Albumina humana

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Human serum albumin
PDB 1o9x EBI.jpg
Identificadores
Nomes alternativos
IDs externosGeneCards: [1]
Wikidata
Ver/Editar Humano

A albumina humana (AH) é um hemoderivado injetável, produzido a partir do plasma sanguíneo humano. Foi desenvolvido na década de 1940. Pertence a uma classe de medicamentos denominada: "substitutos do plasma e das frações proteicas do plasma".[1]

Ação[editar | editar código-fonte]

A Albumina Humana, gera uma pressão oncótica que leva a uma mobilização de fluidos dos tecidos extravasculares para o tecido intravascular. Tal ação, causa o aumento da volémia por conta da hemodiluição, que em alguns casos pode também gerar uma anemia relativa. Tal fato, pode explicar o motivo de a AH ser utilizada como coadjuvante em tratamentos com diuréticos.

Indicações[editar | editar código-fonte]

As indicações terapêuticas da AH estão, em sua maioria, relacionadas à perda da capacidade de produção da albumina pelo próprio organismo, mas podem também incluir: choque e perca de fluidos por hemorragia e/ou queimaduras graves.

Contraindicações[editar | editar código-fonte]

Contra indicada a pacientes com antecedentes de reações alérgicas à albumina, pacientes com anemia severa, em caso de desidratação ou portadores de insuficiência cardíaca.

Referências

  1. Guacira Corrêa de Mato (2007). «Uso racional de albumina humana: um desafio a enfrentar». Conselho Regional de Fármácia de Minas Gerais 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Genética é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.