Alexandre Ferreira Pinto Basto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alexandre Ferreira Pinto Basto
Nascimento 30 de novembro de 1895
Lisboa
Nacionalidade Portugal Portugal
Ocupação Empresário, político e ferroviário
Empregador Companhia do Caminho de Ferro de Benguela
Cargo Presidente do Conselho de Administração, Vereador da Câmara Municipal de Lisboa

Alexandre Ferreira Pinto Basto ComCGOIHGCIH (Lisboa, 3/30 de Novembro de 1895 —) foi um empresário e administrador de empresas que, entre outras funções, foi presidente do conselho de administração da Companhia do Caminho de Ferro de Benguela e deputado à Assembleia Nacional do Estado Novo na IV Legislatura (1945-1949)[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Filho de António Aloísio de Atouguia Ferreira Pinto Basto (Lisboa, 1 de Fevereiro de 1862 - ?), neto materno do 1.º Visconde de Atouguia, e de sua mulher e prima-sobrinha (Lisboa, 8 de Maio de 1889) Alice Ferreira Pinto Basto (Lisboa, 25 de Maio de 1865 - Lisboa, 8 de Agosto de 1953), ambos de ascendência Inglesa.

Casou a 25 de Agosto de 1919 com Maria Teresa Perestrelo de Albuquerque d' Orey (20 de Abril de 1895 - ?), sobrinha-neta do 1.º Visconde de São Torquato, com geração.

Carreira política e profissional[editar | editar código-fonte]

Foi Vereador na Câmara Municipal de Lisboa[1], e também foi deputado[2] tendo realizado várias intervenções parlamentares durante a Quarta Legislatura do Parlamento Português, entre 1945 e 1949.[1]

Em 26 de Maio de 1967, participou na cerimónia do 64.º aniversário da Companhia do Caminho de Ferro de Benguela, em Nova Lisboa, ocupando nessa altura a posição de presidente do Conselho de Administração.[3]

Também participou na Reunião Internacional dos Transportes, em Joanesburgo.[2]

Homenagens[editar | editar código-fonte]

A 14 de Outubro de 1952, foi feito Comendador da Ordem Militar de Cristo pelo Ministro do Ultramar, pelas suas acções como deputado, presidente da Companhia do Caminho de Ferro de Benguela, e como delegado na Reunião Internacional dos Transportes.[2] A 11 de Julho de 1968, recebeu o grau de Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique, tendo sido elevado a Grã-Cruz da mesma Ordem a 22 de Maio de 1971.[4]

Referências

  1. a b c «Alexandre Ferreira Pinto Basto» (PDF). Assembleia da República. Parlamento dos Jovens. Consultado em 25 de Agosto de 2011. 
  2. a b c «O Presidente do Conselho de Administração do Caminho de Ferro de Benguela, Dr. Alexandre Pinto Basto, foi agraciado com a comenda da Ordem de Cristo» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 65 (1557). 1 de Novembro de 1952. p. 323. Consultado em 16 de Janeiro de 2014. 
  3. «A grande confraternização da família do Caminho de Ferro de Benguela» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 80 (1907). 1 de Junho de 1967. p. 93. Consultado em 16 de Janeiro de 2014. 
  4. «Ordens Honoríficas Portuguesas». Presidência da República Portuguesa. Ordens.presidencia.pt