Alain Resnais

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Alain Resnais
Alain Resnais na entrega dos "Césars"
Nascimento 3 de junho de 1922
Nacionalidade  França
Morte 1º de março de 2014 (91 anos)
Paris
Ocupação Cineasta
César
César de melhor realizador
1978, 1993
Festival de Cannes
Grand Prix Spécial du Jury
1980

César Honorário
1981

Festival de Veneza
Leão de Ouro
1961

Prémio de Honra - Leão de Ouro
1995
Leão de Prata para a Melhor Realização
2006

Alain Resnais (pron. ɑlɑ̃ ʁɛ-nɛ) (Vannes, 3 de junho de 1922Paris, 1º de março de 2014) foi um realizador, roteirista e montador francês, autor de filmes considerados como obras-primas de ficção poética, tais como Hiroshima mon amour (Hiroshima, meu amor), de 1959, com roteiro de Marguerite Duras, e L'année dernière à Marienbad (O Ano Passado em Marienbad), de 1961, com roteiro de Alain Robbe-Grillet. Ambos os filmes abordam questões relacionadas com o tempo e a memória. O Ano passado em Marienbad - com uma estrutura narrativa não convencional, em que realidade e ficção se sobrepõem, enquanto as referências espaço-temporais se confundem - foi recebido com certa perplexidade, por parte da audiência, e gerou controvérsia entre os críticos: alguns elogiaram o filme, como sendo uma obra-prima, enquanto outros o consideraram simplesmente ininteligível.

Resnais também realizou documentários de grande importância na história do cinema, como Nuit et brouillard (Noite e nevoeiro), de 1955, sobre as instruções de deportação dos oponentes Reich para campos de concentração. O filme é tido como um dos melhores documentários sobre a Segunda Guerra Mundial.

Alain Resnais é considerado como um dos expoentes da Nouvelle Vague e um dos fundadores da modernidade cinematográfica europeia - ao lado de Roberto Rossellini, Ingmar Bergman e Michelangelo Antonioni - por ter colocado em questão a gramática do cinema clássico e de desconstruir a narrativa linear.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Casou-se com Sabine Azéma em 1998. Antes tinha sido casado com Florence Malraux (filha de André Malraux).

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Longas-metragens [1][editar | editar código-fonte]

Ano
Título original
Título no Brasil
Título em Portugal
Observações
2014 Aimer, boire et chanter Amar, Beber e Cantar
2012 Vous n'avez encore rien vu Vocês ainda não viram nada
2009 Les Herbes Folles Ervas Daninhas As Ervas Daninhas
2007 Cœurs Medos Privados em Lugares Públicos Corações
2006 Petites peurs partagées
2003 Pas sur la bouche Beijo na Boca, Não! Nos Lábios Não
1997 On connaît la chanson Amores Parisienses É Sempre a Mesma Cantiga
1993 Smoking/No Smoking Smoking e No Smoking Fumar/Não Fumar filmes complementares, feitos para serem assistidos em sequência
1989 I Want to Go Home Quero Ir para Casa Quero Ir para Casa
1986 Mélo Melodia Infiel Mélo
1984 L'Amour à mort Amor à Morte Amor Eterno
1983 La vie est un roman A Vida é um Romance A Vida é um Romance
1980 Mon oncle d'Amérique Meu Tio da América O Meu Tio da América
1977 Providence Providence Providence
1974 Stavisky Stavisky Stavisky, o Grande Jogador
1968 Je t'aime, je t'aime Eu te amo, eu te amo Eu Amo-te, Eu Amo-te
1967 Loin du Vietnam Longe do Vietnã Longe do Vietnam
1966 La Guerre est finie A Guerrra acabou A Guerra Acabou
1963 Muriel Muriel Muriel ou o Tempo de um Regresso
1961 L'année dernière à Marienbad O Ano passado em Marienbad O Ano Passado em Marienbad
1959 Hiroshima mon amour Hiroshima Meu Amor Hiroshima Meu Amor

Curtas e médias-metragens, filmes de episódiios [1][editar | editar código-fonte]

  • 1992: "Gershwin" (média-metragem)
  • 1991: "Contra o esquecimento" ("Contre l'oubli"): episódio "Pour Esteban Gonzalez, Cuba"
  • 1973: "L'An 01" (co-dirigido por Jean Rouch e Jacques Doillon)
  • 1968: "Cinétracts" (série de curtas, também dirigidos por Jean-Luc Godard, Chris Marker e outros)
  • 1958: "Le Chant du Styrène"
  • 1957: "Le mystère de l'atelier quinze"
  • 1956: "Toda a memória do mundo" ("Toute la mémoire du monde")
  • 1955: "Nuit et brouillard" (br: Noite e Neblina/ pt: Noite e Nevoeiro)
  • 1953: "Les statues meurent aussi"
  • 1952: "Pictura"
  • 1950: "Gauguin"
  • 1950: "Guernica
  • 1948: "Châteaux de France"
  • 1948: "Les jardins de Paris"
  • 1948: "Malfray"
  • 1947: "L'alcool tue" (assinado com o pseudônimo Alzin Rezarail)
  • 1947: "La bague"
  • 1947: "Journée naturelle"
  • 1947: "Le lait Nestlé"
  • 1947: "Portrait d'Henri Goetz"
  • 1947: "Van Gogh"
  • 1947: "Visite à César Doméla"
  • 1947: "Visite à Félix Labisse"
  • 1947: "Visite à Hans Hartnung"
  • 1947: "Visite à Lucien Coutaud"
  • 1947: "Visite à Oscar Dominguez"
  • 1946: "Ouvert pour cause d'inventaire"
  • 1946: "Schéma d'une identification"

Referências

  1. a b Alain Resnais (em inglês) no IMDb
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Alain Resnais

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cineasta é um esboço relacionado ao Projeto Entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Alain Resnais