Alda do Espírito Santo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Alda do Espírito Santo
Nome completo Alda Neves da Graça do Espírito Santo
Nascimento 30 de abril de 1926
São Tomé e Príncipe
Morte 9 de março de 2010 (84 anos)
Nacionalidade São Tomé e Príncipe São tomense
Ocupação Escritora e poetisa
Magnum opus O relógio do tempo

Alda Neves da Graça do Espírito Santo (São Tomé e Príncipe 30 de abril de 1926 - 9 de Março de 2010), conhecida como Alda do Espírito Santo, foi uma escritora e poetisa de língua portuguesa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Quando São Tomé e Príncipe conseguiu a independência de Portugal em 1975, ela ocupou vários altos cargos no governo como; Ministra da Educação e Cultura, Ministra da Informação e Cultura, Presidente da Assembleia Nacional e Secretária-Geral da União Nacional de Escritores e Artistas de São Tomé e Príncipe.[1]

Ela é também autora da letra do hino nacional, Independência total.[2]

É autora dos livros de poemas “O Jogral das Ilhas”, de 1976, e “É nosso o solo sagrado da terra”, de 1978.[1]

Obras Seleccionadas[editar | editar código-fonte]

Entre as suas obras encontram-se:[3]

  • O Jogral das Ilhas (1976) [4]
  • É nosso o solo sagrado da terra (1978) [5]
  • Mataram o rio da minha cidade (2003)
  • Cantos do solo sagrado (2006)
  • O coral das ilhas (2006)
  • Mensagens do solo sagrado (2006)
  • Mensagens do canto do Ossobó (2008)
  • Tempo universal (2008)
  • O relógio do tempo (2008)

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b «Poemas de Alda Espírito Santo | BUALA». www.buala.org. Consultado em 10 de setembro de 2021 
  2. Neto, Ricardo (9 de março de 2020). «Alda Espírito Santo, a figura emblemática da luta da independência completa hoje 10 anos de falecimento». STP-PRESS. Consultado em 10 de setembro de 2021 
  3. «Obras de Alda do Espírito Santo na Biblioteca Nacional de Portugal». Catalogo da Biblioteca Nacional de Portugal. Consultado em 10 de setembro de 2021 
  4. «Biblioteca. Livros de Alda do Espírito Santo». Escritas.org. Consultado em 10 de setembro de 2021 
  5. «É Nosso o Solo Sagrado da Terra». www.goodreads.com. Consultado em 10 de setembro de 2021