AirBaltic

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
airBaltic
IATA BT
ICAO BTI
Indicativo de chamada AIR BALTIC
Fundada em 28 de agosto de 1995 (1995-08-28)
Principais centros
de operações
Aeroporto Internacional de Riga
Outros centros
de operações
Programa de milhagem PINS
Frota 30
Destinos 80
Lucro Baixa 138 milhões (2020)
Sede Mārupe, Letônia
Pessoas importantes Martin Gauss (CEO)[1]
Sítio oficial http://airbaltic.com/

airBaltic, legalmente constituída como AS Air Baltic Corporation, é a companhia aérea de bandeira da Letônia. Sua sede está localizada no Aeroporto Internacional de Riga, em Mārupe, próximo de Riga.[2] O seu principal centro de operações está localizado no Aeroporto Internacional de Riga e inclui ainda centros de operações secundários no Aeroporto de Tallinn e Aeroporto de Vilnius.

História[editar | editar código-fonte]

História inicial[editar | editar código-fonte]

Um antigo Avro RJ70 da AirBaltic com pintura histórica, que foi aposentado em 2005.

A companhia aérea foi fundada como Air Baltic em 28 de agosto de 1995 com a assinatura de uma joint venture entre a Scandinavian Airlines (SAS) e o Estado da Letônia. As operações começaram em 1 de outubro de 1995 com a chegada do primeiro avião da Air Baltic, um Saab 340, a Riga, e nessa tarde o avião efetuou o primeiro voo de passageiros para a Air Baltic.[3]

Em 1996, o primeiro Avro RJ70 da companhia aérea foi entregue; e a Air Baltic juntou-se ao clube de passageiros frequentes SAS como parceira. Em 1997 foi inaugurado um departamento de carga e, em 1998, foi entregue o primeiro avião Fokker 50 da companhia aérea. A pintura adotada foi principalmente branca, com o nome da companhia aérea escrito em azul na fuselagem dianteira, o logotipo 'B' sendo fortemente estilizado em quadrados azuis. O padrão xadrez azul foi repetido na cauda da aeronave.

Em 1999, a airBaltic tornou-se uma sociedade anônima; anteriormente era uma sociedade de responsabilidade limitada.[3] Todos os seus Saab 340 foram substituídos por Fokker 50. Em setembro, a companhia aérea começou a operar de acordo com os Padrões Operacionais de Aviação Europeia. A Air Baltic deu as boas-vindas ao novo milênio introduzindo novos uniformes e abrindo um centro de carga no Aeroporto de Riga.[carece de fontes?]

O primeiro Boeing 737-500 juntou-se à frota da companhia em 2003 e, em 1 de junho de 2004, a Air Baltic lançou serviços da capital da Lituânia, Vilnius, inicialmente para cinco destinos. Em outubro de 2004, a Air Baltic recebeu a nova marca AirBaltic. A pintura atual das suas aeronaves consiste em uma fuselagem toda branca e cauda em verde-limão. AirBaltic.com é exibido na parte superior dianteira da fuselagem e a palavra "Baltic" é repetida em azul na parte inferior da cauda. Em dezembro de 2006, o primeiro Boeing 737-300 se juntou à frota e foi configurado com winglets. Em julho de 2007, a AirBaltic introduziu um sistema de check-in online.[4] Foi o primeiro sistema de check-in online nos Países Bálticos. Na primavera de 2008, dois Boeing 757 de longo curso se juntaram à frota existente da AirBaltic. Em 10 de março de 2008, foi anunciado que nos próximos três anos a companhia aérea adquiriria novas aeronaves, experimentando a maior expansão de frota da história da empresa. As novas adições serão aeronaves De Havilland Dash 8-400 de próxima geração.[carece de fontes?]

Um Boeing 757-200WL da airBaltic decolando do Aeroporto Internacional de Riga, a base da companhia aérea, com outras aeronaves da frota ao fundo.

