Agnes de Deus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Agnes of God)
Ir para: navegação, pesquisa
Agnes de Deus
Agnes of God
Cartaz do filme, destacando Jane Fonda
 Estados Unidos
1985 •  cor •  98 min 
Direção Norman Jewison
Produção Norman Jewison
Patrick J. Palmer
Roteiro John Pielmeier
Elenco Jane Fonda
Anne Bancroft
Meg Tilly
Gênero Drama
Suspense
Música Georges Delerue
Cinematografia Sven Nykvist
Edição Antony Gibbs
Companhia(s) produtora(s) Columbia Pictures
Distribuição Columbia Pictures
Lançamento Canadá 21 de agosto de 1985
Estados Unidos 13 de setembro de 1985
Portugal 13 de março de 1986
Idioma Inglês
Orçamento não identificado
Receita US$25,627,836
Página no IMDb (em inglês)

Agnes of God (br/pt: Agnes de Deus[1][2]) é um filme estadunidense de 1985, dos gêneros drama e suspense, dirigido por Norman Jewison. O roteiro foi escrito por John Pielmeyer, baseado na peça teatral homônima de sua autoria. A fotografia de Sven Nykvist.

Agnes of God foi gravado na antiga Academia de Rockwood em Rockwood, Ontário, Canadá e, principalmente, em Montreal.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A psiquiatra Martha Livingston é enviada a um convento pelo juiz Joseph Leveau para investigar a morte do fruto da suposta concepção virginal da freira noviça Agnes. A psiquiatra tem dificuldade em solucionar o caso, enquanto a madre superiora Miriam Ruth acredita que a gravidez seria um milagre.

Elenco[editar | editar código-fonte]

  • Jane Fonda .... dra. Martha Livingston
  • Anne Bancroft .... madre Miriam Ruth
  • Meg Tilly .... irmã Agnes
  • Anne Pitoniak .... mãe da Dra. Livingston
  • Winston Rekert .... detetive Langevin
  • Gratien Gélinas .... padre Martineau
  • Guy Hoffman .... juiz Joseph Leveau
  • Gabriel Arcand .... monsenhor
  • Françoise Faucher .... Eve LeClaire
  • Jacques Tourangeau .... Eugene Lyon

Recepção[editar | editar código-fonte]

Agnes of God foi recebido com críticas mistas após a libertação, em 1985, e tem 46% no Rotten Tomatoes.[3] Revisores elogiaram as performances de Tilly e Bancroft, mas sentiu que havia buracos na trama e movimento. O falecido Gene Siskel disse que jogou "com algumas idéias desafiadoras e alguns eventos sensacionalistas, mas no final ele não consegue ganhar o seu direito de brincar com esses assuntos." Roger Ebert similarmente lado, dando-lhe uma estrela e dizendo que embora "ofertas nos materiais básicos de uma investigação criminal (policiais cínicos, os detalhes forenses, testemunho tribunal), ele tem uma agenda a sério nublado."

O filme foi um sucesso financeiro modesto, já que arrecadou $25,627,836 no mercado interno.

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Applications-multimedia.svg A Wikipédia possui o

Oscar 1986 (EUA)

Globo de Ouro 1986 (EUA)

  • Venceu na categoria de melhor atriz coadjuvante (Meg Tilly).
  • Indicada na categoria de melhor atriz em filme dramático (Anne Bancroft).

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Predefinição:Portal2