Agalega

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Agalega

Localização

Localização de Agalega
Capital Vingt Cinq
Governo Dependência da Maurícia
Área  
  • Total 27 km² 
População  
  300 hab. 
Moeda Rupia da Mauricia (MUR)

Agalega é um pequeno arquipélago no sudoeste do Oceano Índico pertencente ao grupo das ilhas Mascarenhas. As ilhas formam uma dependência da República da Maurícia.[1] As ilhas Agalega ficam situadas a 10° 25′ S, 56° 35′ L, a 1122 km ao norte da ilha Maurícia (uma distância superior à que separa Lisboa do Funchal), a mais de meio caminho para o grupo das Seicheles.[1]

O território das Agalega consiste de duas ilhas principais (Ilha do Norte e Ilha do Sul) com uma área total emersa de 27 km², localizadas na periferia oeste de um largo atol coralino.[1] A Ilha do Norte é a maior e mais populosa, nela se situando, para além do pequeno aeródromo que serve as ilhas, as povoações de Vingt Cinq e de La Fourche. Na Ilha Sul situa-se a pequena povoação de Saint Rita.

O centro administrativo da ilha está situado em Vingt Cinq e está a cargo de uma empresa pública mauriciana (OIDC - Outer Islands Development Corporation). A população total é de cerca de 300 habitantes, vivendo em grande isolamento já que não são permitidas visitas à ilha (excepto em serviço).

A principal produção das ilhas é o coco, exportado para a ilha Maurícia. As ilhas são habitat de um pequeno lagarto raro (Phelsuma borbonica agalegae Cheke) incluído na lista CITES de espécies protegidas.

História[editar | editar código-fonte]

As ilhas eram possivelmente conhecidas dos árabes e malaios, mas não existiam povoações permanentes, eram também conhecidas dos navegadores portugueses que faziam a rota entre Portugal e Índia no século XVI. No início do século XIX foi usada como base para o comércio de escravos.

Toponímia[editar | editar código-fonte]

Quanto ao seu nome, existem três versões:

  • O explorador português Pedro de Mascarenhas pode ter batizado ambas as ilhas em 1512, quando descobriu a ilha de Maurícias e a ilha de Reunião. Ele nomeou a ilha de Agalega e a ilha de Santa Maria (na costa leste de Madagascar) em homenagem a dois de seus veleiros, Galega e Santa María.
  • A segunda, a mais provável, é a que nos leva a João da Nova, um velejador galego ao serviço da coroa portuguesa. Ele era conhecido por seus marinheiros sob o apelido de "Xoam Galego". Este batismo está bem documentado em Os Novos Anais de Viagem (Volume 38, página 88). Está escrito ali que o explorador descobriu estas ilhas em 1501.[2][3]
  • A terceira é a do navegador português Diogo Lopes de Sequeira. Sir Robert Scott explicou em seu livro que este navegador havia descoberto Agalega em 1509 chamando-o de Gale Galeass Bank casualties, Gale significa um vento de força 8 em inglês. O nome refere-se, ironicamente, à formação de uma tempestade que moldou as costas de ambas as ilhas. Como resultado desta descoberta, as letras da região representavam os ilhéus como Gale, Galera, Galega e finalmente Agalega.

Referências

  1. a b c Editores da Britannica (1995). Agalega Islands. [S.l.]: Encyclopædia Britannica Inc. ISBN 9780852296059 
  2. Rolland, Eduardo (23 de abril de 2014). «Joao Galego: o descubridor das Illas dos Cargados Carallos». GCiencia. Consultado em 19 de janeiro de 2022 
  3. Reinero, David (agosto de 2017). «De Maceda ás illas Agalega: 515 anos da viaxe de João da Nova». Consultado em 1 de janeiro de 2022 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre geografia da África é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Agalega