Ahmed Ben Bella

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ahmed Ben Bella
Presidente da Argélia Argélia
Período 15 de setembro de 1963 a 19 de junho de 1965
Antecessor(a) Ferhat Abbas (interino)
Sucessor(a) Houari Boumédiène
Primeiro-ministro da Argélia Argélia
Período 27 de setembro de 1962 a 19 de junho de 1965
Sucessor(a) Houari Boumédiène
Vice-presidente e Ministro de Estado do Governo Provisório da República Argelina Flag of Algeria (1958-1962).svg
Período 19 de setembro de 1958 a 22 de julho de 1962
Vida
Nome completo Mohamed Ahmed Ben Bella
Nascimento 25 de dezembro de 1916
Maghnia, Argélia Francesa França
Morte 11 de abril de 2012 (95 anos)
Argel,  Argélia
Dados pessoais
Cônjuge Zohra Sellami (1971-2008)
Partido FLN
Religião Islamismo sunita
Profissão político e futebolista
Residência Palácio de El-Mouradia
Serviço militar
Serviço/ramo Armoiries république française.svg Forças Armadas da França
Anos de serviço 1936-1944
Batalhas/guerras Segunda Guerra Mundial
(Batalha de Monte Cassino)
Condecorações Cruz de Guerra
Medalha Militar

Mohamed Ahmed Ben Bella (em árabe: احمد بن بل) (Maghnia, 25 de dezembro de 1916 - Argel, 11 de abril de 2012)[1] foi um político argelino. Foi o primeiro presidente da Argélia e principal líder da guerra da Argélia pela independência em relação à França. Teve uma breve passagem como futebolista no Olympique de Marseille entre os anos 1939 e 1940 e também pelo IRB Maghnia.

Carreira Política[editar | editar código-fonte]

O processo político decisivo para a independência do país teve início em 1954, embora Ben Bella e outros já se encontrassem empenhados nesse objectivo desde vários anos antes. Naquela data, Ben Bella e os líderes nacionalistas argelinos residentes no Egito encontraram-se secretamente na Suíça, onde criaram o movimento Frente de Libertação Nacional e decidiram realizar uma insurreição contra os colonos e militares franceses.

Em 1956, Ben Bella foi preso pelas autoridades militares francesas, depois de ter escapado com vida, nesse mesmo ano, a dois atentados, um no Cairo e outro em Trípoli. Foi posto em liberdade em 1962, ano da independência. Em 1963, o país encontrava-se numa situação grave e Ben Bella foi eleito, sem oposição, para a presidência da Argélia, com uma imensa maioria. Restabeleceu a ordem no território, operou um conjunto de nacionalizações e implementou uma reforma agrária, encaminhando o país para uma economia socialista. Ben Bella foi o primeiro chefe de Governo e o primeiro presidente eleito (1963-1965) da República da Argélia.

Fotografia do então presidente argelino Ahmed Ben Bella acompanhado dos jogadores brasileiros Pelé (à esquerda) e Garrincha (à direita).

Em 1965, foi deposto, na sequência de um golpe de Estado. Passou dez anos no exílio e regressou ao seu país em 1990, quando a Frente de Salvação Islâmica (FSI) estava no poder. Ben Bella conseguiu o apoio de seis partidos políticos e, um ano depois, convocou eleições. Mesmo com a realização de comícios, o seu partido não conseguiu triunfar perdendo as eleições de 1991 para a Frente de Salvação Islâmica.

Ahmed Ben Bella morreu em 11 de abril de 2012.[2]

Referências

  1. Morre Ahmed Bella
  2. publico.pt (11-4-2012). «Morreu Ben Bella, o primeiro Presidente da Argélia independente.». 11-4-2012. Consultado em 11-4-2012. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ahmed Ben Bella


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.