A AirBaltic tinha fortes vínculos com a SAS, que detinha 47,2% da companhia aérea, e operava voos frequentes para os hubs da SAS em Copenhague, Oslo e Estocolmo. Alguns dos produtos e serviços da AirBaltic ainda são compartilhados com a SAS, incluindo horários coordenados e salas VIP compartilhadas. A AirBaltic não é membro de nenhuma aliança de companhias aéreas, mas tem acordos de codeshare em vigor com várias companhias aéreas membros da Star Alliance e outras.

A AirBaltic tinha hubs secundários no Aeroporto de Vilnius e no Aeroporto de Tallinn.[5] A maioria das rotas iniciadas em Tallinn foi cancelada logo após a abertura, levando a reclamações do Departamento de Proteção ao Consumidor da Estônia.[6]

Em janeiro de 2009, a SAS vendeu toda a sua participação na empresa (47,2% da companhia aérea) para a Baltijas aviācijas sistēmas Ltd (BAS) por 14 milhões de lats. A BAS era integralmente detida pela Bertolt Flick (Presidente e CEO) até dezembro de 2010, quando 50% das ações da BAS foram transferidas para a Taurus Asset Management Fund Limited, registrada nas Bahamas.[7]

Desenvolvimento desde 2010[editar | editar código-fonte]

O hub da companhia aérea, o Aeroporto Internacional de Riga, também abriga a sede corporativa.

Em agosto de 2011, a AirBaltic solicitou mais de 60 milhões de lats em capital à medida que suas perdas continuaram a aumentar[8] e sofreu especulações sobre sua posição financeira[9][10][11][12] e escândalos políticos ao longo de 2011.[13][14] Em meados de setembro de 2011, a empresa anunciou planos de demitir cerca de metade de seus funcionários e cancelar cerca de 700 voos por mês para evitar uma possível parada.[15] A empresa também anunciou que um investidor misterioso estava disposto a pagar 9,6 milhões de euros por 59.110 ações adicionais.[16] Em 4 de outubro de 2011, os planos foram anulados para efetuar os investimentos necessários no capital da companhia aérea. O governo da Letônia e a BAS concordaram em investir cerca de 100 milhões de lats no capital social da companhia aérea, proporcionalmente às suas participações na AirBaltic.[17] Em conexão com o acordo, Flick deixou o cargo de presidente e CEO da companhia aérea por longo prazo. Martin Gauss, ex-CEO da companhia aérea húngara Malév, tornou-se o novo CEO.[18]

A AirBaltic havia feito um anúncio em 23 de setembro de 2010 que iria estabelecer um novo hub secundário no Aeroporto de Oulu,[19][20] mas no início de 2012 foi confirmado que os planos do hub em Oulu foram cancelados devido a problemas financeiros da AirBaltic.[21]

A participação acionária do Estado era de 99,8% desde 30 de novembro de 2011, após o colapso de um banco vinculado a um pacote de financiamento negociado para a companhia aérea,[22][23] mas em 6 de novembro de 2015 foi relatado que o Conselho de Ministros da Letônia havia aprovado planos para vender 20% da airBaltic ao investidor alemão Ralf Dieter Montag-Girmes por € 52 milhões e concordou em investir mais € 80 milhões na companhia aérea. O total de € 132 milhões de novo capital para a companhia aérea destina-se a estimular seu plano de negócios Horizon 2021 e a modernização da frota.[24][25] Após o encerramento da Air Lituanica e da Estonian Air, respectivamente, em junho e novembro de 2015, está ao lado da Nordica, uma das duas companhias aéreas de bandeira dos países bálticos.

