta localizado no município de São José dos Pinhais e situa-se a apenas 18 quilômetros do centro da capital paranaense[6] e a 75 quilômetros do Porto de Paranaguá, 78 quilômetros do Porto de Antonina, 134 quilômetros de Joinville, 180 quilômetros do Porto de São Francisco do Sul, 192 do Porto de Itajaí, 314 quilômetros de Florianópolis, 408 quilômetros de São Paulo e 670 quilômetros de Foz do Iguaçu. É cortado pela BR-277, que leva aos Portos de Paranaguá e Antonina e às praias, e pela BR-376, principal corredor de Curitiba a Santa Catarina e Rio Grande do Sul e, daí, aos principais países do Mercosul.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Patio de aeronaves após a ampliação.

Dados técnicos[editar | editar código-fonte]

  • Nº. de voos diários regulares: 137, sendo normalmente 135 nacionais, 2 internacionais e três cargueiros.
  • Nº. de balcões de check-in: 62
  • Nº. de pontes de embarque: 14
  • Nº. de portões de embarque: 14 através de pontes e 11 remotos
  • Nº. de esteiras de bagagem: 9
  • Nº. de posições de estacionamento de aeronaves: 32
  • Área do terminal de passageiros: 112.433 m²
  • Área total do sítio aeroportuário: 5.236.043 m²
  • Pátio de aeronaves: 143.941 m²

O Terminal[editar | editar código-fonte]

Visão interna do terminal.

O terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Afonso Pena foi reformulado em 1996. Planejado para atender o crescimento da demanda, prevê a expansão de seus serviços de modo a estar sempre à frente do crescimento do seu público, é o maior Aeroporto da região Sul do Brasil O terminal de passageiros conta com uma área de 112,433 m², que lhe dá capacidade de atender 14,9 milhões passageiros por ano e o torna o oitavo maior aeroporto brasileiro.

Com equipamentos de última geração, está entre os vinte aeroportos mais modernos do mundo; foi eleito o melhor aeroporto brasileiro em 2011.[10] Totalmente informatizado, permite o acompanhamento, a partir do Centro de Controle Operacional, de todo o serviço informativo de voo, da vigilância por circuito fechado de televisão, áreas de acesso restrito, consumo de água e energia elétrica e do sistema de proteção contra incêndio.

Panorâmica aérea do terminal de passageiros do Aeroporto Afonso Pena.

Pistas[editar | editar código-fonte]

O traçado da pista é o mesmo desde a época em que o aeroporto era uma base aérea militar, na Segunda Guerra Mundial[11] quando era a Base Aérea Afonso Pena.

Em sua pista principal com orientação magnética 15/33 com 2 218 m de comprimento e 45 m de largura, opera por instrumentos de precisão diurno e noturno utilizando-se de avançados sistemas de apoio à navegação aérea: o ALS (Approach Lights System) e o ILS Categoria II (Instruments Landing System). A pista secundária 11/29, com 1 798 m de comprimento por 45 m de largura, é mais utilizada em decolagens, quando as condições de vento são mais favoráveis.

Obras e Investimentos[editar | editar código-fonte]

O aeroporto de Curitiba está passando por várias obras de reforma das pistas de pouso e decolagem e das taxiway, além de uma ampliação nos pátios e terminais. As obras a seguir são previstas nas obras para os aeroportos da Copa de 2014 pela INFRAERO.

A restauração das pistas foi iniciada no dia 19 de Setembro de 2011 e foram concluídas com sucesso em Junho de 2012. Esta restauração compreendeu o recapeamento de toda a extensão da pista 15/33 do aeroporto, implantação de grooving e troca das luzes do centro da pista, em preparação para a instalação do ILS Categoria III, que permitirá pousos e decolagens em situações com menor visibilidade.

Dados Operacionais 2011 2016
Terminal de passageiros (m2) 45.936 112.433
Capacidade do terminal (ano) 3,5 milhões 14,9 milhões
Demanda Passageiros/ano 6,9 milhões 7,6 milhões
Pátio de aeronaves (m2) 84.062 143.941

Funcionamento[editar | editar código-fonte]

A movimentação do Aeroporto Internacional Afonso Pena é atualmente de 4.720 pousos + decolagens mensais, 198.000 passageiros embarcados e desembarcados mensais e 4.200 t de carga/mês.

Funciona, ainda, no Aeroporto Afonso Pena, o Sitia - Sistema Integrado de Informações Aeroportuárias.

No terminal de passageiros, elevadores panorâmicos e escadas rolantes servem todos os pavimentos, que possuem instalações especiais para atendimento a portadores de necessidades físicas especiais.

