Alagoa (Minas Gerais)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Alagoa
  Município do Brasil  
Símbolos
Bandeira de Alagoa
Bandeira
Brasão de armas de Alagoa
Brasão de armas
Hino
Gentílico alagoense
Localização
Localização de Alagoa em Minas Gerais
Localização de Alagoa em Minas Gerais
Alagoa está localizado em: Brasil
Alagoa
Localização de Alagoa no Brasil
Mapa de Alagoa
Coordenadas 22° 10' 15" S 44° 38' 31" O
País Brasil
Unidade federativa Minas Gerais
Municípios limítrofes Itamonte, Aiuruoca, Baependi e Bocaina de Minas
Distância até a capital 420 km
História
Fundação 1710
Emancipação 28 de dezembro de 1962 (59 anos)
Administração
Prefeito(a) Juliano Diniz de Oliveira (PSDB, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [2] 161,555 km²
População total (IBGE/Est. 2016[3]) 2 756 hab.
Densidade 17,1 hab./km²
Clima Tropical de Altitude (Cwb)
Altitude 1132 (sede) m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 37458-000 a 37459-999[1]
Indicadores
IDH (PNUD/2010[4]) 0,649 médio
PIB (IBGE/2008[5]) R$ 22 593,010 mil
PIB per capita (IBGE/2008[5]) R$ 7 745,29
Sítio www.alagoa.mg.gov.br (Prefeitura)
www.camaraalagoa.mg.gov.br (Câmara)

Alagoa é um município brasileiro do estado de Minas Gerais. Localiza-se a uma latitude 22º10'14" sul e a uma longitude 44º38'31" oeste, estando a sede da Prefeitura a uma altitude de 1132 metros, sendo o ponto mais alto o Pico do Garrafão ou Santo Agostinho com 2.359 metros. De acordo com o IBGE, sua população em 2016 era de 2 756 habitantes.[3] Possui uma área de 162,84 km².[2]

História[editar | editar código-fonte]

A Região onde se localiza o município, foi primitivamente habitada pelos índios Cataguás (ou Cataguases), dos quais foram encontrados vestígios. Sendo o território rico em ouro e pedras preciosas, sertanistas que por aí passavam acabaram se fixando, e por volta do ano de 1730, Simão da Cunha Gago e o padre Joaquim Mendes de Carvalho fundaram uma povoação e construíram uma capela, filial da Matriz de Aiuruoca. Iniciava-se a implantação do núcleo de Alagoa.

Em 1752, foi levantada uma igreja construída por escravos, e seis anos depois, o local era elevado a Curato. A freguesia surgiu em 1855, de um abaixo-assinado encaminhado à Assembleia Provincial que indicava a existência de 4.000 pessoas no curato e mais de 50 casas no arraial. Dentre esses moradores citam-se: Antônio Alcântara Guimarães, Joaquim Nogueira, Guarda-Mor Bento Chaves, Antônio Avelar Almeida, José Dias Carvalho e sua esposa Maria Luiza Mendes, o primeiro vigário, Padre Joaquim Inácio de Melo, o farmacêutico Cel. Porfírio Mendes e outros.

A mineração iniciou-se e a atividade agropecuária deu sequência ao desenvolvimento da localidade.

O topônimo deve-se à existência de uma grande lagoa, esvaziada pelos bandeirantes, para exploração de ouro e pedras preciosas. Para escoamento da água, foi aberto um canal em uma pedra, conhecida como “pedra furada”.[6]

Referências

  1. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 1 de fevereiro de 2019 
  2. a b IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. a b «Alagoa». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 29 de junho de 2017 
  4. «Ranking IDHM Municípios 2010». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2013. Consultado em 15 de junho de 2015 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  6. «IBGE | Cidades». cidades.ibge.gov.br. Consultado em 7 de outubro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de Minas Gerais é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.