Africada alveolar sonora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Africada alveolar sonora
dz
IPA 104 133
Codificação
Entidade (decimal) ʣ
Unicode (hex) U+02A3
X-SAMPA dz
Kirshenbaum dz
Som

A africada alveolar sonora é um tipo de consoante africada pronunciada com a ponta ou lâmina da língua contra a crista alveolar (linha da gengiva) logo atrás dos dentes.

Características[editar | editar código-fonte]

  • Sua forma de articulação é a africada sibilante, o que significa que é produzida primeiro interrompendo totalmente o fluxo de ar, depois direcionando-o com a língua para a borda afiada dos dentes, causando turbulência de alta frequência.
  • O componente de parada deste africado é laminal alveolar, o que significa que é articulado com a lâmina da língua na crista alveolar. Para simplificar, essa africada é geralmente chamada de componente fricativa sibilante.
  • Existem pelo menos três variantes específicas do componente fricativo:
  1. Alveolar laminal dentalizado (comumente chamado de "dental"), o que significa que é articulado com a lâmina da língua muito próxima aos dentes anteriores superiores, com a ponta da língua apoiada atrás dos dentes anteriores inferiores. O efeito de assobio nesta variedade de [z] é muito forte.[1]
  2. Alveolar não retraído, o que significa que é articulado com a ponta ou a lâmina da língua na crista alveolar, denominada respectivamente apical e laminal.
  3. Alveolar retraído, o que significa que é articulado com a ponta ou a lâmina da língua ligeiramente atrás da crista alveolar, denominada respectivamente apical e laminal. Acusticamente, é próximo a [ʒ] ou laminal [ʐ].
  • Sua fonação é sonora, o que significa que as cordas vocais vibram durante a articulação.
  • O mecanismo da corrente de ar é pulmonar, o que significa que é articulado empurrando o ar apenas com os pulmões e o diafragma, como na maioria dos sons.

Ocorrência[editar | editar código-fonte]

Dentalizado laminal alveolar[editar | editar código-fonte]

Língua Palavra AFI Significado Notas
Armênio Oriental[2] ձուկ Loudspeaker.svg? [d̻͡z̪uk] Peixe
Bielorrusso[3] дзеканне/dzekannje [ˈd̻͡z̪ekän̪ʲe] Dzekanye Contrasta com forma palatalizada.
Tcheco[4] Afgánec byl [ˈävɡäːnɛd̻͡z̪ bɪɫ̪] Um afegão era Alofone de /t͡s/ antes de consoantes expressas.
Húngaro[5] bodza [ˈbod̻͡z̪ːɒ] Sabugueiro
Cassúbio[6] [exemplo necessário]
Letão[7] drudzis [ˈd̪rud̻͡z̪is̪] Febre
Macedônio[8] ѕвезда/dzvezda [ˈd̻͡z̪ve̞z̪d̪ä] Estrela
Pachto ځوان [d͡zwɑn] Jovem
Polonês[9] dzwon Loudspeaker.svg? [d̻͡z̪vɔn̪] Sino
Russo[10] плацдарм/platsdarm [pɫ̪ɐd̻͡z̪ˈd̪är̠m] Cabeça de tijolo Alofone de /t͡s/ antes de consoantes expressas.
Servo-Croata[11] otac bi [ǒ̞t̪äd̻͡z̪ bi] Pai iria Alofone de /t͡s/ antes de consoantes expressas.[11]
Esloveno[12] brivec brije [ˈbríːʋəd̻͡z̪ bríjɛ] Barbeiro faz a barva Alofone de /t͡s/ antes de consoantes expressas.
Tyap zat [d͡zad] Búfalo
Ucraniano[13] дзвін/dzvin [d̻͡z̪ʋin̪] Sino
Sorábio superior[14] [exemplo necessário] Alofone de /t͡s/ antes de consoantes expressas.[14]

Alveolar não retraído[editar | editar código-fonte]

