Albergaria-a-Velha

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de albergaria, veja Albergaria (desambiguação).


Albergaria-a-Velha
Brasão de Albergaria-a-Velha Bandeira de Albergaria-a-Velha
Câmara Municipal de Albergaria-a-Velha.jpg
Câmara Municipal e Jardim da Praça Ferreira Tavares
Localização de Albergaria-a-Velha
Gentílico Albergariense
Área 158,83 km²
População 25 252 hab. (2011)
Densidade populacional 159  hab./km²
N.º de freguesias 6
Presidente da
câmara municipal
António Loureiro (CDS-PP)
Fundação do município
(ou foral)
1835
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Baixo Vouga
Distrito Aveiro
Província Beira Litoral
Orago Santa Cruz
Feriado municipal Segunda-feira subsequente ao terceiro Domingo de Agosto
Código postal 3850-053 Albergaria-a-Velha
Sítio oficial www.cm-albergaria.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

Albergaria-a-Velha é uma cidade portuguesa pertencente à Região de Aveiro da zona Centro do país, com 8 528 habitantes.

É sede de um município com 158,83 km² de área[1] e 25 252 habitantes (2011),[2][3] subdividido em 6 freguesias.[4] O município é limitado a norte pelos municípios de Estarreja e Oliveira de Azeméis, a leste por Sever do Vouga, a sueste por Águeda, a sudoeste por Aveiro e a noroeste, através de um canal da Ria de Aveiro, pela Murtosa. O município é fortemente afetado por incêndios.

História[editar | editar código-fonte]

Lápide do Real Hospital de Albergaria

Em 1117, D. Teresa, "rainha" de Portugal e mãe de D. Afonso Henriques, doou ao fidalgo Gonçalo Eriz vastas terras. Como contrapartida, o fidalgo comprometeu-se a manter aberta uma Albergaria para acolher os viajantes pobres.

A Carta do Couto de Osselôa é considerado o primeiro documento em que Portugal figura com o título de reino [1] e constitui a certidão de nascimento e de baptismo de Albergaria-a-Velha.

Os primeiros registos de Albergaria como Vila, surgem em meados do século XVI, na forma de uma lápide existente nos Paços do Concelho, oriunda da frontaria do primeiro Hospital. Foi mandada colocar no Hospital por Acórdão da Relação de Lisboa, de 27 de Maio de 1629.

No dia 6 de abril de 2011, por deliberação do plenário da Assembleia da República eleva Albergaria-a-Velha, à categoria de cidade.

Território[editar | editar código-fonte]

O território que hoje compõe o concelho de Albergaria-a-Velha tem ocupação humana desde a pré-história, conforme os sítios arqueológicos o demonstram. Chegados ao século XVI, este território estava dividido por diversos concelhos autónomos: Angeja, Frossos, Paus e Pinheiro, enquanto os restantes aglomerados populacionais se mantinham na jurisdição de outros concelhos: Aveiro, Bemposta, Recardães e Vouga.

Com o advento do Liberalismo, no início do reinado de D. Maria II, foi então promovida a elevação de Albergaria-a-Velha à categoria de Vila e criado o seu concelho, retirando-a do concelho de Aveiro. Para esse fim, foi anexado o concelho de Angeja (temporariamente extinto), a freguesia de São João de Loure e parte da freguesia de Valmaior (do concelho de Aveiro). E no dia 13 de Fevereiro de 1835 teve lugar a primeira sessão, na presença da maior parte do povo da mesma Villa, apesar de só ser oficializado por Decreto de 23 de Julho de 1835, para logo em Setembro de 1835 lhe ser acrescentado o concelho de Paus.

A 6 de Novembro de 1836, foram extintos os concelhos de Frossos e de Recardães. O primeiro, foi por poucos dias integrado no concelho de Albergaria-a-Velha, até que em Janeiro de 1837 passa a integrar o restaurado concelho de Angeja. Do segundo, uma parte da freguesia de Valmaior, passou para o concelho de Albergaria-a-Velha. Pouco depois, a 18 de março de 1842 foi extinto o concelho de Paus, ficando uma parte (Alquerubim e Paus) para o concelho de Albergaria-a-Velha e outra para o concelho de Águeda. No entanto pouco tempo duraria esta medida, uma vez que em Maio de 1842, na sequência da ditadura de Costa Cabral, viria a ser restaurado o concelho de Paus e extinto temporariamente o de Albergaria-a-Velha, assim se prolongando até Maio de 1846, altura em que na sequência da revolta designada por "Maria da Fonte" foi restaurado o concelho de Albergaria-a-Velha.

