Alex Dias Ribeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alex Dias Ribeiro
Informações pessoais
Nacionalidade brasileiro
Nascimento 7 de novembro de 1948 (69 anos)
Belo Horizonte Belo Horizonte, MG
Registros na Fórmula 1
Temporadas 1976-1977, 1979
Equipes 3 (Hesketh, March e Fittipaldi)
GPs disputados 20 (10 largadas)
Primeiro GP Estados Unidos GP do Leste dos Estados Unidos de 1976
Último GP Japão GP do Japão de 1977

Alex Dias Ribeiro (Belo Horizonte, 7 de novembro de 1948) é um ex-piloto brasileiro de Fórmula 1.[1]

Alex Ribeiro foi campeão Brasileiro de Fórmula Ford, vice-campeão inglês e europeu de F3, número 1 no ranking dos pilotos brasileiros em 1973. Na Formula 1, ele disputou dez corridas entre 1976 e 1977, e chegou a estampar a frase “Jesus Salva” no seu carro.[2]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Alex passou sua infância em Brasília, onde começou a acompanhar as provas locais, principalmente as de longa duração, como os 1.000 Km de Brasília.

Em 1970 e 1971, foi bicampeão brasiliense de kart.

Em 1972, estreou na Fórmula Ford, sagrando-se vice-campeão e, já no ano seguinte, conquistou o título da categoria.

Em 1974 iniciou sua carreira internacional pela Fórmula 3 Inglesa, sendo vice-campeão e repetindo o feito em 1975, passando em seguida para a Fórmula 2, último degrau, à época, para a Fórmula 1.

Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Em 1976, estreou na Fórmula 1 pela equipe Hesketh, com o modelo 308-C. Nessa época também competiu pela Fórmula Atlantic, nos Estados Unidos. Em 1977, continuou na Fórmula 1 como piloto da March.

Em 1979 formou dupla com Emerson Fittipaldi na extinta equipe Copersucar-Fittipaldi.

No Total, disputou 10 GPs, obtendo o 8º lugar como sua melhor colocação nos GPs da Alemanha e Canadá em 1977.

Medical Car[editar | editar código-fonte]

Depois de encerrar a carreira na Fórmula 1 sem somar pontos, ele voltou à categoria para pilotar o Medical Car (de 1999 a 2000), mas não se deu lá tão bem. No GP de Mônaco em 2000, ele bateu o Medical Car na curva Tabac, e o médico Sid Watkins, que estava de passageiro, saiu com três costelas quebradas.[3]

Carreira Pós-Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Após sua passagem pela Fórmula 1, deixou temporariamente as pistas para retornar em 1983 no Campeonato Brasileiro de Marcas e no Superkart.

Em 1984 também competiu no Brasileiro de Marcas.

Ainda na década de 80 guiou na Fórmula Ford e Fórmula 3 Sul-Americana, em 1988, mesma categoria pela qual competiu em 1992.

Em 2001 participou do campeonato da Fórmula 3000.

Carreira Longe das Pistas[editar | editar código-fonte]

Nas Olimpíadas de 1988 e Copas do Mundo da Itália 90, USA 94, França 98 e Coreia /Japão 02, ele atuou como capelão dos atletas cristãos da Seleção Brasileira. Palestrante, radialista e escritor, Alex tem três best sellers publicados. Um deles foi traduzido para o inglês, espanhol e árabe e outro ganhou o prêmio ABEC de melhor biografia do ano, totalizando 80.000 livros vendidos.

Depois de se aposentar do automobilismo, Alex se juntou à organização “Atletas de Cristo” , que reúne mais de 7.500 atletas de diversas modalidades.

Desde 1988 é comentarista da Fórmula 1 na Rádio Jovem Pan.

Escreveu 3 livros: "Mais que vencedor", "Ninguém vence sozinho" e "Sucesso e Significado", este com prefácio de Emerson Fittipaldi, pela Editora Hagnos.

Trajetória[editar | editar código-fonte]

  • 1968 - Prêmio Victor - Piloto revelação do ano
  • 1969 - Piloto do ano, Brasília
  • 1970 - Campeão brasiliense de kart
  • 1971 - Bicampeão brasiliense de kart
  • 1972 - Vice-campeão brasileiro de Fórmula Ford
  • 1973 - Campeão brasileiro de Fórmula Ford
    • Primeiro colocado no ranking brasileiro de pilotos
  • 1974 - Vice-campeão inglês de Fórmula 3
  • 1975 - Vice-campeão europeu de Fórmula 3
    • Vários recordes e vitórias na Europa
    • Estreia na Fórmula 2
  • 1976 - Quinto colocado no Campeonato Europeu de Fórmula 2
    • Estreia na Fórmula 1 pilotando um Hesketh 308-C
  • 1977 - Disputou o Campeonato Mundial de Fórmula 1 pela equipe March
  • 1978 - Disputou o Campeonato Europeu de Fórmula 2 com vitória em Nürburgring
  • 1979 - Disputou os GPs de San Marino, Canadá e Estados Unidos pela Equipe Copersucar de Fórmula 1
  • 1983 - Volta às pistas disputando o Campeonato Brasileiro de Marcas e Superkart
  • 1984 - Disputou o Campeonato Brasileiro de Marcas
  • 1988 - Participou do Campeonato Brasileiro de Fórmula Ford e do Campeonato sul-americano de Fórmula 3
  • 1992 - Disputou o Campeonato sul-americano de Fórmula 3
  • 1999/2000 - Piloto do Medical Car da FIA na Fórmula 1 e Fórmula 3000

Todos os resultados de Alex Dias Ribeiro na Fórmula 1[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe Chassi Motor Pneus 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 Pontos Posição
1976 Penthouse Rizla Racing
with Hesketh
Hesketh 308D Ford Cosworth DFV V8 G BRA AFS USW ESP BEL MON SUE FRA GBR ALE AUT HOL ITA CAN USE
12º
JAP 0 NC
(37º)
1977 Hollywood March Racing March 761B Ford Cosworth DFV V8 G ARG
Ret
BRA
Ret
AFS
Ret
USW
Ret
ESP
NQ
MON
NQ
BEL
NQ
SUE
NQ
FRA
NQ
GBR
NQ
ALE
AUT
NQ
HOL
11º
ITA
NQ
USE
15º
CAN
JAP
12º
0 NC
(27º)
1979 Fittipaldi Automotive Fittipaldi F6A Ford Cosworth DFV V8 G ARG BRA AFS USW ESP BEL MON FRA GBR ALE AUT HOL ITA CAN
NQ
USA
NQ
- -

Títulos[editar | editar código-fonte]

  • Bicampeão brasiliense de kart (1979 e 1971);
  • Campeão Brasileiro de F-Ford (1973)
  • Campeão da F-3 Inglesa (1974);
  • Campeão da Taça Europeia de F-3 (1975)

Referências

  1. terceirotempo.bol.uol.com.br/ Que Fim Levou? Alex Dias Ribeiro - Piloto brasileiro
  2. Gustavo Coelho (4 de agosto de 2008). «Você Sabia? - Fórmula 1 e Religião». Sidney Rezende. Consultado em 21 de stembro de 2012  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. uolesporte.blogosfera.uol.com.br/ Político, fazendeiro, vendedor: veja os empregos dos pilotos que se aposentaram na F1

Ligações externas[editar | editar código-fonte]