Aileen Wuornos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Aileen Wuornos
Aileen Carol Pittman
Nome Aileen Carol Pittman
Data de Nascimento 29 de fevereiro de 1956
Local de Nascimento Rochester, Michigan, Estados Unidos
Data de Morte 9 de outubro de 2002 (46 anos)
Local de Morte Bradford County, Flórida, Estados Unidos
Nacionalidade Estados Unidos Norte-americana
Crime (s) Assassinatos
Pena Execução por injeção letal
Situação Morta

Aileen Carol Pittman, conhecida como Aileen Wuornos, (Rochester, 29 de fevereiro de 1956Bradford County, 9 de outubro de 2002), foi uma prostituta considerada a primeira mulher assassina em série dos Estados Unidos.

História[editar | editar código-fonte]

Sua infância foi problemática devido em parte a pais adolescentes que estavam há meses separados antes que ela nascesse. Em 1960, sua mãe, Diane Pratt, a abandonou junto com o irmão Keith, que foram adotados pelos avós, Lauri e Britta Wournos. Seu pai, tirano e psicopata, foi preso, em 1969, onde se suicidou. Sua face é marcada de cicatrizes que vêm de comportamentos automutilantes durante a infância. Engravidou do próprio irmão e aos quatorze anos foi internada em um centro para as mães que entregam seus filhos para adoção. Em 1971, deixou sua casa e começou a exercer a profissão de prostituta, em lugares diversos, e cometendo pequenos delitos.

Normalmente utilizava apelidos como: Sandra Kretsch, Lee Blahover, Lori Grody e Cammie Greene. Em 1974 foi detida por dirigir bêbada e atirando em um carro, seu irmão, Keith, morreu em 1976 de câncer, Aileen herdou então dez mil dólares de seu seguro de vida, que rapidamente gastou em luxos e em um carro novo. Casou-se em Miami com Lewis Fell, mas o matrimônio durou pouco. Em 1981 foi condenada por roubo no estado da Flórida e cumpriu treze meses de prisão. Outras apreensões ocorreram por uso de cheques sem fundo, roubar uma arma, dirigir sem licença, resistência à autoridade, falsidade de informação, roubo de carro, excesso de velocidade, intimidação, etc.

Passou a freqüentar ambientes lésbicos e namorou com Tyra Moore, com quem permaneceu por 4 anos, em que se sustentaram com uma renda apertada conseguida com a prostituição de Aileen e alguns crimes. A cumplicidade de ambas as conduziu para o vandalismo, a violência e o ódio. Um ano depois sua conduta ficou absurdamente incontrolável, levando continuamente uma arma na bolsa. Convenceu sua amante que deveria vingar-se e começou a matança.

Sua primeira vítima foi Richard Nallory, um eletricista de 51 anos encontrado no dia 13 de dezembro de 1989 perto de Daytona Beach com três tiros. Seis meses depois outro homem foi morto com seis tiros, e sem identificação. Matou ao menos seis homens, entre quem havia Charles Carskaddon, Peter Siems, Eugene Burress, Dick Humphreys e Walter Antonio.

Aileen foi encontrada junto com sua companheira Loreci Inre Casani através de denúncias. Na prisão, Aileen foi diagnosticada com transtorno de personalidade Borderline. Confessou os seis assassinatos e enviou uma carta ao tribunal, pedindo para ser condenada a morte. Declarou odiar profundamente a vida humana e que mataria novamente se fosse libertada.[1] [2] Depois de um longo julgamento e um exame psiquiátrico, foi condenada a morte e executada através de injeção letal no dia 9 de outubro de 2002.

Sua história serviu como base para o filme Monster [3] (no Brasil: Desejo Assassino) em 2003, que rendeu o oscar de melhor atriz para Charlize Theron que representou Aileen como a protagonista.

Em 2015, foi interpretada pela atriz Lily Rabe no seriado American Horror Story: Hotel.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. (em inglês) Chasingthefrog - Site acessado em 22 de Setembro de 2010.
  2. (em português) Cineplayers - Acessado em 22 de Setembro de 2010.
  3. (em inglês) Media8ent - Site oficial do filme Monster. Acessado em 22 de Setembro de 2010.
Ícone de esboço Este artigo sobre criminosos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.