Agência Pública

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Logotipo da Agência Pública

A Agência Pública é uma agência de jornalismo investigativo e independente. Foi fundada em 2011 pelas repórteres Marina Amaral, Natalia Viana e Tatiana Merlino.[1] Atualmente é dirigida por Marina Amaral e Natalia Viana.[2]

Multiplamente premiada por ter produzido grandes reportagens sobre temas de interesse público[3], assume publicamente os objetivos de fortalecer o direito à informação, qualificar o debate democrático e promover os direitos humanos.[2]

A agência distribui seu conteúdo gratuitamente, inclusive para outros sites e veículos republicarem suas reportagens, sob a licença Creative Commons Atribuição-SemDerivações.[2]

Projetos[editar | editar código-fonte]

Apoio ao jornalismo independente[editar | editar código-fonte]

Além de suas próprias reportagens, a Pública distribui bolsas para repórteres independentes desenvolverem suas matérias[4], incubando iniciativas de jornalismo e lançou em 2016 o Mapa do Jornalismo independente.[5]

A redação da Agência Pública fica em São Paulo e, desde 2016, a organização administra a Casa Pública, o primeiro Centro Cultural de Jornalismo do Brasil.[5][6]

Truco[editar | editar código-fonte]

Desde 2014, a Agência Pública mantém um projeto de fact-checking, o Truco.[7][8] O projeto se dedica a checar falas de políticos e personalidades, quando fazem afirmações relevantes e que pautem debates da sociedade. O Truco checou as eleições presidenciais de 2014[8] e as eleições municipais de 2016[9]. É um dos projetos de fact checking que conta com o selo de verificação de fatos do Google.[10]

Financiamento[editar | editar código-fonte]

A Pública é financiada por várias fundações, tais como Fundação Ford, Fundação Betty e Jacob Lafer, Open Society Foundations e Oak Foundation, além de eventualmente recorrer ao crowdfunding para custear reportagens.[1]

Prêmios[editar | editar código-fonte]

A Pública foi o terceiro veículo de comunicação brasileiro mais premiado em 2016, feito inédito para uma publicação independente segundo o site “Mais Premiados”.[3] Neste mesmo ano, sua diretora Natalia Viana foi a repórter mais premiada[11], por conta dos prêmios Comunique-se de Repórter de Mídia Escrita[12], Gabriel Garcia Marquez na categoria Texto[13] e Vladmir Herzog na categoria Internet pelo especial “100”.[14][15]

Foi o primeiro[carece de fontes?] veículo brasileiro a ser indicado ao Prêmio Liberdade de Imprensa da Repórteres Sem Fronteiras.[16][17]

2016[editar | editar código-fonte]

2015[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio Tim Lopes
  • Prêmio Petrobrás de Jornalismo
  • Prêmio Roche de Jornalismo em Saúde
  • Online Journalism Awards
  • Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo

2014[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio SindhRio de Jornalismo e Saúde
  • Prêmio MPT de Jornalismo
  • Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo

2013[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio HSBC – Jornalistas & Cia
  • Troféu Mulher Imprensa

2012[editar | editar código-fonte]

  • Prêmio HSBC – Jornalistas & Cia de Jornalismo Ambiental
  • Prêmio Allianz Seguros de Jornalismo Ambiental
  • Prêmio Direitos Humanos de Jornalismo

Referências

  1. a b «Agência Pública: reinventando o jornalismo». Goethe Institut - Future Perfect. Consultado em 10 de março de 2017 
  2. a b c «Quem somos». Pública. Consultado em 10 de março de 2017 
  3. a b «Tricampeã, Rede Globo é o +Premiado Veículo do Ano». Mais Premiados. 20 de janeiro de 2017 
  4. «Agência Pública apresenta iniciativa Gênero e Número». Meio & Mensagem. Consultado em 10 de março de 2017 
  5. a b «Agência Pública lança iniciativas ao completar 5 anos de trabalho». ABRAJI :: Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. Consultado em 10 de março de 2017 
  6. «Casa Pública quer ser "ponto de encontro para jornalistas do mundo todo" no Rio de Janeiro». Knight Center for Journalism in the Americas. Consultado em 10 de março de 2017 
  7. «Agência lança nova fase de projeto de fact-checking». Associação Brasileira de Imprensa. Consultado em 10 de março de 2017 
  8. a b «"Truco!" coloca à prova tudo dito pelos candidatos no horário eleitoral». youPIX. 21 de agosto de 2014. Consultado em 10 de março de 2017. Arquivado do original em 12 de março de 2017 
  9. «Agência Pública lança novo projeto de fact-checking para as eleições municipais». Portal IMPRENSA - Notícias, Jornalismo, Comunicação 
  10. «Google lança selo de verificação de fatos no Brasil para combater notícias falsas | Tecnoblog». Tecnoblog. 16 de fevereiro de 2017 
  11. «Eliane Brum e Natalia Viana são as +Premiadas Jornalistas de 2016». Mais Premiados. 26 de janeiro de 2017 
  12. a b «Roadie Crew no Prêmio Comunique-se 2016». Roadie Crew. Arquivado do original em 12 de março de 2017 
  13. a b País, Ediciones El (30 de setembro de 2016). «Prêmios Gabriel García Márquez premiam o jornalismo independente». EL PAÍS 
  14. a b «Júri do Prêmio Vladimir Herzog escolhe vencedores de 2016». ABRAJI :: Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo. Consultado em 10 de março de 2017 
  15. a b «Vencedores 2014». Prêmio Vladmir Herzog. Consultado em 10 de março de 2017 
  16. «Jornalistas e organizações são indicados ao Prêmio de Liberdade de Imprensa da RSF». Portal IMPRENSA - Notícias, Jornalismo, Comunicação 
  17. «RSF unveils 22 nominees for 2016 Press Freedom Prize». Reporters without borders. Consultado em 10 de março de 2017 
  18. «"Troféu Mulher IMPRENSA" divulga as vencedoras de sua 11ª edição». Portal IMPRENSA - Notícias, Jornalismo, Comunicação 

Ligações Externas[editar | editar código-fonte]