Aguinaldo Fonseca

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Aguinaldo Fonseca
Nome completo Aguinaldo Brito Fonseca
Nascimento 22 de setembro de 1922
Mindelo,
Cabo Verde
Morte 24 de janeiro de 2014 (91 anos)
Lisboa
Nacionalidade português
Ocupação Poeta

Aguinaldo Brito Fonseca (Mindelo, Cabo Verde, 22 de setembro de 1922Lisboa, 24 de janeiro de 2014) foi um poeta cabo-verdiano.[1] A sua poesia é bastante difundida na internet e em obras coletivas editadas diversos países.

Aguinaldo Fonseca instalou-se em Lisboa em 1945, residindo na Casa dos Estudantes do Império. Viu os seus poemas publicados em vários jornais portugueses de então.

Colaborou no semanário Mundo Literário[2] (1946-1948).

Ficou conhecido como "o poeta esquecido", mesmo depois de ter publicado a coleção "Linha do Horizonte", em 1951, e de, sete anos mais tarde, ter reunido uma seleção dos poemas no suplemento cultural Notícias de Cabo Verde, tal como o retratou Michel Laban, um investigador argelino estudioso da literatura lusófona, que faleceu em Paris em dezembro de 2008.

A sua poesia retratava o ardor cívico e expunha firmemente as injustiças sociais, tal como é referido na Grande Enciclopédia Soviética, datada de 1979, estando traduzida em russo.

Poemas célebres[editar | editar código-fonte]

  • Mãe negra
  • Canção dos rapazes da ilha

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.