Alessandro D'Ancona

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alessandro D'Ancona
Alessandro D'Ancona
Nascimento 20 de fevereiro de 1835
Pisa
Morte 8 de novembro de 1914 (79 anos)
Florença
Nacionalidade Flag of Italy (1861-1946) crowned.svg Reino da Itália
Ocupação escritor, crítico literário, político

Alessandro D'Ancona (Pisa, 20 de fevereiro de 1835 — Florença, 8 de novembro de 1914) foi escritor, crítico literário, político italiano e um estudioso da tradição popular da Itália.

Biografia[editar | editar código-fonte]

D'Ancona nasceu em Pisa, em uma rica família de judeus, e foi educado em Florença. Com a idade de dezoito anos, publicou seu ensaio sobre a vida e a obra do filósofo Tommaso Campanella.[1]

Em 1855 D'Ancona foi para Turim, nominalmente para estudar Direito, mas, na realidade, para agir como intermediário entre os liberais da Toscana e Cavour. Era amigo íntimo de Luigi Carlo Farini e representou a Toscana na Società Nazionale. Com a queda da dinastia austríaca na Toscana (27 de abril de 1859), retornou a Florença, onde editou o jornal recém-fundado La Nazione. Em 1861 foi nomeado professor de literatura italiana na Universidade de Pisa.[1]

Apaixonado e profundo estudioso das tradições populares, D'Ancona empregou nesses estudos a sua experiência de filólogo e a sua habilidade de escritor. Foi o primeiro estudioso a reconhecer as origens do canto popular italiano na Sicília, e sua subsequente emergência na Toscana.

Deve-se também a D'Ancona, a redescoberta dos trabalhos de Cecco Angiolieri, ao publicá-los em sua "Nuova Antologia" em janeiro de 1874. Em 1891 se tornou membro da Accademia Nazionale dei Lincei[2] e dois anos depois fundou a Rassegna bibliografica della letteratura italiana.[3]

Em 1904 foi nomeado senador do Reino de Itália.[3] Foi então prefeito de Pisa no período de 1906-1907.[4]

Condecorações[editar | editar código-fonte]

Obras[editar | editar código-fonte]

Entre seus muitos trabalhos, os seguintes merecem destaque:

  • Opere di Tommaso Campanella, 2 vols., Turim, 1854.
  • Sacre rappresentazioni dei secoli XIV., XV., e XVI, 3 vols, Florença, 1872.
  • Origini del teatro in Italia, 2 vols, Florença, 1877.
  • La poesia popolare italiana Livorno, 1878 (obra pela qual ele manteve correspondência com Francis James Child).
  • Scipione Piattoli e la Polonia, con un'appendice di documenti, Florença, Barbèra, 1915.

Além destes, Alessandro D'Ancona escreveu vários volumes de estudos críticos de literatura, poesia, dramas, ensaios sobre o século XVIII e o Renascimento, edições das obras de Dante e outros autores italianos:

  • Memorie e documenti di storia italiana dei secoli XVIII e XIX, ed. Sansoni 1913
  • La poesia popolare italiana, ed. Giusti 1906
  • Manuale della letteratura italiana (com Orazio Bacci), 6 vol., ed. Barbera 1895
  • Studi di critica e storia letteraria, 2ª edição, Zanichelli, Bolonha 1912 (1ª ed. 1880)

Notas

  1. a b Chisholm, Hugh;. «Ancona, Alessandro». Encyclopædia Britannica (em inglês). 1 1911 ed. Cambridge: Cambridge University Press. pp. p. 951 
  2. Cfr. Gabriella Macciocca, “D'Ancona, Alessandro”, em AA.VV., Letteratura italiana. Gli autori, vol. I, Torino, Einaudi, 1991, p. 645.
  3. a b "Le Muse", De Agostini, Novara, 1965, Vol. IV, pág.63
  4. Cfr. Umberto Renda - Piero Operti, Dizionario storico della letteratura italiana, Torino, G.B. Paravia, 1952, p. 339.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]