Aeroporto de Tehran-Imam Khomeini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Aeroporto Internacional de Tehran Imam Khomeini
فرودگاه بین‌المللی امام خمینی
Aeroporto
IATA: IKA - ICAO: OIIE
Administração Iran Air (2005-2008)
Exército dos Guardiães da Revolução Islâmica (2008-presente)
Serve Tehran, Irã
Coordenadas 35° 24' 58" N 51° 9' 8" E
Altitude 110 m (361 ft)
Mapa
IKA está localizado em: Irão
IKA
Localização do aeroporto no Irão
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
11E/29D 4 198  m (13 773 ft) Asfalto
11D/29E 4 249  m (13 940 ft) Asfalto

O Aeroporto de Tehran-Imam Khomeini (em persa: فرودگاه بین‌المللی امام خمینی) é um aeroporto localizado em Teerã, no Irão. O aeroporto foi inaugurada em 8 de maio de 2004, é o mais importante do Irão, concentrando-se a maioria dos voos internacionais para destinos no Médio e Extremo Oriente, os principais pontos da Europa e algumas pontos da África, entre outros.[1]

História[editar | editar código-fonte]

Planejamento antecipado[editar | editar código-fonte]

A construção do aeroporto começou antes da revolução iraniana de 1979. Os designers originais foram Tippetts-Abbett-McCarthy-Stratton (TAMS), uma parceria americana de consultoria de engenharia e arquitetura. Uma joint venture local foi formada entre a TAMS e a empresa local Abdol Aziz Farmanfarmaian Associates, chamada TAMS-AFFA, para realizar o projeto completo e a supervisão da construção. Após a revolução iraniana, no entanto, o projeto foi abandonado até que o governo do Irã decidiu projetar e construir o aeroporto usando a experiência local.

Construção[editar | editar código-fonte]

A empresa francesa ADP foi selecionada para chefiar os designers e empresas de engenharia locais. Um turnkey contrato de concepção e construção foi atribuído a um local, empreiteiro geral empresa, Kayson Co., para realizar e gerir a construção. Depois de dois anos, esse contrato foi abandonado e foi concedido a um bonyad, a Fundação Mostazafan.[2]

Abertura inicial[editar | editar código-fonte]

Depois que a construção do Terminal 1 foi concluída pela Fundação Mostazafan, a Organização de Aviação Civil Iraniana decidiu transferir a gestão das operações junto com a construção do segundo terminal para o consórcio TAV (Tepe-Akfen-Vie) composto por dois turcos (Tepe e Akfen) e uma empresa austríaca (Vie). A inauguração original foi agendada para 11 de fevereiro de 2004, o início das celebrações auspiciosas do "Amanhecer dos Dez Dias" (1 a 11 de fevereiro), marcando o aniversário da Revolução Islâmica de 1979. Houve vários problemas em torno da construção do aeroporto, incluindo o fornecimento de combustível para o novo aeroporto, e um atraso na assinatura de um acordo com o ministério do petróleo iraniano forçou o adiamento da abertura do aeroporto até 8 de maio de 2004.

Pouco antes da inauguração, em 8 de maio, duas companhias aéreas locais se recusaram a mudar para o novo aeroporto. O jornal econômico Hayat-e No citou Ali Abedzadeh, diretor da empresa semi-privada Iran Aseman Airlines, dizendo: "Não estamos voando de um aeroporto administrado por estrangeiros". Os oficiais do TAV foram obrigados a retirar seu pessoal e equipamento do aeroporto em 7 de maio de 2004, e as operações foram entregues à Iran Air. "Acho que eles (as Forças Armadas) receberam informações falsas de que os turcos ainda estavam no local, enquanto todos haviam evacuado o aeroporto na sexta-feira", disse o gerente do aeroporto, Hossein Pirouzi. No entanto, em 8 de maio, poucas horas após a abertura do aeroporto, os Guardas Revolucionários das Forças Armadas iranianas fecharam, citando temores de segurança sobre o uso de estrangeiros na administração do aeroporto. Apenas um vôo da Emirates de Dubai teve permissão para pousar. O segundo vôo de Dubai, que era um vôo da Iran Air, foi forçado a pousar no Aeroporto Internacional de Isfahan, porque o Aeroporto de Mehrabad não permitiu sua aterrissagem lá depois que o aeroporto Imam Khomeini foi fechado pelas forças armadas. O restante dos voos foi desviado para Mehrabad. Em 11 de maio, em uma reunião do subsecretário do Ministério das Relações Exteriores da Turquia, Ugur Ziyal, e do ministro das Relações Exteriores iraniano, Kamal Kharrazi, o turco expressou desconforto com as ações das forças armadas iranianas. O aeroporto foi reaberto em 13 de maio, como afirmou o vice-chefe do Estado-Maior Conjunto do Irã, o Brigadeiro-General Alireza Afshar, "porque as empresas estrangeiras não estarão mais encarregadas da operação do aeroporto, os obstáculos de segurança foram removidos".

