Alargamento futuro da União Europeia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
  Países membros da União Europeia
  Países que votaram a sua retirada da União Europeia
  Países candidatos reconhecidos
  Países candidatos declarados
  Países candidatos potenciais
  Países que retiram ou interromperam a sua candidatura
  Países signatários de um Acordo de associação que têm aspirações europeias
reconhecidas pela União Europeia
União Europeia
Bandeira da União Europeia

Este artigo é parte da série:
Política e governo da União Europeia

Alargamento futuro da União Europeia é teoricamente aberto a qualquer país europeu que seja democrático, opere um mercado livre e esteja disposto e seja capaz de implementar todas as leis anteriores da União Europeia.[1] O alargamento passado trouxe aumentou o número de membros de 6 para 28 desde a fundação da União Europeia (UE) como a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço em 1952. Os critérios de adesão estão incluídos nos critérios de Copenhague, aprovados em 1993, e o Tratado de Maastricht (artigo 49). Se um país é europeu ou não é um objeto de uma avaliação política das instituições da UE.[2]

Atualmente, existem cinco candidatos reconhecidos para a adesão:[3] Turquia (requerido em 1987), República da Macedônia (requerido em 2004), Montenegro (requerido em 2008), Islândia (requerido em 2009), e, também, a Sérvia (requerido em 2009). República da Macedônia, Montenegro e Sérvia ainda não começaram as negociações para se juntar ao bloco europeu.[4] Os outros estados nos Balcãs Ocidentais, a Albânia, a Bósnia e Herzegovina e a Sérvia assinaram Acordos de Estabilização e Associação (AEA) com a UE, que geralmente precede a apresentação dos pedidos de adesão.[5] Albânia (abril 2009) e Sérvia (Dezembro de 2009)[6] já solicitaram a adesão, mas a Comissão Europeia, em outubro de 2011, recomendou apenas status de candidato oficial à Sérvia.[3]

Sobre o fato de alguns países da Europa Central e do Leste Europeu não serem parte da UE, Heather Grabbe (Reino Unido), do Centro para Reforma Europeia, comentou: "A Bielorrússia é muito autoritária, a Moldávia é muito pobre, a Ucrânia é grande demais e a Rússia assustadora demais para a UE contemplar uma oferta de filiação a qualquer momento em breve."[7] Isto foi confirmado por uma estratégia da UE, de autoria polaco-sueca, que estabelece a plena integração de uma adesão que está sendo oferecida para os estados do Leste da Europa, mas nenhuma perspectiva do alargamento oferecido ser no curto e médio prazo.[8]

 Historia da ampliação da União Europeia[editar | editar código-fonte]

La Unión Europea, y anteriormente la Comunidad Europea, ha ido creciendo a lo largo del tiempo. A lo largo de la historia la Unión ha vivido seis procesos de ampliación, siete si se cuenta la reunificación alemana, los cuales se pueden observar en las siguiente tablas:

