Alberto Brizola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Alberto Ely Brizola da Silva[1] (Triunfo, 30 de abril de 1959), é um radialista, poeta, compositor e político brasileiro, filiado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Começou sua carreira aos 13 anos de idade na rádio A Voz do Oeste, em Cuiabá. No Rio de Janeiro fez sua estréia na extinta Rádio Mundial. Na Rádio Globo apresentou o jornal O Globo no Ar. Entre as emissoras de rádio por onde passou estão Rádio Globo, Rádio Manchete, Rádio 98 FM, Rádio 93 FM, Rádio Roquette Pinto, Rádio Continental e Rádio Sucesso 88,7 FM, entre outras. Alberto Brizola foi o primeiro a fazer tradução de música em rádio, o primeiro a criar um debate e a apresentar um programa romântico em rádio FM. Morou por vários anos no bairro da Ilha do Governador.

Na televisão apresentou o programa Caravana do Amor na Rede Bandeirantes, além de ter sido jurado do programa Cassino do Chacrinha[2] na Rede Globo.

Formou-se em relações internacionais na Faculdade da Cidade, no Rio de Janeiro, em 2004.

Escreveu os livros Memórias de um Esquecido e Parábolas da Vida.

Como deputado estadual pelo Rio de Janeiro por quatro legislaturas (1987-1991, 1991-1995, 1999-2003 e 2003-2007)[3] , presidiu a Comissão de Direitos Humanos, liderou o movimento dos pais de vítimas de violência e foi membro honorário do grupo Tortura Nunca Mais.

FOI diretor da Rádio Família Fm 104,5 Mhz no Rio de Janeiro.

Atualmente faz um programa na Rádio Litoral FM em Cabo Frio, onde mora.

Referências