Africano Fábio Máximo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Quinto Fábio Máximo (desambiguação).
Africano Fábio Máximo
Cônsul do Império Romano
Consulado 10 a.C.

Africano Fábio Máximo (em latim: Africanus Fabius Maximus) foi um senador romano da gente Fábia eleito cônsul em 10 a.C.. Ele era o filho mais novo de Quinto Fábio Máximo, cônsul em 45 a.C. e aliado de Júlio César, e irmão de Paulo Fábio Máximo, cônsul em 11 a.C., e de Fábia Paulina, esposa de Marco Tício, cônsul em 31 a.C.. É incerto se o seu nome oficial era Quinto Fábio Máximo Africano (em latim: Quintus Fabius Maximus Africanus). Seu nome seria uma homenagem ao seu famoso antepassado Cipião Africano Emiliano.[1]

Carreira[editar | editar código-fonte]

A carreira de Áfricano Fábio Máximo é muito menos conhecida do que a de seu irmão. Supõe-se que o posto mais antigo exercido por ele seria o de tribuno militar na Hispânia, embora nem isto seja certo. Seus dois únicos postos civis conhecidos com certeza são o de cônsul em 10 a.C. (com Julo Antônio) e o de procônsul da África entre 6 e 5 a.C.[2] Sabe-se também que Africano foi admitido no colégio dos septênviros epulões em algum momento de 25 a.C.[3]

Foi durante seu mandato na África proconsular que Africano cunhou algumas moedas com sua efígie.[4]

Família[editar | editar código-fonte]

Embora não se saiba se Africano se casou, é possível que ele seja o pai de Fábia Numantina,[5] que também pode ser filha de seu irmão Paulo.[6]

Árvore genealógica[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul do Império Romano
Vexilloid of the Roman Empire.svg
Precedido por:
'Quinto Élio Tuberão

com Paulo Fábio Máximo

Africano Fábio Máximo
10 a.C.

com Julo Antônio

Sucedido por:
'Nero Cláudio Druso

com Tito Quíncio Crispino Sulpiciano


Referências

  1. Syme, R., Augustan Aristocracy (1989), pp. 75 & 419
  2. Syme, Ronald, Augustan Aristocracy (1989), p. 320
  3. Martha W. Hoffman Lewis, The Official Priests of Rome under the Julio-Claudians (Rome: American Academy, 1955), p. 87
  4. «Africanus Fabius Maximus» (em inglês). Coin Archives 
  5. Syme, R., Augustan Aristocracy (1989), pp. 417/8
  6. Syme, R., Augustan Aristocracy (1989), p. 59

Bibliografia[editar | editar código-fonte]