Aeroporto de Lages

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o Aeroporto Correia Pinto, em Lages. Para o Aeroporto Regional do Planalto Serrano, no município de Correia Pinto, veja Aeroporto de Correia Pinto.
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde outubro de 2016). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Lages
Aeroporto
Aeroporto Correia Pinto
IATA: LAJ - ICAO: SBLJ
Características
Tipo Público
Administração municipal
Serve Região de Lages
Localização Brasil Lages, SC
Coordenadas 27° 46' 56" S 50° 16' 54" O
Altitude 934 m (3 064 ft)
Movimento de 2001
Passageiros 2 796 passageiros
Carga 5 981 Kg
Aéreo 664 decolagens
Mapa
SBLJ está localizado em: Brasil
SBLJ
Localização do aeroporto no Brasil
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
17 / 35 1 530 m (5 020 ft) Asfalto
Notas
Dados do DECEA[1] e da ANAC[2]


O Aeroporto Antonio Correia Pinto de Macedo ou Aeroporto Federal de Lages (IATA: LAJ / ICAO: SBLJ) é um aeroporto brasileiro que serve ao município de Lages, no estado de Santa Catarina.[3]

Características[editar | editar código-fonte]

  • Nome: Aeroporto Antônio Correia Pinto Macedo
  • Localização: Bairro Guarujá, Lages/SC
  • Latitude: 27º46'54 s
  • Longitude: 50º16'52 w
  • IATA: LAJ
  • ICAO: SBLJ
  • Altitude: 3065 pés
  • Cabeceiras: 35/17
  • Pista: 1.530X30m
  • Piso: A
  • Sinalização: S
  • Superfície: Asfalto

Operações[editar | editar código-fonte]

O aeroporto Federal de Lages conta com uma pista em superfície de asfalto de 1.530m de comprimento por 30m de largura, conta com balizamento noturno, operações por instrumento através de NDB (radiofarol não direcional) e Auxílio Farol de Aeródromo, possui também caminhão de combate a incêndio e serviço de reabastecimento de combustível para aeronaves.

Anexo ao aeroporto está situado o Aeroclube de Lages e a escola de aviação civil JustFly.

O aeroporto já operou com as seguintes companhias aéreas e aeronaves:

  • Azul Linhas Aéreas: ATR 72-600;
  • NHT Linhas Aéreas: LET-410;
  • TAM: Cessna Gran Caravan;
  • OceanAir: EMB 120 Brasília;
  • Rio Sul: EMB 110 Bandeirante, EMB 120 Brasília e Focker 50.

Também já operaram no aeroporto de Lages em voos de carga ou particulares os seguintes modelos de aeronaves de médio/grande porte:

  • Boeing 727-100 Itapemirim Cargo em 1997;
  • ERJ 145 em 2012;
  • Legacy 650 em 01/09/2017;[4]
  • ERJ 135 em 26/05/2018.

5ª Companhia de Aviação[editar | editar código-fonte]

No Aeroporto de Lages está sediada a 5ª Companhia do Batalhão de Aviação da Polícia Militar de Santa Catarina inaugurada em 29/05/2015, conta com o auxílio de um helicóptero modelo Esquilo, batizado pela corporação militar de Águia 4.[5]

Terceirização[editar | editar código-fonte]

Até 17/09/2017 era administrado pela prefeitura do município de Lages, após processo de terceirização passou a ser administrado em 18/09/2017 pela empresa Infracea (Infraestrutura em Controle do Espaço Aéreo e Aeroportos) Serviços Aéreos, com contrato válido por um ano podendo ainda ser renovado, sendo que com a prefeitura de Lages ficou apenas a responsabilidade de fiscalização geral.[6][7]

Atualmente[editar | editar código-fonte]

Desde 28/06/2016 conta com uma linha aérea regular operada pela empresa Azul Linhas Aéreas Brasileiras através de uma aeronave modelo ATR 72-600 com capacidade para 70 passageiros, os voos que iniciaram diários (exceto sábados) tiveram ajustes no decorrer do período, atualmente conta com voos nos domingos, segundas, quartas e sextas com uma taxa de ocupação média de 70%.[8][9]