Torre de controle do aeroporto internacional Imam Khomeini de Teerã

Segunda abertura[editar | editar código-fonte]

Em abril de 2005, o Aeroporto Internacional Imam Khomeini de US$ 350 milhões foi reaberto sob a gestão de um consórcio de quatro companhias aéreas locais - Mahan Air, Aseman, Caspian Airlines e Kish Air - embora nenhum contrato formal pareça ter sido assinado. Logo depois, a gestão do aeroporto foi transferida para a Iran Airports Company, que em nome do Ministério Iraniano de Estradas e Transportes é responsável por operar todos os aeroportos civis e governamentais iranianos, exceto alguns pertencentes a organizações especiais como o Ministério do Petróleo ou as Forças Armadas.[3]

Abertura final[editar | editar código-fonte]

Em 26 de outubro de 2007, foi anunciado que, a partir da meia-noite de 28 de outubro de 2007, todos os voos internacionais, exceto aqueles com destino a Damasco, Jeddah e Medina, foram transferidos para o Aeroporto Internacional Imam Khomeini e o IKA se tornou o principal aeroporto internacional de Teerã. Em 2016, como resultado do agravamento dos laços entre a Arábia Saudita e o Irã, todos os voos do Hajj do Irã foram encerrados, tornando a IKA a única porta de entrada internacional para Teerã.[4] voos do Hajj foram retomados em 2017.[5]

Boom temporário de sanções pós-nuclear[editar | editar código-fonte]

Após o levantamento das sanções nucleares em meados de janeiro de 2016, a Air France retomou os voos para a capital iraniana após tê-los suspenso em 2008. Em 17 de abril de 2016,  Air Asia retomou os serviços de Teerã, oferecendo voos diretos de Bangkok e Kuala Lumpur para Teerã depois de tê-los suspenso em 2012. Esses voos foram posteriormente cancelados em 2017 e 2018.

Destinos Por Companhia Aérea[editar | editar código-fonte]

Mapa dos destinos que partem do aeroporto
Companhias Destinos
Rússia Aeroflot Moscou
=Emirados Árabes Unidos Air Arabia Xarja
Malásia AirAsia X Cuala Lumpur
Itália Alitalia Roma
Turquia Atlasjet Istambul
Áustria Austrian Airlines Viena
Azerbaijão Azerbaijan Airlines Bacu
Bielorrússia Belavia Minsque
Irã Caspian Airlines Damasco, Istambul, Erevã
China China Southern Airlines Ürümqi
=Emirados Árabes Unidos Emirates Airlines Dubai
=Emirados Árabes Unidos Etihad Airways Abu Dabi
Geórgia Georgian Airways Tbilisi
Irã Iran Air Amesterdã, Ancara, Bandar Abbas, Bacu, Bancoque, Beirute, Colônia, Copenhague, Damasco, Dubai, Estocolmo, Francoforte, Gotemburgo, Hamburgo, Istambul, Carachi, Cuala Lumpur, Londres, Milão, Moscou, Bombaim, Paris, Pequim, Tasquente, Viena
Irã Iran Aseman Airlines Cabul, Duchambé, Erevã
Iraque Iraqi Airways Bagdá, Najafe
Países Baixos KLM Amesterdã
Kuwait Kuwait Airways Cuaite
Alemanha Lufthansa Francoforte
Irã Mahan Air Almati, Bancoque, Déli, Dubai, Dusseldórfia, Istambul
Catar Qatar Airways Doa
Síria Syrian Airways Damasco
Arábia Saudita Saudi Arabian Airlines Jedá, Riade
Tajiquistão Tajik Air Duchambé
Turquia Turkish Airlines Ancara, Istambul
Ucrânia UM Airlines Quieve

Referências

  1. «Cópia arquivada». Consultado em 2 de agosto de 2015. Arquivado do original em 15 de março de 2015 
  2. «Imam Khomeini International Airport (IKA)». Consultado em 1 de junho de 2015 
  3. «Economist Intelligence Unit». 18 de agosto de 2008 
  4. Reuters (29 de maio de 2016). «Iranian pilgrims won't attend hajj amid row with Saudi Arabia». The Guardian 
  5. Hubbard, Ben (17 de março de 2017). «Iranian Pilgrims Can Participate in Hajj This Year, Saudi Arabia Says». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331. Consultado em 28 de dezembro de 2019