Alberto Brizola

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Alberto Ely Brizola da Silva[1] (Triunfo, 30 de abril de 1959), é um radialista, poeta, compositor e político brasileiro, filiado ao Partido Democrático Trabalhista (PDT).

Começou sua carreira aos 13 anos de idade na rádio A Voz do Oeste, em Cuiabá. No Rio de Janeiro fez sua estréia na extinta Rádio Mundial. Na Rádio Globo apresentou o jornal O Globo no Ar. Entre as emissoras de rádio por onde passou estão Rádio Globo, Rádio Manchete, Rádio 98 FM, Rádio 93 FM, Rádio Roquette Pinto, Rádio Continental e Rádio Sucesso 88,7 FM, entre outras. Alberto Brizola foi o primeiro a fazer tradução de música em rádio, o primeiro a criar um debate e a apresentar um programa romântico em rádio FM. Morou por vários anos no bairro da Ilha do Governador.

Na televisão apresentou o programa Caravana do Amor na Rede Bandeirantes, além de ter sido jurado do programa Cassino do Chacrinha[2] na Rede Globo.

Formou-se em relações internacionais na Faculdade da Cidade, no Rio de Janeiro, em 2004.

Escreveu os livros Memórias de um Esquecido e Parábolas da Vida.

Como deputado estadual pelo Rio de Janeiro por quatro legislaturas (1987-1991, 1991-1995, 1999-2003 e 2003-2007)[3] , presidiu a Comissão de Direitos Humanos, liderou o movimento dos pais de vítimas de violência e foi membro honorário do grupo Tortura Nunca Mais.

Atualmente é diretor da Rádio Família Fm 104,5 Mhz no Rio de Janeiro e também tem seu programa diário.

Referências