Alberto Maria José de Orléans e Bragança

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alberto Maria José de Orléans e Bragança
Nascimento 23 de junho de 1957 (62 anos)
Cidadania Brasil
Progenitores Pai:Pedro Henrique de Orléans e Bragança

Alberto Maria José João Miguel Gabriel Rafael Gonzaga de Orléans e Bragança e Wittelsbach, Príncipe de Orléans e Bragança (Jundiaí do Sul, 23 de junho de 1957), é um advogado e professor brasileiro.

É mais conhecido no meio profissional por Alberto Bragança, ou Príncipe Alberto, ou ainda Príncipe Dom Alberto. Tendo sido alcunhado como o príncipe das fusões, por diversas revistas de economia e negócios, tais como a Exame PME. Tal alcunha se dá por Dom Alberto ser um dos maiores advogados de fusões e aquisições do país, tendo entre os seus clientes o banco Bradesco e o bilionário mexicano Carlos Slim Helú.

Nascido Príncipe do Brasil e Príncipe de Orléans e Bragança, Alberto renunciou aos seus direitos ao extinto trono imperial brasileiro, por si e por sua futura descendência, em 23 de dezembro de 1982. Portanto, D. Alberto continua sendo príncipe de Orléans e Bragança, mas não mais príncipe do Brasil.

É o décimo filho e oitavo varão do príncipe Dom Pedro Henrique de Orléans e Bragança, ex-Chefe da Casa Imperial do Brasil, e da princesa Maria Isabel da Baviera. Sua mãe nasceu como princesa da Baviera, sendo ela neta de Luís III (1913-1918), último rei da Baviera. D. Alberto é irmão do atual chefe da Casa Imperial do Brasil, o imperador brasileiro de jure, Dom Luís de Orléans e Bragança.

O príncipe vem a ser neto do príncipe Dom Luís Maria Filipe de Orléans e Bragança, príncipe do Brasil e príncipe de Orléans e Bragança, e da princesa Maria Pia de Bourbon-Duas Sicílias, princesa das Duas Sicílias, bisneto da princesa Dona Isabel do Brasil, última Princesa Imperial do Brasil, de facto, e do príncipe Gastão de Orléans, Conde d'Eu e príncipe imperial consorte do Brasil, e trineto de Dom Pedro II do Brasil, o último Imperador do Brasil, de facto, e da princesa Teresa Cristina das Duas Sicílias, a última Imperatriz do Brasil, de facto, que nasceu como princesa das Duas Sicílias.

Formação[editar | editar código-fonte]

Bacharelou-se em Direito pela tradicional Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro-UFRJ, em 1980.Pós-graduou-se em Direito Econômico pelo Instituto de Estudos de Direito Econômico-IEDE, em 1983. Tendo sido residente junto ao escritório de advocacia Norton Rose,em Londres, Inglaterra, Reino Unido. É membro da Ordem dos Advogados do Brasil e de Portugal; advoga em um escritório de advocacia na cidade do Rio de Janeiro, o Veirano Advogados, e é associado estrangeiro no departamento jurídico da Organização Marítima Internacional, agência das Nações Unidas. Também é professor de Direito Comercial da Faculdade de Direito da Universidade Cândido Mendes[1]. D. Alberto foi nomeado no primeiro nível ("band 1") de Corporate/M&A pelo diretório "Chambers Latin America".

Tendo a grã-cruz das Imperiais Ordens de Pedro I e da Rosa.

Fala fluentemente o português e o inglês, tendo nível avançado em espanhol e francês.

D. Alberto foi alcunhado "o príncipe das fusões", por diversas revistas de economia e negócios, tais como a Exame PME. Tal alcunha se dá por Dom Alberto ser um dos maiores advogados de fusões e aquisições do país, tendo entre os seus clientes o banco Bradesco e o bilionário mexicano Carlos Slim Helú.

Casamento e filhos[editar | editar código-fonte]

Casou-se no Rio de Janeiro, em 11 de janeiro de 1983, com Maritza Ribas Bokel, paisagista nascida no Rio, em 29 de abril de 1961, filha de Jaddo Barbosa Bokel e Maritza Bulcão Ribas. Sua consorte tem, também, formação em arquitetura e artes plásticas. Tendo sido ela titulada no consórcio "Sua Alteza Real a princesa Dona Maritza de Orléans e Bragança", pelo Chefe da Casa Imperial do Brasil, Dom Luís de Orléans e Bragança.

Sua consorte, que é tetraneta de José de Araújo Aragão Bulcão, 2.° Barão de São Francisco, sobrinha-tetraneta de Joaquim Inácio de Aragão Bulcão, 1.° Barão de Matuim, sobrinha-tetraneta da Baronesa do Rio das Contas, sobrinha-trineta de Antônio de Araújo Aragão Bulcão, 3.° Barão de São Francisco, pentaneta de Joaquim Inácio de Siqueira Bulcão, 1.° Barão de São Francisco, e sobrinha-pentaneta de Francisco Elesbão Pires de Carvalho e Albuquerque, 1.° Barão de Jaguaripe, vem a ser membro duma família da nobreza do Império do Brasil. Sendo ela descendente dos Calmon du Pin e Almeida, Vilas Boas, Bulcão, Pires de Carvalho e Albuquerque, entre outros, e aparentada com os Lima e Silva, entre outras famílias tradicionais brasileiras. Como tal, D. Maritza vem a ser descendente de D. Tomé de Sousa (1503-1579) - o primeiro governador-geral do Brasil Colonial -, por via da ascendência da princesa na Casa da Torre de Garcia d’Ávila.

A união resultou em quatro filhos:

Reside com a família no Rio de Janeiro.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. «Perfil profissional de D. Alberto no site do escritório de advocacia Xavier, Bragança Advogados». Consultado em 30 de agosto de 2012. Arquivado do original em 23 de abril de 2012