A entrega do Airbus A220/Bombardier CS300 foi altamente esperada pela airBaltic, pois este novo tipo de aeronave foi originalmente planejada para substituir a maioria dos Boeing 737-300 e Boeing 737-500 da companhia aérea e agora substituirá todos em 2020. A entrega do CS300 ocorreu em 29 de novembro de 2016. Em 28 de novembro, a Bombardier e a airBaltic realizaram uma cerimônia em Mirabel, Quebec, no Canadá, para a primeira entrega do CS300. A bordo do voo inaugural, estavam 18 pessoas, incluindo 6 pilotos: 3 da Bombardier e 3 da airBaltic. A companhia aérea recebeu dois CS300s em 2016 e espera receber seis em 2017, oito em 2018 e mais quatro em 2020.[26]

A AirBaltic estava em busca de oportunidades para substituir sua frota de turboélices Q400, e a Bombardier e a Embraer eram vistas como potenciais fornecedores de aeronaves futuras, com possíveis entregas de 14 novas aeronaves a partir de 2020.[27]

Em 26 de setembro de 2017, a AirBaltic anunciou que compraria pelo menos 14 aeronaves CSeries adicionais da Bombardier antes do final de 2018; planejou mudar para uma frota totalmente CSeries no início de 2020.[28] A Bombardier anunciou pedidos adicionais da AirBaltic em 28 de maio de 2018 e incluiu 30 CS300 com opções e direitos de compra para outros 30 CS300.[29][30] A Airbus adquiriu uma participação majoritária de 50,01% no programa CSeries em outubro de 2017, e o negócio foi fechado em julho de 2018; A família de aeronaves foi posteriormente renomeada para Airbus A220.

A AirBaltic suspendeu temporariamente as operações em 17 de março de 2020 devido à pandemia de coronavírus,[31] e os voos só foram retomados de forma limitada em 18 de maio de 2020.[32]

Assuntos corporativos[editar | editar código-fonte]

A área de check-in da airBaltic no Aeroporto Internacional de Riga.

A atual sede no Aeroporto de Riga foi inaugurada em 2016.[33]

Propriedade[editar | editar código-fonte]

A cabine de um Airbus A220 da airBaltic

A airBaltic é uma sociedade anônima, com atuais acionistas (em abril de 2021):[34][35]

Acionistas Participação
Estado da República da Letônia (representado pelo Ministério do Transporte) 096.14%
Aircraft Leasing 1 SIA (propriedade total do investidor privado Lars Thuesen) 03.86%
Outros 00.0002%
Total 100%

Destinos[editar | editar código-fonte]

Na altura em que a empresa suspendeu temporariamente as suas operações devido à pandemia de COVID-19,[36] a airBaltic operava voos diretos durante todo o ano e voos sazonais de Riga, Tallinn e Vilnius, principalmente para destinos metropolitanos e de lazer na Europa.

A empresa não operava voos de longo curso no momento em que suspendeu as operações.

Acordos codeshare[editar | editar código-fonte]

A airBaltic tem acordos codeshare com as seguintes companhias aéreas:[37]

Frota[editar | editar código-fonte]

Um Airbus A220-300 da AirBaltic.

Em agosto de 2021, a frota da airBaltic consistia em um único tipo de aeronave:[46][47]

Frota da AirBaltic
Aeronave Em serviço Encomendas Opções Passageiros Notas
Airbus A220-300 30 20 30[48] 145 Cliente de lançamento do Airbus A220.[49][50]

Tres aviões são pintados com librés dos países bálticos (Estônia, Letônia e Lituânia)[51]

Total 30 20 30

Frota histórica[editar | editar código-fonte]

Frota antiga da AirBaltic[52][53][54][55]
Aeronave Introduzida em Retirada em Substituída por Notas
Airbus A319-100 2013 2014 Nenhum Alugado e operado pela Czech Airlines por 3 meses
Avro RJ70 1996 2005 Nenhum
Boeing 737-300 2007 2020 Airbus A220-300 [56]
Boeing 737-500 2003 2019 Airbus A220-300
Boeing 757-200 2008 2014 None
Bombardier Dash 8 Q400 2010 2020 Airbus A220-300 [56]
British Aerospace 146-200 1995 1996 Nenhum Alugado por 3 meses
Fokker 50 1998 2013 Bombardier Q400
Saab 340 1995 1999 Fokker 50

Pintura[editar | editar código-fonte]

A pintura especial da bandeira da Estônia em um dos Airbus A220-300s da airBaltic.

