Aeroporto do Montijo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde agosto de 2018). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Current event marker.png
Este artigo ou seção é sobre uma construção futura.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis.
Tower crane colorize.png
Montijo
Aeroporto
Aeroporto do Montijo
ANA Aeroportos de Portugal Logo.svg
Características
Tipo Público / Militar
Administração ANA Aeroportos de Portugal
Serve Região de Lisboa
Localização Portugal Montijo, LI
Inauguração 2022 (-3 anos)
Coordenadas 38° 43' 27" N 9° 0' 42" O
Altitude 50-55 m (-130 ft)
Capacidade anual 8 000 000 passageiros[1]
Website oficial Página oficial
Mapa
Aeroporto do Montijo está localizado em: Portugal Continental
Localização do aeroporto em Portugal
Pistas
Cabeceira(s) Comprimento Superfície
Não disponível Não disponível Não disponível
Não disponível Não disponível Não disponível

O Aeroporto do Montijo é o nome atribuído a uma proposta de aeroporto para servir o centro-sul de Portugal. Com inauguração projetada para 2022[2], este aeródromo complementaria o tráfego aéreo com o Aeroporto Humberto Delgado, principal portal aéreo internacional de Lisboa.

Em Maio 2010, por razão da crise financeira o então primeiro-ministro José Sócrates adiou o projecto.[3] de um segundo aeroporto, não este que agora é referenciado no Montijo, mas o de Alcochete onde se localiza uma base militar.

Em janeiro de 2017 o governo de António Costa, sem apresentar estudos ambientais ou territoriais, anunciou a construção de um segundo aeroporto, o aeroporto do Montijo, como solução para a construção de um novo aeroporto. Na zona do futuro aeroporto do Montijo funciona a Base Aérea do Montijo (Base Aérea nº. 6) da Força Aérea Portuguesa pelo que os custos de construção seriam bastante mais reduzidos. Lisboa ficaria, assim, com dois aeroportos em simultâneo. Com os 72 movimentos aéreos previstos por hora (48 em Lisboa e 24 no Montijo) um estudo da NAV[4] concluiu que a execução do projeto exigiria grandes restrições à atividade militar na região de Lisboa.[5]

Em janeiro de 2019 o governo de António Costa assinou um contrato com a Vinci Airports, sem que o Estado tivesse elaborado e colocado em discussão publica os necessários e competentes procedimentos de Avaliação Ambiental Estratégica e Estudo de Impacte Ambiental, não sendo do conhecimento público a existência de ponderação de alternativas e adequados estudos ambientais.

O início das obras de construção está previsto para 2019.[6]

Localização[editar | editar código-fonte]

O aeroporto será implantado na atual Base Aérea nº. 6 no Montijo. O projeto tem sofrido oposição por parte do público que considera que a decisão politica foi tomada sem suporte em estudos ambientais, de riscos e de expansão futura, considerando ainda que esta solução é passível de ter efeitos nefastos muito significativos na zona do estuário do Tejo que rodeia a base aérea, e em especial na área classificada Reserva Natural do Estuário do Tejo com forte relevância na sua avifauna, nas populações já implantadas que ficarão sob as rotas de aproximação e descolagem, da Baixa da Banheira, Lavradio entre outras e na segurança das aeronaves. Em Maio de 2019, no entanto, surge a indicação da Quercus, principal associação ambientalista portuguesa, de que: Montijo parece-nos aceitável", afirmou, argumentando que esta localização, comparada com a de Alcochete, "é um mal menor, desde que cumpridos requisitos de proteção do impacte" ambiental da nova estrutura.

Acessibilidades[editar | editar código-fonte]

Uma linha ferroviária semelhante à do sul do Tejo ou à área metropolitana do Porto é aquilo que o Governo português pretende para fazer a ligação entre as duas margens do rio, na Ponte Vasco da Gama. Está pensado também fazer um acesso rodoviário entre o aeroporto e a ponte Vasco da Gama. Haverá também um terminal de barcos que farão a ligação para Lisboa[7]

Características[editar | editar código-fonte]

O aeroporto do Montijo está projectado para suportar um volume de tráfego de passageiros na ordem dos 8 milhões de passageiros anuais.

A pista 01/19 será alvo de obras de extensão e reforço para suportar facilmente a operação regular de aviões comerciais. Irá ser principalmente utilizada por aviões de médio curso como o Airbus A320 e Boeing 737 mas poderá receber aviões de longo curso como o Airbus A330 (apesar de estes operarem com limitações dado o comprimento da pista).

Companhias aéreas e destinos[editar | editar código-fonte]

Em 2017, O projecto do aeroporto só aceitaria duas companhias aéreas: a TAP Air Portugal e a Ryanair. No entanto a TAP Air Portugal já demonstrou que não está interessada em utilizar a infraestrutura, em convergência com a sua estratégia de hub no Aeroporto de Lisboa .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Título ainda não informado (favor adicionar)». economico.sapo.pt 
  2. Rainho, Pedro (15 de fevereiro de 2017). «Aviões comerciais começam a aterrar no Montijo em janeiro de 2022». Observador. Consultado em 15 de fevereiro de 2017 
  3. 'Sócrates adia investimentos públicos no aeroporto de Lisboa e terceira travessia do Tejo ' Noticia do 8. Maio 2010 no jornal Público (7. Outubro 2010)
  4. «Estudo sobre o aumento da capacidade do Aeroporto de Lisboa». www.nav.pt. Consultado em 8 de janeiro de 2019 
  5. Rainho, Pedro (15 de fevereiro de 2017). «Montijo. Vantagens e desvantagens apontadas pelo Governo para o novo aeroporto». Observador. Consultado em 15 de fevereiro de 2017 
  6. Gomes, João Francisco (15 de fevereiro de 2017). «Aeroporto do Montijo. Construção pode arrancar "no início de 2019" e incluir Metro». Observador. Consultado em 15 de fevereiro de 2017 
  7. Bandeira, Mariana (15 de fevereiro de 2017). «Governo estuda metro ligeiro na Ponte Vasco da Gama para ligar ao aeroporto do Montijo». Jornal Económico. Consultado em 15 de fevereiro de 2017 
Ícone de esboço Este artigo sobre aviação, integrado ao Projeto Aviação, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.