Aglomeração urbana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
aglomeração urbana

A aglomeração urbana é atribuída através da Constituição Federal de 1988, no seu Art. 25, parágrafo 3º e é o resultado do crescimento físico das cidades, proximidade dos zonas urbanos e relacionamento frequente entre as cidades, através desse fatores ocorre uma relação de fluxo intenso entre as cidade que passa a “costura-las” criando um “microssistema urbano” formado por duas ou mais cidades de médio e pequeno porte em escala local.[1]

O fluxo é caracterizado por troca de serviços ou bens, instituições políticas/ religiosas e pelos trabalhadores assalariados partindo para o local de trabalho e retornar à residência de origem geralmente entre as cidades, realizando o chamado "movimento pendular" também chamado de “Continuam”.[1]

Entretanto quando uma das cidades participantes de uma aglomeração urbana se expande além das outras, influenciando a economia ao seu redor surge a metrópole que tem por definição uma cidade principal em um “microssistema urbano” abrigando assim o núcleo metropolitano havendo possivelmente uma conurbação o que ocasionaria o conceito de satelitização das cidades em volta.[1]

Função[editar | editar código-fonte]

A aglomeração oferece inúmeras vantagens sejam econômicas, produção de bens e/ou serviços, concentração geográfica ou industrial, redução do custo de transporte. Assim é gerada através das relações entre as cidades que constituem a aglomeração urbana uma melhor relação de comércio através das atividades locais proporcionando economias mais fortes, experiência aos trabalhadores no mercado local, aumentando da produtividade dos trabalhadores na região através da integração da organização, o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum.[2]

Aglomerações urbanas no Brasil[editar | editar código-fonte]

Regiões Metropolitanas, Aglomerações Urbanas e Regiões Integradas de Desenvolvimento

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), na década de 70, criou a Comissão Nacional de Regiões Metropolitanas e Política Urbana - CNPU, nesse período foi identificado as aglomerações urbanas no Brasil como unidades que apresentavam um processo de urbanização e expansão de uma cidade central, apresentando: área espacial compatíveis com os municípios vizinhos, relações sociais e econômicas, processo de urbanização, movimentos pendulares para trabalho e estudo e/ou pela contiguidade da mancha urbanizada.[3] [4]

O conjunto de critérios que caracterizam as aglomerações urbanas segundo o IBGE são: população, densidade demográfica, mobilidade pendular e ocupação, crescimento populacional, grau de urbanização.[3]

Conforme a tabela de “Composição Regiões Metropolitanas, Aglomerações Urbanas e Regiões Integradas de Desenvolvimento” disponibilizada pelo IBGE revisão de trinta de junho de dois mil e dezoito; [5]

Tabela de Aglomerações Urbanas no Brasil - IBGE
UF Nome da Região Município Legislação
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Arroio do sal Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Balneário pinhal Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Capão da canoa Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Capivari do sul Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Caraá Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Cidreira Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Dom pedro de alcântara Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Imbé Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Itati Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Mampituba Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Maquiné Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Morrinhos do sul Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Osório Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Palmares do sul Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Terra de areia Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Torres Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Tramandaí Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Três cachoeiras Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Três forquilhas Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Litoral Norte Xangri-lá Lei Complementar 12.100
RS Aglomeração Urbana do Sul Arroio do Padre Lei Complementar 11.876
RS Aglomeração Urbana do Sul Capão do Leão Lei Complementar 9184
RS Aglomeração Urbana do Sul Pelotas Lei Complementar 9184
RS Aglomeração Urbana do Sul Rio grande Lei Complementar 11.876
RS Aglomeração Urbana do Sul São José do norte Lei Complementar 11.876
SP Aglomeração Urbana de Jundiaí Cabreúva Lei Complementar 1.146
SP Aglomeração Urbana de Jundiaí Campo limpo paulista Lei Complementar 1.146
SP Aglomeração Urbana de Jundiaí Itupeva Lei Complementar 1.146
SP Aglomeração Urbana de Jundiaí Jarinu Lei Complementar 1.146
SP Aglomeração Urbana de Jundiaí Jundiaí Lei Complementar 1.146
SP Aglomeração Urbana de Jundiaí Louveira Lei Complementar 1.146
SP Aglomeração Urbana de Jundiaí Várzea paulista Lei Complementar 1.146
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Águas de São Pedro Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Analândia Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Araras Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Capivari Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Charqueada Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Conchal Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Cordeirópolis Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Corumbataí Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Elias Fausto Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Ipeúna Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Iracemápolis Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Laranjal Paulista Lei Complementar 1.265
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Leme Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Limeira Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Mombuca Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Piracicaba Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Rafard Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Rio claro Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Rio das pedras Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Saltinho Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Santa Gertrudes Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba Santa Maria da Serra Lei Complementar 1.178
SP Aglomeração Urbana de Piracicaba-AU- Piracicaba São pedro Lei Complementar 1.178

Legislação[editar | editar código-fonte]

Conforme Constituição Federal de 1988, no seu Art. 25, parágrafo 3º, concedeu aos estados a instituição de Regiões Metropolitanas e Aglomerações Urbanas “constituídas por agrupamentos de municípios vizinhos, com o objetivo de integrar a organização, o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum”. Assim, a partir de 1988, as Unidades da Federação, buscando solucionar problemas de gestão do território estadual, vêm definindo e redefinindo novas Regiões Metropolitanas e Aglomerações urbanas, criadas por lei complementar estadual.[6]

Referências

  1. a b c Souza, Marcelo Lopes de (2003). ABC do desenvolvimento urbano. [S.l.]: Bertrand Brasil. ISBN 9788528610130 
  2. Basques, Maria Fernanda Diamante; Lemos, Mauro Borges; Crocco, Marco Aurélio; Galinari, Rangel (31 de agosto de 2018). «O efeito das economias de aglomeração sobre os salários industriais: uma aplicação ao caso brasileiro». Revista de Economia Contemporânea. 11 (3). ISSN 1980-5527 
  3. a b IBGE. «Arranjos populacionais e concentrações urbanas do Brasil» (PDF) 
  4. «IBGE :: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística». ww2.ibge.gov.br. Consultado em 8 de dezembro de 2018 
  5. «Regiões Metropolitanas, Aglomerações Urbanas e Regiões Integradas de Desenvolvimento | IBGE :: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística». www.ibge.gov.br. Consultado em 10 de dezembro de 2018 
  6. «CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988». www.planalto.gov.br. Presidência da República. Consultado em 8 de dezembro de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre urbanismo, planejamento e estudos urbanos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.