A cobertura em estrutura metálica do terminal, com 15.800 m² de área é composta de telhas anti-ruído. O piso em granito confere a beleza ao edifício, assim como o revestimento de pastilhas nas paredes.

O estacionamento tem capacidade para 2202[12] veículos e utiliza um sistema informatizado de controle de entrada e saída de veículos através de tíquetes com código de barras.

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Ano Movimento (Passageiros) Movimento (Carga)
2003 2.512.790 20.729.587
2004 2.840.349 27.484.969
2005 3.393.079 24.616.883
2006 3.532.879 22.287.767
2007 3.907.275 23.685.980
2008 4.281.354 25.724.753
2009 4.853.733 23.307.059
2010 5.769.712 27.063.941
2011 6.964.581 36.681.151
2012 6.825.666 44.441.132
2013 6.742.133 29.960.206
2014 7.377.205  21.952.049

Fonte: [13]

Companhias aéreas e destinos[editar | editar código-fonte]

Nacionais/Domésticos:[editar | editar código-fonte]

Companhias Aeronaves Voos Domésticos
Brasil Azul Linhas Aéreas Brasileiras ATR 72-600

Embraer 190

Embraer 195

Brasil Avianca Brasil Airbus A320
Brasil Gol Linhas Aéreas Inteligentes Boeing 737-700

Boeing 737-800

Países com atuação da LATAM Airlines LATAM Airlines Group
(operado pela LATAM Airlines Brasil)
Airbus A319

Airbus A320

Airbus A321

Internacionais[editar | editar código-fonte]

Companhia Aérea Aeronave Destinos
 ArgentinaAustral Embraer 190 Buenos Aires

Companhias Cargueiras e destinos[editar | editar código-fonte]

Brasil ABSA Cargo - Destinos - Campinas, Medelin, Miami e São Paulo (Guarulhos).

Luxemburgo Cargolux - Destinos - Campinas, Luxemburgo, Quito e Petrolina.

Estados Unidos Centurion Cargo - Destinos - Campinas, Bogotá, Medelin, Quito e Miami.

Estados Unidos Florida West - Destinos - Miami e Quito.

Chile LAN Cargo - Destinos - Amsterdam, Buenos Aires, Bogotá, Miami e Santiago do Chile.

Alemanha Lufthansa Cargo - Destinos - Campinas, Quito e Santiago

Brasil RIO Linhas Aéreas - Destinos - Opera apenas fretamentos e voos para o Banco Central. (Sede Operacional da Empresa)

Brasil Sideral Air Cargo - Destinos - Fretamentos para o Banco Central.

Colômbia TAMPA Cargo Colômbia - Destinos - Assunção, Bogotá, Santiago do Chile e Miami.

Brasil TOTAL Cargo - Destinos - Florianópolis e São Paulo (Guarulhos) (Voos operados a serviço da ECT).

Referências

  1. Capacidade Afonso Pena INFRAERO
  2. «Publicação Auxiliar de Rotas Aéreas (ROTAER)» (PDF). Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). 2016. Arquivado desde o original (PDF) em 1 de outubro de 2016. Consultado em 1 de outubro de 2016. 
  3. «Dados Estatísticos». Agência Nacional de Aviação Civil. 2015. Arquivado desde o original (XLSB) em 2 de outubro de 2016. Consultado em 2 de outubro de 2016. 
  4. «Aeroportos Brasileiros». INFRAERO. Consultado em 02-08-20013. 
  5. «Aeroportos Brasil». 
  6. a b «Aeroporto Internacional Afonso Pena». INFRAERO. Consultado em 2011-06-04. 
  7. - Coluna Nostalgia - Névoa na Copa de Curitiba (Cid Destefani - 19 de junho de 2011) Jornal Gazeta do Povo - acessado em 29 de junho de 2011
  8. Aeroporto de Bacacheri INFRAERO - acessado em 02 de Agosto de 2013
  9. Aeroporto Internacional Afonso Pena Infraero - Aeroportos
  10. «Aeroporto de Curitiba é eleito melhor do ano pelo prêmio Avião Revue». Mercado & Eventos. Consultado em 2011-06-04. 
  11. «Aeroporto Internacional de Curitiba». 
  12. «Muito Próximo do esgotamento». Gazeta do Povo. Consultado em 2012-06-25. 
  13. «Aeroporto Internacional Afonso Pena». INFRAERO. Consultado em 2011-06-04. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Aeroporto Internacional de Curitiba

Ligações externas[editar | editar código-fonte]