Ahmed Zewail

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ahmed Zewail Medalha Nobel
Química
Nascimento 26 de fevereiro de 1946
Local Damanhur
Morte 2 de agosto de 2016 (70 anos)
Atividade
Campo(s) Química
Instituições Instituto de Tecnologia da Califórnia
Alma mater Universidade de Alexandria, Universidade da Pensilvânia
Conhecido(a) por Femtoquímica
Prêmio(s) Prêmio Wolf de Química (1993), Prêmio Peter Debye (1996), Prêmio em Ciências Químicas NAS (1996), Prêmio Linus Pauling (1997), Medalha de Ouro Paul Karrer (1998), Medalha Benjamin Franklin (1998), Medalha William H. Nichols (1998), Nobel prize medal.svg Nobel de Química (1999), Albert Einstein World Award of Science (2006), Medalha de Ouro Othmer (2009), Medalha Priestley (2011), Medalha Davy (2011)
Notas Membro da Pontifícia Academia das Ciências

Ahmed Hassan Zewail (em árabe: أحمد حسن زويل; Damanhur, 26 de fevereiro de 19462 de agosto de 2016) foi um químico egípcio, nacionalizado estadunidense, mais conhecido como o "pai da femtoquímica". Recebeu o Prêmio Nobel de Química de 1999 por seu trabalho na femtoquímica e tornou-se o primeiro cientista árabe a vencer um Prêmio Nobel em um campo científico. Foi Professor Titular Linus Pauling de Química, Professor de Física, e diretor do Physical Biology Center for Ultrafast Science and Technology do Instituto de Tecnologia da Califórnia.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Licenciado em química pela Universidade de Alexandria e doutorado pela Universidade da Pensilvânia (1974) na mesma disciplina. Após trabalhar dois anos na Universidade da Califórnia em Berkeley, transferiu-se para o Instituto de Tecnologia da Califórnia, onde ocupa a cátedra de Linus Pauling de físico-química desde 1990. O interesse de Zewail foi conhecer a dinâmica das reações químicas em tempo real. Para saber o que ocorre exatamente entre reagentes e produtos e a que velocidade, projetou pulsos de laser de curta duração sobre as partículas que participam das reações. Baseou-se na capacidade dos átomos e moléculas de absorver ou reirradiar a luz incidente distintamente, modificando o espectro, de forma característica, para cada um deles.

Zewail pretendia identificar os elementos que apareciam nos estados intermediários de uma reação (pesquisa que iniciou no fim dos anos 1960). Porém estes estados são extremamente curtos: da ordem de 10 a 100 femtossegundos. Foi somente a partir da década de 1980, quando se desenvolveram os lasers capazes de lançar pulsos muito curtos, que Zewail pode observar (pela primeira vez usando cianeto de iodo: ICN) a participação de uma molécula e a posterior eliminação dos fragmentos restantes.

A partir daí, ele e sua equipe projetaram numerosos pulsos de lasers sobre diferentes reações, estudando em cada caso as ligações químicas, os estados de excitação e o movimento dos diferentes átomos e moléculas que aparecem nos sucessivos estados de transição. A “filmagem” das reações químicas permitiu descobrir que entre reagentes e produtos aparecem numerosas moléculas altamente instáveis e com tempo de vida extremamente curto.

Esta técnica constituiu a base de um novo ramo da química, a chamada femtoquímica, cujo desenvolvimento permite entender melhor as reações do metabolismo dos seres vivos (como a fotossíntese ou o efeito da luz sobre os bastoncilos da retina). Por esta pesquisa foi-lhe outorgado o Nobel de Química de 1999. Em 3 de setembro de 1999 foi indicado para a Pontifícia Academia das Ciências.

Morreu em 2 de agosto de 2016, aos 70 anos. [2]

Referências

  1. Leroy, Francis (2003). A Century of Nobel Prize Recipients: Chemistry, Physics, and Medicine (Boca Raton, FL: CRC Press). p. 109. ISBN 0824708768. 
  2. «Nobel Prize-winning Egyptian chemist Zewail dies». Reuters. 2 de agosto de 2016. Consultado em 2 de agosto de 2016. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Ahmed Zewail
Precedido por
John Pople
Prêmio Wolf de Química
1993
Sucedido por
Richard Lerner e Peter G. Schultz
Precedido por
Walter Kohn e John Pople
Nobel de Química
1999
Sucedido por
Alan Heeger, Alan MacDiarmid e Hideki Shirakawa