Língua Palavra AFI Significado Notas
Árabe Najdi[15] قـليب [d͡zɛ̝lib] Bom Corresponde a /q/, /ɡ/, ou /dʒ/ em outros dialetos.
Catalão[16] dotze [ˈd̪odd̻͡z̺ə] Doze O componente fricativo é apical.
Holandês Dialeto Orsmaal-Gussenhoven[17] zèèg [d͡zɛːx] Vi Alofone ocasional de / z /; distribuição pouco clara.[18]
Inglês Cockney[19] day [ˈd͡zæˑɪ̯] Dia Possível alofone inicial de palavra, intervocálico e final de palavra de /d/.[20][21]
Received Pronunciation[21] [ˈd͡zeˑɪ̯]
Nova York[22] Possível alofone sílaba inicial e às vezes também enunciado final de /d/.[22]
Scouse[23] Alofone possível com inicial de sílaba e final de palavra de /d/.[23]
Francês Quebec du [d͡zy] Do Alofone de /d/ antes de /i, y, j/.
Georgiano[24] ვალი [d͡zvɑli] Osso
Hebraico תזונה [d͡zuna] Nutrição
Luxemburguês[25] spadséieren [ʃpɑˈd͡zɜ̝ɪ̯əʀən] Ir andar Fonema marginal que ocorre apenas em algumas palavras.[25]
Marata जोर [d͡zorə] Força Contraste as versões aspiradas e não aspiradas. O não aspirado é representado por ज, que também representa [d͡ʒ]. O som aspirado é representado por झ, que também representa [d͡ʒʱ]. Não há diferença marcante para qualquer um.
Nepali [äd͡zʌ] Hoje Contraste as versões aspiradas e não aspiradas. O não aspirado é representado por /ज/. O som aspirado é representado por /झ/.
Português Europeu[26] desafio [d͡zəˈfi.u] Desafio Alofone de /d/ antes de /i, ĩ/ ou assimilação devido à exclusão de /i ~ ɨ ~e/. Cada vez mais utilizado no Brasil.[27]
Brasileiro[26][27] aprendizado [apɾẽ̞ˈd͡zadu] Aprendizado
Muitos falantes mezzoporano [me̞d͡zo̞so̞ˈpɾɐ̃nu] Mezzo-soprano Fonema marginal. Alguns podem, em vez disso, usar pronúncias de grafia.[28]
Romeno Dialetos moldavos[29] zic [d͡zɨk] Dizer Corresponde a [z] no romeno padrão
Espanhol Alguns dialetos rio-platenses. día ['d͡zia̞] Dia Corresponde a [ð] ou [d] no espanhol padrão
Chinês Shantou 日本 [d͡zit̚˨˩.pʊn˥˧] Japão

Variável[editar | editar código-fonte]

Língua Palavra AFI Significado Notas
Italiano[30] zero [ˈd͡zɛːɾo] Zero O componente fricativo varia entre laminal dentalizado e apical não retraído. Neste último caso, o componente de parada é denti-alveolar laminal.[30]