Sigla* Detalles Mapa
CEE-6(1957-1972) Em 1957, os seis estados fundadores da Comunidade Europeia do Carvão e do Aço (Bélgica, Alemanha Ocidental, França, Itália, Luxemburgo e Países Baixos), constituíram a Comunidade Económica Europeia e a Comunidade Europeia da Energia Atómica. Em 1962, a Argélia se retira no qual até à data fazia parte do Império colonial francês. ligação=https://es.wikipedia.org/wiki/Archivo:EC06-1957-58_European_Community_map.svg|80x80px
CE-9(1973-1980) Em 1973, são incorporados o Reino Unido, República da Irlanda e Dinamarca (incluindo a Gronelândia e excluídas as Ilhas Feroe). ligação=https://es.wikipedia.org/wiki/Archivo:EC09-1973_European_Community_map_enlargement.svg|80x80px
CE-10(1981-1985) Em 1981, é incorporada a Grécia ligação=https://es.wikipedia.org/wiki/Archivo:EC10-1981_European_Community_map_enlargement.svg|80x80px
CE-12(1986-1993) Em 1986 são incorporados Portugal e Espanha. Anteriormente, em 1985, a Gronelândia se retira como consequência do referendo de 1982. ligação=https://es.wikipedia.org/wiki/Archivo:EC12-1986_European_Community_map_enlargement.svg|80x80px
UE-12(1993-1994) Começa a ser formalmente, em 1993, o termo de União Europeia. Antes disso, a 3 de outubro de 1990, a união da Alemanha Ocidental com a República Democrática Alemã (RDA) numa nova Alemanha Ocidental unificada, constitui uma ampliação da União sem um aumento do número de estados membros. ligação=https://es.wikipedia.org/wiki/Archivo:EC12-1990_European_Community_map_enlargement.svg|80x80px
UE-15(1995-2004) Em 1995, são incorporadas a Áustria, Finlândia e Suécia. ligação=https://es.wikipedia.org/wiki/Archivo:EU15-1995_European_Union_map_enlargement.svg|80x80px
UE-25(2004-2006) A 1 de maio de 2004, são incorporados a República Checa, Chipre, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Hungria, Letónia, Lituânia, Malta e a Polónia. ligação=https://es.wikipedia.org/wiki/Archivo:EU25-2004_European_Union_map_enlargement.svg|80x80px
UE-27(2007 - 2013) Em 2007, são incorporadas a Roménia e a Bulgária. ligação=https://es.wikipedia.org/wiki/Archivo:EU27-2007_European_Union_map_enlargement.svg|80x80px
UE-28(2013 - actualidad) A 1 de julho de 2013, é incorporada a Croácia. ligação=https://es.wikipedia.org/wiki/Archivo:EU28-2013_European_Union_map_enlargement.svg|80x80px
(*)= Estas siglas e as suas variantes noutros idiomas (EEC-6, EU-15 etc.), foram utilizadas por diferentes meios.[9][10] Também se pode utilizar as expressões: "Europa dos seis", "Europa dos nove" e assim sucessivamente de acordo com o número de membros.[11]Nota: Salva menção contrária, todos os estados foram incorporados a 1 de janeiro.
Alemanha Áustria Bélgica Bulgária Chipre Dinamarca Espanha Estônia Finlândia França Grécia Hungria Irlanda Itália Letônia Lituânia Luxemburgo Malta Países Baixos Polônia Portugal Roménia Reino Unido República Checa Eslováquia Eslovénia Suécia Croácia Islândia República da Macedónia Montenegro TurquiaUE-EU-ISO 3166-1.png
Sobre esta imagem
  Estados membros da União Europeia (28 desde 1 de julho de 2013).
  Estados candidatos reconhecidos à admissão na União Europeia (6 desde 20 de novembro de 2016).


Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Ec.europa.eu». Ec.europa.eu. 30 de outubro de 2010. Consultado em 7 de janeiro de 2011 
  2. «Legal questions of enlargement». Enlargement of the European Union. The European Parliament. 19 de maio de 1998. Consultado em 9 de julho de 2008 
  3. a b «Serbia gets to be a candidate to join the EU». 12 de outubro de 2011 
  4. «Ec.europa.eu». Ec.europa.eu. Consultado em 7 de janeiro de 2011 
  5. «Ec.europa.eu». Ec.europa.eu. 30 de outubro de 2010. Consultado em 7 de janeiro de 2011 
  6. «Serbia submits EU membership bid». BBC News. 23 de dezembro de 2009. Consultado em 3 de maio de 2010 
  7. Economist (29 de abril de 2004). «Ever-Expanding Union?». The Economist. Consultado em 7 de junho de 2007 
  8. Andrew Rettman (22 de outubro de 2010). «EUobserver / EU unlikely to expand into post-Soviet east in next decade». Euobserver.com. Consultado em 7 de janeiro de 2011 
  9. Teresa Barreiro. «La ampliación de la UE a 25 países, ¿Una oportunidad o un riesgo para el sector agrario español?» (PDF). Consultado em 17 de agosto de 2009 
  10. «From the EU-12 to the EU-27» (em inglés). Consultado em 17 de agosto de 2009 
  11. «La Europa de los Diez» (PDF). Consultado em 17 de agosto de 2009 
Ícone de esboço Este artigo sobre a União Europeia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.