Agnatha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Agnata)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde Agosto de 2010). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Como ler uma caixa taxonómicaÁgnatos
Ocorrência: Ordoviciano - Recente
Lampetra fluviatilis

Lampetra fluviatilis
Classificação científica
Domínio: Eukaryota
Reino: Animalia
Subreino: Metazoa
Filo: Chordata
Subfilo: Vertebrata
Superclasse: Pisces
Classe: Agnatha
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Agnatha

Agnatha (do grego transliterado a, sem + gnathos, mandíbula) é uma classe da parafilética de peixes sem mandíbula (Cyclostomata) do subfilo Vertebrata, que inclui animais como as mixinas, as lampreias e os ostracodermes.

Ágnatos são vertebrados desprovidos de aparelho maxilomandibular (mandíbulas e maxilas). Espécies atuais adultas, as mixinas e lampreias, ou são ectoparasitas de peixes ou são necrófagas. No passado, ocuparam diversos nichos ecológicos, tanto em águas doces como marinhas, mas declinaram rapidamente do Devoniano Superior.

Descrição[editar | editar código-fonte]

O termo "Ostracodermos" refere-se aos ágnatos extintos, tanto diplorrinos (duas aberturas nasais) como monorrinos (uma abertura naso-hipofisária), muitos dos quais apresentavam um extensa e espessa carapaça cefalotorácica de osso dérmico, além de escamas no tronco. As lampreias (Petromyzontida) e mixinas (Myxine) são os únicos representantes atuais dos ágnatos, e não têm capacidade para ossificar o seu esqueleto. Não possuem vértebras típicas, apenas peças cartilaginosas aos pares, dispostas ao longo da medula.

Os vertebrados ágnatos atuais durante muito tempo foram classificados junto com os ostracodermes na classe Agnatha porque não possuem as características derivadas (gnatostomadas), as maxilas e dois conjuntos de nadadeiras pares. No entanto, análises filogenéticas não mais agrupam organismos com base em caracteres primitivos compartilhados e agora está claro que os Agnatha constituem um grupo parafilético. Os ágnatos atuais muitas vezes têm sido reunidos como ciclóstomos (Cyclostomata - do grego transliterado cyclos, círculo + stoma, boca). Entretanto, este agrupamento também é parafilético porque as lampreias parecem ser mais proximamente aparentadas com os gnatostomados do que com as feiticeiras.

Características[editar | editar código-fonte]

  • As mandíbulas estão ausentes.
  • As nadadeiras (barbatanas) pares estão ausentes na maioria das espécies. As barbatanas peitorais estavam presentes em algumas formas extintas.
  • As espécies primitivas tinham a pele revestida por fortes escamas ósseas, que já não existem nas atuais.
  • As partes internas do esqueleto eram cartilaginosas. Nas formas atuais e porventura nas espécies extintas também não eram ossificadas. O notocórdio embrionário persiste nos adultos.
  • Um olho pineal mediano e fotossensível está presente.
  • As espécies atuais, como a maioria das extintas, apresentam uma narina única e mediana, localizada à frente do olho pineal.
  • Sete ou mais aberturas brânquiais estão presentes. A faringe era utilizada para alimentação por filtração, nas larvas e nos adultos das espécies extintas.

Classificação[editar | editar código-fonte]

Os Agnatha dividem-se em três grupos, actualmente considerados subfilos dos Vertebrados:

Ver também[editar | editar código-fonte]

PRESUMÍVEL PROGENITOR