A pintura original foi pintada nas aeronaves Avro RJ70 e tinha uma fuselagem branca. O esquema de cores original do airBaltic, azul e branco, foi pintado nos motores e no estabilizador vertical. A pintura de segunda geração também tinha uma ponta de asa verde-limão e um estabilizador vertical; no entanto, o logotipo foi alterado para airBaltic.com e a palavra airBaltic foi pintada nos motores, que estavam em sua cor metálica original.

Até dezembro de 2019, a pintura consistia em uma fuselagem branca e um estabilizador vertical verde-limão, pontas das asas e motores. Em dezembro de 2019, a fuselagem traseira abaixo do estabilizador vertical também foi pintada em verde limão, com o cone da cauda permanecendo branco.[57] O logotipo, estilizado como 'airBaltic', é pintado em azul escuro na fuselagem, nas janelas e na parte inferior da aeronave. Esta pintura é usada principalmente nos A220.

Para representar os três Estados Bálticos, três dos A220s foram pintados com uma série de pinturas de bandeiras nacionais - uma para a Letônia, a Estônia e a Lituânia.[51]

Serviços[editar | editar código-fonte]

Programa de milhagem[editar | editar código-fonte]

A AirBaltic costumava usar o programa de passageiro frequente SAS EuroBonus, mas agora tem seu próprio programa de milhagem chamado airBaltic Club, onde os viajantes podem ganhar 'pins' e coletar selos durante a viagem e receber várias recompensas. Existem três níveis: nível Clube, nível Executivo e nível VIP, cada um com diferentes estruturas de recompensa.[58]

Serviços de bordo[editar | editar código-fonte]

Na maioria dos voos, a airBaltic oferece um menu de compra a bordo com alimentos e bebidas para compra.[59]

Acidentes e incidentes[editar | editar código-fonte]

  • Uma tripulação bêbada da AirBaltic, incluindo um co-piloto com sete vezes o limite legal de álcool, foi detida pela polícia em Oslo antes de um voo em 2015. O segundo oficial foi condenado a seis meses de prisão, enquanto o capitão e os comissários de bordo também enfrentaram processos depois que uma denúncia os impediu de assumir o comando do vôo da Noruega.[60]
  • No dia 17 de setembro de 2016, uma aeronave de Havilland Dash 8-400, registrada YL-BAI, da AirBaltic realizando o voo BT-641, aterrou em Riga sem o seu nariz devido a problemas com o nariz.[61]
  • Em 6 de dezembro de 2017, devido a ventos fortes e uma superfície escorregadia, um Boeing 737-500 da airBaltic escorregou de uma pista de taxiamento após pousar no Aeroporto Internacional Sheremetyevo em Moscou.[62]