Além da linha aérea regular conta com uma média mensal de cerca de 180 pousos e decolagens entre voos de cargas e aeronaves particulares.[6]

Acidentes/Incidentes[editar | editar código-fonte]

Apesar de não ser um aeroporto de grande movimentação o Aeroporto Federal de Lages já registrou 3 acidentes aéreos com vítimas fatais e dois acidentes foram registrados com aeronaves que partiram do aeroporto de Lages:

  • Em 03/08/2005 um helicóptero, modelo Jet Ranger levando três profissionais que trabalhavam na vistoria da construção da hidrelétrica de Barra Grande e o piloto da aeronave partiu do aeroporto de Lages por volta das 13h30min para sobrevoar a região onde seria formado o lago da Usina Hidrelétrica de Barra Grande, mas caiu a aproximadamente 40 quilômetros da sede da empresa Baesa, em Anita Garibaldi após colidir em um fio de alta tensão e perder o controle, 4 pessoas morreram no acidente.[10][11]
  • Em 31/03/2006 Adílio João dos Santos, 56 pilotando o helicóptero modelo Robinson R22, saiu de Porto Alegre/RS, e no mesmo dia, fez uma parada no Aeroporto Federal de Lages para reabastecer e seguir viagem até Ribeirão Preto/SP, mas a aeronave desapareceu depois de decolar, após 14 dias desaparecido, os destroços do helicóptero e o corpo do empresário foram localizados por uma equipe do corpo de bombeiros em Laranjeiras, a 37 quilômetros de Taió/SC e a 80 quilômetros de Lages.[12][13]
  • Em 25 de maio de 1995 o executivo Paulo Bampi se deu conta, em Florianópolis, que havia esquecido seu passaporte em Lages, Bampi fretou um táxi aéreo para retornar à cidade para buscar o documento, mas no procedimento de pouso a aeronave acabou caindo na região do bairro Tributo cerca de cinco quilômetros antes de chegar na pista do Aeroporto Federal de Lages. Além do executivo, morreram seu filho, Marcos Bampi, e os pilotos Ariel Tadeu Lucas e Guilherme Thulhis. As investigações apontaram que o clima ruim foi um dos fatores decisivos para a ocorrência deste acidente[14][15]
  • Em 18 de Maio de 1997 estavam sendo realizadas no aeroporto comemorações referentes aos 55 anos de fundação do Aeroclube de Lages, mas por volta das 17h10min o dia acabou sendo marcado pela ocorrência de um dos maiores acidentes aéreos de Santa Catarina, duas aeronaves se chocaram em pleno ar matando todos os seus 12 ocupantes e mais uma pessoa em terra, a aeronave PT-ISM (Cessna Skylane) estava decolando para o lançamento de dois para-quedistas, como parte das comemorações, ao mesmo tempo, a aeronave PT-IJA (Cessna 310) fazia uma passagem baixa sobre o público, à direita do eixo da pista em uso, na sequência, o piloto do PT-IJA efetuou uma recuperação acentuada, vindo a colidir com o PT-ISM que se encontrava subindo no eixo de decolagem, cruzando aproximadamente 500 ft, ambas as aeronaves sofreram perda total e seus destroços ficaram espalhados por um raio de 150 metros no bairro Tributo, os oito ocupantes do PT-IJA e os quatro ocupantes do PT-ISM faleceram no local, uma moradora do bairro veio a falecer em consequência de ter sido atingida por um dos corpos. Pilotava o bimotor, modelo Cessna 310 PT-IJA, Pedro Sérgio Fernandes, com os passageiros Odil Raimundo Cevei, Andressa Cevei, Antonio S. B. Santos, Eliane B. Santos, Graziela B. Santos, Andreila B. Santos e Jurandir Zanette Padilha, já no monomotor Skylane PT-ISM, estava o piloto Paulo Roberto Macedo Kauling, sua esposa Maristela Ronconi Kauling, e os paraquedistas Emerson Plokievetz e Luciano dos Santos, a 13ª vítima do acidente foi a dona de casa Janete Fátima Souza Couto, que foi atingida por um dos corpos do acidente que caiu sobre ela quando entrava em sua casa. As investigações foram conduzidas por peritos do 5º Comando Aéreo da Aeronáutica, que tem sede na cidade gaúcha de Canoas, mas nenhum resultado conclusivo foi apresentado com relação ao acidente.[16][17]
  • Em 02/04/2010 durante uma apresentação da Esquadrilha da Fumaça em comemoração ao aniversário do Aeroporto Federal de Lages, uma aeronave T-27 (tucano) de número 7, caiu à esquerda da cabeceira da pista 35 por volta das 17h30. O avião se chocou com o solo enquanto realizava a manobra "estol de badalo" seguido de um parafuso e lancevak isolado, nesta acrobacia, é feita uma descida em parafuso com o nariz para baixo, simulando uma queda, ao se recuperar, a aeronave gira sobre três eixos de voo e encerra com um rasante, foi no último trecho que o avião não conseguiu recuperar altura e acabou se chocando com o solo matando o capitão Anderson Amaro Fernandes de 33 anos, seis meses após o acidente em 11/10/2010 a Esquadrilha da Fumaça retornou a Lages para encerrar sua apresentação e homenagear o capitão falecido no acidente. Neste dia um hangar no aeroporto foi nomeado Anderson Amaro do Nascimento em homenagem ao piloto falecido na apresentação de abril.[18]

