Agência Internacional para as Energias Renováveis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

A Agência Internacional para as Energias Renováveis (IRENA) é uma instituição criada com a finalidade de promover o uso das energias renováveis.

História[editar | editar código-fonte]

A ideia da formação da IRENA foi apresentada em 1981 na Conferência das Nações Unidas para as Energias Renováveis, realizada em Nairobi.[1] Formalmente criada em 2009, durante a Conferência de Bona, a Agência tem sede em Abu Dhabi e conta, atualmente, com 154 Estados Membros, além de 26 Estados em proceso de adesão.

A IRENA tem como principal missão auxiliar e apoiar países na transição para uma matriz energética sustentável, servindo como repositório e disseminador de conhecimento e boas práticas, plataforma de diálogo, e provedora de serviços, ferramentas técnicas, análises e de projetos de cooperação na área de energia renovável.

Em janeiro de 2018, o Brasil deu início ao processo de acessão à IRENA. De acordo com o Ministério das Relações Exteriores, o procedimento demonstra a importância que o País "devota às energias renováveis, ao combate à mudança do clima e ao desenvolvimento sustentável, bem como ao engajamento construtivo na governança internacional"[2].

Portugal é um dos setenta e cinco países fundadores desta organização internacional.[3]

Referências

  1. «History of IRENA» (em inglês). Consultado em 18 de Dezembro de 2011 
  2. «Brasil dá início a processo de adesão à IRENA». www.itamaraty.gov.br. Consultado em 20 de janeiro de 2018 
  3. «Portugal é membro fundador da primeira Agência Internacional para as Energias Renováveis». 24 de Janeiro de 2009. Consultado em 18 de Dezembro de 2011 
Ícone de esboço Este artigo sobre associações é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.