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Flottau, Jens (6 de fevereiro de 2018). «SINGAPORE: AirBaltic CEO: PW1500G spare engine supply for CS300 improved». Air Transport World. Consultado em 14 de setembro de 2021. Arquivado do original em 6 de fevereiro de 2018 
  2. «International offices and representatives». airBaltic. Consultado em 14 de setembro de 2021 
  3. a b «Company history». AirBaltic (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021. Arquivado do original em 23 de novembro de 2008 
  4. «airBaltic introduces Internet check-in for flights». AirBaltic (em inglês). 31 de julho de 2007. Consultado em 14 de setembro de 2021. Arquivado do original em 3 de julho de 2012 
  5. «airBaltic to open Tallinn base». Easier (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  6. «Estonians warned to be careful with airBaltic». Baltic News Network (em inglês). 15 de outubro de 2010. Consultado em 14 de setembro de 2021 
  7. «Changes in airBaltic shareholders structure». Baltic News Network (em inglês). 16 de dezembro de 2010. Consultado em 14 de setembro de 2021 
  8. «AirBaltic in need of massive investment as losses mount». The Baltic Times (em inglês). 19 de agosto de 2011. Consultado em 15 de setembro de 2021 
  9. Hõbemägi, Toomas (27 de junho de 2011). «Antonov: airBaltic will continue its business». Baltic Business News (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2021. Arquivado do original em 1 de julho de 2011 
  10. Hõbemägi, Toomas (14 de setembro de 2011). «Tallinn Airport: airBaltic owes us money». Baltic Business News (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2021. Arquivado do original em 1 de abril de 2012 
  11. Hõbemägi, Toomas (28 de junho de 2011). «Bookinghouse stops selling tickets to airBaltic flights». Baltic Business News (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2021. Arquivado do original em 1 de abril de 2012 
  12. «airBaltic starts cancelling flights». The Baltic Times (em inglês). 13 de setembro de 2011. Consultado em 15 de setembro de 2021 
  13. «Former Latvian president unleashed on the head of airBaltic corruption fighters». bakutoday.net (em inglês). 25 de agosto de 2011. Consultado em 15 de setembro de 2021. Arquivado do original em 25 de março de 2012 
  14. «Suspected illegal activity haunts airBaltic». The Baltic Times (em inglês). 14 de setembro de 2011. Consultado em 15 de setembro de 2021 
  15. Hõbemägi, Toomas (16 de setembro de 2011). «airBaltic starts massive layoffs». Baltic Business News (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2021. Arquivado do original em 16 de setembro de 2011 
  16. Hõbemägi, Toomas (13 de setembro de 2011). «Breaking news: airBaltic sells shares, cancels flights». Baltic Business News (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2021. Cópia arquivada em 16 de setembro de 2011 
  17. Petrova, Alla (17 de outubro de 2012). «Agreement officially signed on bail out of airBaltic». The Baltic Course (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2021 
  18. Hõbemägi, Toomas (24 de outubro de 2011). «Martin Gauss confirmed as new CEO of airBaltic». Baltic Business News (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2021. Arquivado do original em 4 de janeiro de 2012 
  19. «Air Baltic Setting up Oulu Hub». Yle Uutiset (em inglês). 23 de setembro de 2010. Consultado em 15 de setembro de 2021 
  20. «airBaltic to Open a New Hub in Oulu, Finland». airBaltic. 23 de setembro de 2010. Consultado em 15 de setembro de 2021. Arquivado do original em 24 de setembro de 2010 
  21. «Air Balticin solmusuunnitelma kuivui kasaan». Yle Uutiset (em finlandês). Consultado em 15 de setembro de 2021 
  22. Hõbemägi, Toomas (29 de novembro de 2011). «airBaltic's future uncertain after Krajbanka's collapse». Baltic Business News (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2021. Arquivado do original em 3 de dezembro de 2011 
  23. Hõbemägi, Toomas (1 de dezembro de 2011). «Latvian government takes over airBaltic». Baltic Business News. Consultado em 15 de setembro de 2021. Arquivado do original em 5 de dezembro de 2011 
  24. «German investor for airBaltic». The Baltic Course (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2021 
  25. «New investor completes airBaltic buy-in» (em inglês) 
  26. «Latvia's airBaltic will gradually renew fleet with Bombardier CS300 aircraft». The Baltic Course (em inglês). 2 de dezembro de 2016. Consultado em 15 de setembro de 2021 
  27. «AirBaltic eyes order for at least 14 jets». Reuters (em inglês). 5 de junho de 2017. Consultado em 15 de setembro de 2021 
