Albert Salvadó

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Albert Salvadó
Nascimento Albert Salvadó i Miras
1 de fevereiro de 1951
Andorra-a-Velha
Morte 3 de dezembro de 2020 (69 anos)
Andorra la Vella
Cidadania Andorra
Ocupação escritor
Prêmios
Página oficial
http://www.albertsalvado.com

Albert Salvadó (Andorra-a-Velha, 1 de fevereiro de 19513 de dezembro de 2020) foi um escritor andorrano.

Estudou engenharia industrial e escreveu contos infantis, ensaios e romances.

Destaque para seus romances históricos, onde misturam realidade, ficção e mistério. Suas obras foram publicadas em vários idiomas (catalão, castelhano, francês, português, grego, tcheco e outros) e recebeu diversos prêmios, entre os quais o Premi Fiter i Rossell del Cercle de les Arts i les Lletres em 1999 com L'anell d'Àtila, o Carlemany em 2002 por Els ulls d'Anníbal, e dois prêmios Nèstor Luján em 1998 e 2005 com El mestre de Kheops e La gran concubina d'Amon respectivamente.[1]

Morreu em 3 de dezembro de 2020, aos 69 anos.[2]

Obra selecionada[editar | editar código-fonte]

  • L'enigma de Constantí el Gran
  • El mestre de Kheops
  • L'anell d'Àtila
  • El rapte, el mort i el Marsellès
  • Jaume I el Conqueridor (El punyal del sarraí, La reina hongaresa, Parleu o mateu-me)
  • L'ull del diable
  • El relat de Gunter Psarris
  • Un vot per l'esperança
  • Els ulls d'Anníbal
  • L'ombra d’Ali Bei (Maleït català!, Maleït musulmà!, Maleït cristià!)
  • La gran concubina d'Amon
  • L'informe Phaeton
  • Vols viure?

Referências

  1. «Salvadó, Albert» (em catalão). Govern d'Andorra. Consultado em 4 de dezembro de 2020 
  2. «Mor l'escriptor Albert Salvadó». Diari d'Andorra (em catalão). 3 de dezembro de 2020. Consultado em 4 de dezembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.