Poucos anos mais tarde, o Decreto de 31 de Dezembro de 1853 extinguiu os concelhos de Angeja e de Vouga. Do primeiro, passaram a integrar o concelho de Albergaria-a-Velha as freguesias de Angeja e Frossos, ficando as freguesias de Canelas e Fermelã para o concelho de Estarreja. Do segundo, viria a ser incorporada no concelho de Albergaria-a-Velha outra parte da freguesia de Valmaior. Mas só em 1855 o concelho de Albergaria-a-Velha viria a assumir a totalidade do seu actual território, com a anexação das freguesias da Branca e da Ribeira de Fráguas. Foi ao longo de cerca de vinte anos que se foram congregando os territórios que constituem o concelho de Albergaria-a-Velha, nem sempre de forma fácil e ordeira. Os Paços do Concelho de Albergaria-a-Velha foram funcionando em casas arrendadas, até que em 1869 se deram início às obras do actual edifício, que apenas foi inaugurado em 1897. Foi por esta altura que, no período compreendido entre 1895 e 1898, o concelho de Albergaria-a-Velha anexou o concelho de Sever do Vouga.

A partir de Janeiro de 2013, o concelho de Albergaria-a-Velha sofreu uma nova reorganização, sendo agregadas as freguesias de Frossos e de Valmaior, respectivamente, a São João de Loure e Albergaria-a-Velha. Desta forma, o concelho de Albergarla-a-Velha é presentemente constituído por seis freguesias: União das freguesias de Albergaria-a-Velha e Valmaior, União das freguesias de São João de Loure e Frossos, Alquerubim, Angeja, Branca e Ribeira de Fráguas. [5]

População[editar | editar código-fonte]

Número de habitantes [6]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
11 259 13 173 12 877 13 526 14 614 14 754 15 293 16 880 17 870 18 446 18 010 21 326 21 995 24 638 25 252

(Número de habitantes que tinham a residência oficial neste concelho à data em que os censos se realizaram.)

Número de habitantes por Grupo Etário [7]
1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
0-14 Anos 4 547 5 114 5 024 5 086 5 343 5 406 5 767 5 650 5 618 4 569 4 162 3 893
15-24 Anos 2 237 2 443 2 517 2 691 2 944 3 040 2 874 2 830 3 702 3 625 3 633 2 687
25-64 Anos 5 555 5 715 5 845 6 131 7 034 7 654 8 087 7 850 9 507 10 847 13 115 14 118
> 65 Anos 1 018 1 159 1 098 1 221 1 308 1 527 1 718 1 720 2 499 2 954 3 728 4 554
> Id. desconh 4 23 26 27 28

(Obs: De 1900 a 1950 os dados referem-se à população presente no concelho à data em que eles se realizaram Daí que se registem algumas diferenças relativamente à designada população residente)

Freguesias[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho de Albergaria-a-Velha.

O concelho de Albergaria-a-Velha está dividido em 6 freguesias:

Transportes[editar | editar código-fonte]

Rodoviários[editar | editar código-fonte]

Localizada no entroncamento de algumas dos mais importantes vias rodoviárias de Portugal - A1, A25, IC2 e A29 / A17 , a cidade de Albergaria-a-Velha beneficia de um conjunto de rápidos acessos aos mais importantes centros urbanos nacionais.[8] Dispõe de um Centro Coordenador de Transportes com carreiras regulares para todo o país e Europa.

Ferroviários[editar | editar código-fonte]

Albergaria-a-Velha é servida, desde 1910, pela Linha do Vouga. Apesar de o comboio ainda efectuar a paragem na plataforma, a Estação Ferroviária de Albergaria-a-Velha, localizada no centro da cidade, está actualmente desactivada.[9][10]

Marítimos[editar | editar código-fonte]

O porto marítimo mais próximo é o Porto de Aveiro, a 32,4 Km.