  28. «Bombardier Nears $1.25 Billion C Series Deal With Air Baltic». Bloomberg (em inglês). 27 de setembro de 2017. Consultado em 15 de setembro de 2021 
  29. «Media - Bombardier Commercial Aircraft». Bombardier (em inglês). Consultado em 15 de setembro de 2021 
  30. «Commission official: airBaltic likely to find investor soon». Public Broadcasting of Latvia (em inglês). 30 de maio de 2018. Consultado em 15 de setembro de 2021 
  31. «AirBaltic temporarily suspends all flights from March 17». Eesti Rahvusringhääling (em inglês). 15 de março de 2020. Consultado em 15 de setembro de 2021 
  32. «airBaltic restarts flights from Riga to Tallinn and Vilnius». AirBaltic (em inglês). 14 de maio de 2020. Consultado em 15 de setembro de 2021 
  33. «New Headquarters and Crew Centre for airBaltic». AirBaltic (em inglês). 6 de abril de 2016. Consultado em 14 de setembro de 2021 
  34. «Pamatinformācija par aviokompāniju». AirBaltic (em letão). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  35. «Basic company information». AirBaltic (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  36. «AirBaltic temporarily suspends all flights from March 17». Eesti Rahvusringhääling (em inglês). 15 de março de 2020. Consultado em 14 de setembro de 2021 
  37. «Codeshare & interline partners». AirBaltic (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  38. «airmalta / airBaltic begins codeshare service in S18». Routesonline (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  39. «airBaltic / airmalta expands codeshare network from April 2019». Routesonline (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  40. «airBaltic / Air Serbia expands codeshare network in S19». Routesonline (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  41. «Etihad / airBaltic expands codeshare partnership in W17». Routesonline (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  42. «Lufthansa and airBaltic begin codeshare relationship». Routesonline (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  43. «airBaltic resumes SAS codeshare partnership from June 2019». Routesonline (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  44. «airBaltic / TAP Air Portugal begins codeshare service from June 2018». Routesonline (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  45. «airBaltic / TAROM expands codeshare routes in W17». Routesonline (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  46. «Fleet». AirBaltic (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  47. «Orders and deliveries». Airbus (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  48. «airBaltic Orders up to 60 Aircraft for Significant Breakthrough of Development». AirBaltic (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  49. Polek, Gregory. «Bombardier's CS300 Enters Service with Air Baltic». Aviation International News (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  50. Harper, Lewis (20 de julho de 2018). «AirBaltic receives first Airbus A220-branded jet». Flight Global (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  51. a b «Air Baltic A220 wears Lithuanian colors». aeroTELEGRAPH (em inglês). 8 de agosto de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2021 
  52. «AirBaltic fleet list». planespotters.net (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021. Arquivado do original em 27 de dezembro de 2014 
  53. «Air Baltic Accelerates Fleet Renewal Plans» (em inglês) 
  54. «airBaltic opts to acquire CSeries aircraft as part of turnaround effort». Centre for Aviation (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  55. «airBaltic's Boeing 737s Won't Return When Operations Resume». Simple Flying (em inglês). 2 de abril de 2020. Consultado em 14 de setembro de 2021 
  56. a b «airBaltic approves new business plan». AirBaltic (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  57. «airBaltic receives its 21st Airbus A220-300 in the new livery». The Baltic Times. Consultado em 14 de setembro de 2021 
  58. «About airBaltic Club». AirBaltic (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  59. «AirCafe» (PDF). AirBaltic (em inglês). Arquivado do original (PDF) em 23 de novembro de 2008 
  60. Rankin, Jennifer (18 de agosto de 2015). «Drunk airBaltic crew included co-pilot at seven times legal alcohol limit». the Guardian (em inglês). Consultado em 14 de setembro de 2021 
  61. «Incident: Baltic DH8D at Riga on Sep 17th 2016, nose gear problems lead to landing without nose gear». avherald.com. Consultado em 14 de setembro de 2021 
  62. Ranter, Harro. «Incident Boeing 737-53S YL-BBE, 06 Dec 2017». aviation-safety.net. Consultado em 14 de setembro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]