Referências

  1. Puppel, Nawrocka-Fisiak & Krassowska. [S.l.: s.n.] 1977. p. 149 
  2. Kozintseva (1995):6
  3. Padluzhny (1989):48–49
  4. Palková (1994):234–235
  5. Szende (1999):104
  6. Jerzy Treder. «Fonetyka i fonologia». Consultado em 16 de novembro de 2015. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  7. Nau (1998):6
  8. Lunt (1952):1
  9. Rocławski (1976):162
  10. Chew (2003):67 and 103
  11. a b Landau et al. (1999):67
  12. Pretnar & Tokarz (1980):21
  13. S. Buk; J. Mačutek; A. Rovenchak (2008). «Some properties of the Ukrainian writing system». Glottometrics. 16: 63–79. arXiv:0802.4198Acessível livremente 
  14. a b Šewc-Schuster (1984):22, 38)
  15. Lewis jr. (2013), p. 5.
  16. Hualde (1992):370
  17. Peters. [S.l.: s.n.] 2010. p. 240 
  18. Peters (2010), p. 240.
  19. Wells (1982), pp. 322-323.
  20. Wells (1982), p. 323.
  21. a b Gimson (2014), p. 172.
  22. a b Wells (1982), p. 515.
  23. a b Wells (1982), p. 372.
  24. Shosted & Chikovani (2006):255
  25. a b Gilles & Trouvain (2013), p. 72.
  26. a b (em português) Palatalization of dental occlusives /t/ and /d/ in the bilingual communities of Taquara and Panambi, RS – Alice Telles de Paula Page 14
  27. a b Seqüências de (oclusiva alveolar + sibilante alveolar) como um padrão inovador no português de Belo Horizonte – Camila Tavares Leite
  28. Adaptações fonológicas na pronúncia de estrangeirismos do Inglês por falantes de Português Brasileiro – Ana Beatriz Gonçalves de Assis
  29. Pop (1938), p. 29.
  30. a b Canepari (1992), pp. 75–76.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Canepari, Luciano (1992), Il MªPi – Manuale di pronuncia italiana [Handbook of Italian Pronunciation], ISBN 88-08-24624-8 (em Italian), Bologna: Zanichelli 
  • Chew, Peter A. (2003), A computational phonology of Russian, Universal Publishers 
  • Gilles, Peter; Trouvain, Jürgen (2013), «Luxembourgish» (PDF), Journal of the International Phonetic Association, 43 (1): 67–74, doi:10.1017/S0025100312000278 
  • Gimson, Alfred Charles (2014), Cruttenden, Alan, ed., Gimson's Pronunciation of English, ISBN 9781444183092 8th ed. , Routledge 
  • Hualde, José (1992), Catalan, ISBN 0-415-05498-2, Routledge 
  • Kozintseva, Natalia (1995), Modern Eastern Armenian, ISBN 3895860352, Lincom Europa 
  • Landau, Ernestina; Lončarić, Mijo; Horga, Damir; Škarić, Ivo (1999), «Croatian», Handbook of the International Phonetic Association: A guide to the use of the International Phonetic Alphabet, ISBN 0-521-65236-7, Cambridge: Cambridge University Press, pp. 66–69 
  • Lewis jr., Robert Eugene (2013), Complementizer Agreement in Najdi Arabic (PDF) 
  • Lunt, Horace G. (1952), Grammar of the Macedonian Literary Language, Skopje 
  • Nau, Nicole (1998), Latvian, ISBN 3-89586-228-2, Lincom Europa 
  • Padluzhny, Ped (1989), Fanetyka belaruskai litaraturnai movy, ISBN 5-343-00292-7 
  • Palková, Zdena (1994), Fonetika a fonologie češtiny, ISBN 978-8070668436 
  • Peters, Jörg (2010), «The Flemish–Brabant dialect of Orsmaal–Gussenhoven», Journal of the International Phonetic Association, 40 (2): 239–246, doi:10.1017/S0025100310000083 
  • Pop, Sever (1938), Micul Atlas Linguistic Român, Muzeul Limbii Române Cluj 
  • Pretnar, Tone; Tokarz, Emil (1980), Slovenščina za Poljake: Kurs podstawowy języka słoweńskiego, Katowice: Uniwersytet Śląski 
  • Puppel, Stanisław; Nawrocka-Fisiak, Jadwiga; Krassowska, Halina (1977), A handbook of Polish pronunciation for English learners, ISBN 9788301012885, Warszawa: Państwowe Wydawnictwo Naukowe 
  • Rocławski, Bronisław (1976), Zarys fonologii, fonetyki, fonotaktyki i fonostatystyki współczesnego języka polskiego, Gdańsk: Wydawnictwo Uczelniane Uniwersytetu Gdańskiego 
  • Shosted, Ryan K.; Chikovani, Vakhtang (2006), «Standard Georgian» (PDF), Journal of the International Phonetic Association, 36 (2): 255–264, doi:10.1017/S0025100306002659 
  • Šewc-Schuster, Hinc (1984), Gramatika hornjo-serbskeje rěče, Budyšin: Ludowe nakładnistwo Domowina 
  • Szende, Tamás (1999), «Hungarian», Handbook of the International Phonetic Association: A guide to the use of the International Phonetic Alphabet, ISBN 0-521-65236-7, Cambridge: Cambridge University Press, pp. 104–107