Companhias Aéreas[editar | editar código-fonte]

Nacionais[editar | editar código-fonte]

Brasil Azul

Referências

  1. «Publicação Auxiliar de Rotas Aéreas (ROTAER)» (PDF). Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA). 2016. Consultado em 1 de outubro de 2016. Cópia arquivada (PDF) em 1 de outubro de 2016 
  2. «Dados Estatísticos» (XLSB). Agência Nacional de Aviação Civil. 2015. Consultado em 2 de outubro de 2016. Cópia arquivada em 2 de outubro de 2016 
  3. Lages, Prefeitura de. «Aeroporto de Lages tem certificado de operação renovado» 
  4. Flightradar24. «Flightradar24.com - Live flight tracker!». Flightradar24 (em inglês). Consultado em 1 de setembro de 2017 
  5. «Lages ganha 5ª Cia de Aviação PM». 29 de maio de 2015 
  6. a b Salmória, Olivete. «Infracea venceu a licitação e passará a administrar o aeroporto local». www.olivetesalmoria.com.br. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  7. Lages, Prefeitura de. «Prefeito assina contrato de terceirização dos serviços no Aeroporto» 
  8. «CL+ | Avião da Azul Linhas Aéreas pousa pela primeira vez no aeroporto de Lages». www.clmais.com.br. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  9. «Azul corta mais um voo Lages a Campinas». Edson Varela. 7 de agosto de 2017 
  10. «Queda de helicóptero mata quatro pessoas em SC | Geral». www.clicrbs.com.br (em inglês). Consultado em 19 de setembro de 2017 
  11. «Folha Online - Cotidiano - Queda de helicóptero mata equipe que vistoriava hidrelétrica e piloto - 03/08/2005». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 19 de setembro de 2017 
  12. «Localizados os destroços de helicóptero. Empresário está morto». Gazeta do Povo 
  13. «Folha Online - Cotidiano - Saiba sobre alguns acidentes com helicópteros ocorridos no país - 27/04/2006». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 19 de setembro de 2017 
  14. «Em SC, cidade sem voos regulares soma três desastres aéreos em 15 anos - Brasil - iG». Último Segundo 
  15. «CL+ Variedades | Tragédia aérea. Em 1997 colisão entre aviões deixou 13 mortos». www.clmais.com.br. Consultado em 18 de setembro de 2017 
  16. «CL+ Variedades | Tragédia aérea. Em 1997 colisão entre aviões deixou 13 mortos». www.clmais.com.br. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  17. Silva, Jorge Tadeu da. «DESASTRES AÉREOS - ACIDENTES BRASIL 1997». www.desastresaereos.net. Consultado em 16 de setembro de 2017 
  18. «Avião da Esquadrilha da Fumaça cai e explode em SC». Terra