Aéreos[editar | editar código-fonte]

O aeroporto mais próximo é o Aeroporto Francisco Sá Carneiro, a 78,5 Km, na cidade da Maia.

Turismo[editar | editar código-fonte]

Rota dos Moinhos[editar | editar código-fonte]

O concelho de Albergaria-a-Velha foi sempre, ao longo da história, uma terra de inúmeros moinhos de água. Embora existam em todo o concelho, é ao longo do Rio Caima que temos as unidades de maior expressão e importância, uma vez que o seu caudal mais estável permitia uma laboração permanente. Também no Rio Fílveda e no Rio Jardim, nas ribeiras de Albergaria-a-Velha, Fontão, Frias, Fial e Mouquim e nas inúmeras cargas e valas de todas as freguesias, se encontram vestígios ou registos de 356 moinhos, sendo até à data o concelho na Europa com o maior número de moinhos de água devidamente documentados. Estes moinhos foram edificados sobretudo nos séculos XVIII e XIX, com recursos a materiais de construção locais e serviam essencialmente para moagem de milho e de trigo, tendo sido também usados para o descasque do arroz produzido na região do Baixo Vouga. [11][12]

Monte da Sra. do Socorro[editar | editar código-fonte]

O monte da Senhora do Socorro, a antiga Pedra de Águia a que se refere a Carta do Couto de Osselôa, um é local de peregrinação de terras próximas e afastadas. Dali se desfruta um panorama deslumbrante, para a Serra e para o Mar. A Capela do Santuário da Sra. do Socorro situa-se numa elevação conhecida como Bico do Monte, a 2 km do centro da cidade. A construção do templo data de 1857 e surge em cumprimento de uma promessa feita a Nossa Senhora para acabar com o flagelo da cólera-morbus que grassou a região em 1855. O cruzeiro de granito de Nossa Senhora do Socorro que se encontra a poucos metros da capela remonta ao século XVII e situava-se originalmente na entrada sul de Albergaria-a-Velha. Apresenta a seguinte inscrição: "Aqui começa a Albergaria da Rainha D. Teresa".[13]

Pateira de Frossos[editar | editar código-fonte]

Localizada a Sudoeste do Concelho de Albergaria­-a-Velha, em pleno Baixo Vouga Lagunar, a Pateira de Frossos apresenta uma biodiversidade típica do sistema lagunar da Ria de Aveiro, que se sustenta na complexidade geográfica e hidrográfica da sua rede de canais. Como habitat de aves migradoras, a Pateira de Frossos destaca-se pela sua diversidade e valor ecológico, sendo um local privilegiado para a prática de observação de aves, desportos associados à natureza tais como o BTT, canoagem, percursos pedestres e percursos equestres.[14]

Património[editar | editar código-fonte]

Indústria[editar | editar código-fonte]

O concelho de Albergaria-a-Velha foi sede de importantes indústrias a nível nacional (já extintas), nos sectores da metalurgia, fundição e design industrial, minas e celulose:

Gastronomia[editar | editar código-fonte]

A gastronomia do concelho é rica e variada, com destaque para:

  • Bacalhau Assado
  • Cabrito Assado
  • Lampreia
  • Leitão de Angeja
  • Pão do Fontão
  • Regueifa de Canela
  • Rojões
  • Vitela Assada
  • Turcos e Raivas

Desporto[editar | editar código-fonte]

Clubes[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Albergaria-a-Velha


Concelhos do Distrito de Aveiro Mapa do distrito de Aveiro
Águeda
Albergaria-a-Velha
Arouca
Aveiro
Castelo de Paiva
Espinho
Estarreja
Ílhavo
Mealhada
Murtosa
Oliveira de Azeméis
Oliveira do Bairro
Ovar
Santa Maria da Feira
São João da Madeira
Sever do Vouga
Vagos
Vale de Cambra
Águeda
Albergaria-a-Velha
Anadia
Arouca
Aveiro
Castelo de Paiva
Espinho
Estarreja
Ílhavo
Mealhada
Murtosa
Oliveira de Azeméis
Oliveira do Bairro
Ovar
Santa Maria da Feira
São João da Madeira
Sever do Vouga
Vagos
Vale de Cambra
Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.