Agrela (Santo Tirso)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
 Portugal Agrela  
—  Freguesia  —
Brasão de armas de Agrela
Brasão de armas
Agrela está localizado em: Portugal Continental
Agrela
Localização de Agrela em Portugal
Coordenadas 41° 15' 27" N 8° 28' 25" O
País  Portugal
Concelho STS1.png Santo Tirso
Fundação 1470
Administração
 - Tipo Junta de freguesia
 - Presidente Paulo Ismael Carneiro Bento Ferreira (PSD/CDS-PP)
Área
 - Total 7,05 km²
População (2011)
 - Total 1 584
    • Densidade 224,7 hab./km²
Gentílico: Agrelense
Código postal 4825
Orago São Pedro

Agrela é uma freguesia portuguesa do concelho de Santo Tirso (município da Área Metropolitana do Porto[1] e da Região do Norte[2]) com 7,05 km² de área, 1 584 habitantes (fonte:censos 2011[3]) e uma densidade populacional de 224,7 hab./km².

Está rodeada a norte pelas freguesias de Reguenga e Lamelas, a sul pela freguesia de Sobrado (Valongo), a oeste pela freguesia de Água Longa e a este pela freguesia de Seroa (Paços de Ferreira).

É sede de um dos mais conhecidos produtores dos tão característicos vinhos verdes da região.

Na igreja paroquial pode-se observar o altar de Nossa Senhora da Guia, proveniente da antiga capela. Nesta freguesia encontram-se ainda algumas das mais belas quintas do concelho, como a imponente Quinta da Agrela, onde outrora habitou Augusto de Faria Carneiro Pacheco (1888-1962).

Heráldica[editar | editar código-fonte]

Brasão: Escudo de ouro, pâmpano em forma de latada, folhado de verde entre dois cachos de uvas de prata em chefe, duas chaves de púrpura, passadas em aspa e atadas de vermelho; em camoanha, faixa ondeada de azul e prata de três peças. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco, com a legenda a negro: "AGRELA - SANTO TIRSO".

Cacho de Uvas: Simbolizam a cultura do vinho verde, que nesta freguesia está e sempre esteve implantada. Burelas Ondeadas: Representa o rio que atravessa a freguesia, o Rio Leça.

População[editar | editar código-fonte]

População da freguesia de Agrela [4]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
638 587 552 613 692 696 744 835 1 038 1 132 1 013 1 362 1 581 1 604 1 584
Distribuição da População por Grupos Etários
Ano 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos 0-14 Anos 15-24 Anos 25-64 Anos > 65 Anos
2001 264 274 884 182 16,5% 17,1% 55,1% 11,3%
2011 241 165 950 228 15,2% 10,4% 60,0% 14,4%

Média do País no censo de 2001: 0/14 Anos-16,0%; 15/24 Anos-14,3%; 25/64 Anos-53,4%; 65 e mais Anos-16,4%

Média do País no censo de 2011: 0/14 Anos-14,9%; 15/24 Anos-10,9%; 25/64 Anos-55,2%; 65 e mais Anos-19,0%


Tradições[editar | editar código-fonte]

Na Freguesia, a expressividade cultural e religiosa da população manifesta-se através da solenização das festas em honra de: Nossa Senhora da Guia que comemora-se anualmente e tradicionalmente em Agosto e São Pedro realiza-se anualmente e tradicionalmente em Junho;

História[editar | editar código-fonte]

Desconhece-se exatamente quais as origens da freguesia de Agrela, mas sabe-se que Manuel Cirne, feitor de Portugal em Málaga, Andaluzia e provedor-mor da Fazenda de Mazagão comprou em 1539 o concelho de Refoios de Riba d'Ave ao conde da Feira, e daí prosseguiu com os seus interesses comerciais, sobretudo no que se refere ao trato de especiarias, tendo negócios com alguns dos maiores nomes do grande comércio europeu.

Apesar de ter falecido no Porto e de ter sido sepultado na capela-mor do Convento de São Domingos, em 1594 o seu filho João Cirne trasladou-o para a Capela de Nossa Senhora da Guia na paróquia de São Pedro de Agrela. Em 1925, por motivos de obras na Igreja, a campa foi aberta e descobriram-se, entre os restos mortais, fragmentos de espada e madeira exótica.

Na sepultura rasa estão esculpidas as armas dos Cirnes, das mais belas de toda a heráldica portuguesa, com o cisne e sete estrelas de ouro que, ainda segundo Alão de Morais "...dão a entender que sempre o eco e as estrellas favoreceram as suas emprezas ao primeiro que as ganhou...".

Até 1834 Agrela pertenceu ao concelho de Refojos de Riba d'Ave, tendo posteriormente, pertencido a Alfena. Em 1836 foi fundado o concelho de Valongo, ao qual Alfena passou a pertencer, e Agrela tornou-se numa freguesia do concelho de Santo Tirso.

Em 1888 nascera uma das figuras mais importantes da freguesia de Agrela, Augusto de Faria Carneiro Pacheco. Foi Benfeitor da Santa Casa de Misericórdia de Santo Tirso, dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso, da Associação de Proteção aos Pobres e da Irmandade de Nossa Senhora de Assunção. Carneiro Pacheco era um grande proprietário rural e foi senhor da Casa de Agrela. Faleceu a 25 de agosto de 1962, cinco dias após ter tido um AVC durante um discurso de congratulação ao José Pacheco, ciclista do FC Porto que venceu a Volta a Portugal em 1962, também ele agrelense.

Augusto Carneiro Pacheco era irmão de António Faria Carneiro Pacheco, professor catedrático de Direito e ex-Ministro da Educação Nacional no tempo de Salazar.

Localização geográfica[editar | editar código-fonte]

Agrela fica no extremo-sul do concelho, a par de Água Longa.

Goza também de uma excelente localização geográfica, que permite a qualquer habitante chegar num espaço de 15 minutos (de automóvel) a Santo Tirso, Paços de Ferreira, Porto, Alfena e Valongo. Nela se inicia a EN207, que liga Agrela a cidades de Paços de Ferreira e a Vila de Lousada. Localiza-se perto de uma das entradas da auto-estrada A41, assim como da EN105, que liga Porto a Alfena e a Guimarães.

Outras Informações[editar | editar código-fonte]

Em Agrela, situa-se a sede do agrupamento de Escolas d'Agrela e Vale do Leça, após a construção da Escola E.B. 2,3 de Agrela, uma ambição de vários anos, dado o nível de sobrelotação da Escola E.B. 2,3 de Alfena.


Figuras Importantes[editar | editar código-fonte]

  • Manuel Cirne, antigo proprietário da freguesia
  • João Cirne, senhor do morgado da Agrela, e filho de Manuel Cirne
  • Augusto Carneiro Pacheco, proprietário da Quinta de Agrela
  • José Pacheco, ciclista que venceu a Volta a Portugal em 1962 pelo FC Porto e que participou nos Jogos Olímpicos de Roma em 1960.
  • Arquitecto Francisco Caldeira Cabral, 1945 -1950: Jardins e Casa Agrícola da Quinta da Agrela.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Agrela (Santo Tirso)