Ahuitzotl

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ahuitzotl
Ahuitzotl no Códice Mendoza
Tenochtitlan Glyph ZP.svg
Huey Tlatoani
1486 - 1502
predecessor Tízoc
sucessor Moctezuma II
Casa Dinastia Imperial Asteca
Nome completo
awisot͡ɬ
  Tenochtitlan
Morte 1502
  Tenochtitlan
Pai Tezozomoc
Mãe Atotoztli II


Ahuitzotl (náuatle/nauatle : aːwisot͡ɬ  ; português  : Espinhos d'agua ; o ahuitzotl era um animal aquático místico [1] , ????1502), foi o oitavo tlatoani de Tenochtitlan, reinou de 1486 a 1502

Vida[editar | editar código-fonte]

Ahuitzotl foi o terceiro filho de Tezozomoc (filho de Itzcóatl) e de Atotoztli II (filha de Moctezuma Ilhuicamina), procurou desde o início se distinguir de seu predecessor, seu irmão Tízoc, empreendendo uma ampla campanha de conquistas [2].

Em um tempo relativamente curto Ahuízotl mais do que dobrou o tamanho de terras sob o domínio asteca. Acabou com a rebelião dos Huastecas além de conquistar os Mixtecas, os Zapotecas, e outros povos da Costa do pacífico do México até a parte ocidental da Guatemala [2].

Após Ahuitzotl conseguir apaziguar o reino, começou uma nova onda de conquistas, incluindo o Vale de Oaxaca e a Costa de Soconusco. Devido ao aumento das escaramuças de fronteira com os Purépechas , Ahuitzotl conquistou a cidade fronteiriça de Otzoma e transformou a cidade em um posto militar. A população de Otzoma foi morta ou dispersa no processo. Os Purépechas posteriormente estabeleceram fortalezas nas proximidades para se protegerem contra uma possível expansão asteca. A partir daí Ahuitzotl resolveu ampliar para o oeste ocupando a região do atual Guerrero [3].

Além de suas exitosas campanhas militares, Ahuízotl pôs grande empenho no desenvolvimento de Tenochtitlan, construindo novos templos e palácios, construindo um novo aqueduto desde Coyacan, além de, em 1487, finalizar os obras do Templo Mayor iniciadas por Tízoc [2].

Após o reinado de Ahuitzotl, os astecas formavam a maior e mais poderosa facção da Tríplice Aliança. Baseando-se no prestígio que os astecas tinham adquirido ao longo das conquistas, Ahuitzotl passou a usar sozinho o título de Huey Tlatoani (Grande Orador) para se distinguir dos governantes de Texcoco e Tlacopan. Mesmo sob a forma de aliança o império já era uma realidade e o imperador asteca já assumia de forma nominal [3].

Ahuízotl não foi apenas um grande guerreiro, mas também um líder religioso muito forte, um bom diplomata e até um reputado economista. Expandiu o seu império pela força mas foi capaz de convencer e comerciar com os povos derrotados, abrindo as portas do império às aldeias remotas [2].

Em 1502, poucos dias depois de retornar da guerra em Xoconochco, ficou gravemente enfermo. "Era uma doença estranha e terrível e os médicos não conseguiam entender. Pensava-se que talvez ele tivesse sido envenenado por algum alimento que comeu naquela terra. Ahuízotl era um homem jovem, com boa saúde no corpo e no espírito. Com a doença ele começou a perder vigor, e quando morreu, estava reduzido a pele e osso. Ninguém sabia que remédio administrar, todo o possível foi feito para restaurar sua saúde. Todo mundo ficou comovido e sua morte causou imensa dor" [4].

Depois da morte de Ahuízotl subiu ao poder o seu sobrinho Moctezuma Xocoyotzin.




Precedido por
Tízoc
Tenochtitlan Glyph ZP.svg Tlatoani de Tenochtitlan
1486 - 1502
Sucedido por
Moctezuma II
Precedido por
Tízoc
Tenochtitlan Glyph ZP.svg Huey Tlatoani
1486 - 1502
Sucedido por
Moctezuma II
Precedido por
Tízoc
Tlacochcalcatl.jpg Tlacochcalcatl
1481 - 1486
Sucedido por
Moctezuma II

Referências

  1. Susan D. Gillespie, Los reyes aztecas: la construcción del gobierno en la historia mexica (em espanhol) Siglo XXI, 1993 p. 51 ISBN 9789682318740
  2. a b c d Glaoria Delgado, Historia de Mexico], Volume 1 (em espanhol) Pearson Educación, 2006 pp. 214 ISBN 9789702607977
  3. a b Kay Almere Read , Jason J. Gonzalez , Mesoamerican Mythology: A Guide to the Gods, Heroes, Rituals, and Beliefs of Mexico and Central America (em inglês) OUP USA, 2002 pp. 128 - 129 ISBN 9780195149098
  4. Diego Durán , The History of the Indies of New Spain (em inglês) University of Oklahoma Press, 1994 p. 382 ISBN 9780806126494