Alexandre Ramagem

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alexandre Ramagem
Alexandre Ramagem em 2019.
Diretor-Geral da
Agência Brasileira de Inteligência
Período 11 de Julho de 2019
a atualidade
Presidente Jair Bolsonaro
Antecessor Janér Tesch Hosken Alvarenga
Dados pessoais
Nome completo Alexandre Ramagem Rodrigues
Nascimento 08 de maio de 1972 (48 anos)
Rio de Janeiro (RJ)
Nacionalidade brasileiro
Alma mater Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio)
Cônjuge Rebeca Teixeira Ramagem Rodrigues

Alexandre Ramagem Rodrigues (Rio de Janeiro, 8 de maio de 1972) é um delegado brasileiro, atual Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN). Ramagem foi nomeado Diretor-Geral da Polícia Federal do Brasil, mas, após decisão do ministro Alexandre de Moraes do Supremo Tribunal Federal (STF) que suspendeu a nomeação, esta e a exoneração do cargo na ABIN foram tornadas sem efeito pelo Presidente Bolsonaro.[1][2][3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Graduado em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), ingressou no Departamento de Polícia Federal em 2005,[4] onde comandou as divisões de Administração de Recursos Humanos e de Estudos, Legislações e Pareceres, e atuou na área de coordenação de eventos como a Copa do Mundo de 2014, a Olimpíada de 2016 e a Rio+20, Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente.[5]

Ramagem chefiou a equipe de segurança de Jair Bolsonaro durante a campanha presidencial de 2018 após o atentado em Juiz de Fora.[6] Em março de 2019, foi nomeado assessor do Carlos Alberto dos Santos Cruz, ministro da Secretaria de Governo, e se manteve na função mesmo após a demissão do Ministro e a nomeação de Luiz Eduardo Ramos, em junho de 2019.[7]

Em julho de 2019, o delegado Ramagem foi nomeado Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência pelo Presidente Jair Bolsonaro, possuindo, entre outras atribuições, coordenar as atividades de inteligência no âmbito do Sistema Brasileiro de Inteligência e assistir o Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, ao qual a agência é vinculada.[8] Em abril de 2020, Ramagem deixou a função de Diretor-Geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin),[9] sendo nomeado como Diretor-Geral da Polícia Federal, sucedendo Maurício Valeixo. Sua nomeação no entanto foi indeferida pelo ministro do STF Alexandre de Moraes,[10] que atendeu um mandado de segurança apresentado pelo PDT.[11]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Alexandre Ramagem é casado com Rebeca Teixeira Ramagem Rodrigues, nascida em Fortaleza (CE), ex-delegada civil de Roraima, atual procuradora[12] e ex-filiada do PSDB. Ela foi acusada, no passado, de se beneficiar de erro jurídico do governo para ter o direito a R$ 660 mil do estado de Roraima, mas decisão judicial condenou os jornais responsáveis a indenizarem o casal Ramagem pelas falsas acusações.[13][14]

Referências

  1. «Diário Oficial da União: Decretos de 27 de abril de 2020». Imprensa Nacional. 28 de abril de 2020. Consultado em 28 de abril de 2020 
  2. «Diário Oficial da União: Decretos de 29 de abril de 2020». Imprensa Nacional. 29 de abril de 2020. Consultado em 29 de abril de 2020 
  3. Mazui, Guilherme; Klava, Nilson (29 de abril de 2020). «Após decisão de Moraes, governo desiste de nomear Ramagem e procura outro diretor para a PF». G1. Consultado em 29 de abril de 2020 
  4. «Diretor-geral». Abin. Consultado em 28 de abril de 2020 
  5. «Novo diretor-geral da PF, Alexandre Ramagem está na corporação desde 2005 e é amigo da família Bolsonaro; veja perfil». G1. 28 de abril de 2020. Consultado em 28 de abril de 2020 
  6. Serapião, Fabio (29 de outubro de 2018). «PF eleva nível de segurança de Bolsonaro e escala dois delegados para coordenação». Estadão. Consultado em 28 de abril de 2020 
  7. Dantas, Claudio (8 de março de 2019). «Ex-chefe de segurança de Bolsonaro vai comandar 'núcleo de inteligência' na Presidência». O Antagonista. Consultado em 28 de abril de 2020 
  8. Benedito da Silva, José (26 de junho de 2019). «Chefe da segurança de Bolsonaro na campanha será o novo diretor da Abin». VEJA. Consultado em 28 de abril de 2020 
  9. «Senado Federal - Programa e-Cidadania - Evento Interativo». Consultado em 24 de abril de 2020 
  10. «STF suspende nomeação de Ramagem para direção da PF». 29 de abril de 2020. Consultado em 29 de abril de 2020 
  11. Souza, Renato (29 de abril de 2020). «Alexandre de Moraes suspende nomeação de Ramagem para diretor-geral da PF». Correio Braziliense. Consultado em 29 de abril de 2020 
  12. «Apontado como novo diretor da PF é casado com cearense e foi nomeado superintendente no Ceará». O Povo Online. 25 de abril de 2020. Consultado em 29 de abril de 2020 
  13. Segalla, Vinicius (29 de abril de 2020). «Esposa de Ramagem foi filiada ao PSDB até 2019 e recebeu salário como delegada por dois anos, estando destacada em outras funções». Diário do Centro do Mundo (DCM). Consultado em 29 de abril de 2020 
  14. «Bolsonaro tenta aval do STF para nomear amigo de Carlos na chefia da PF». NSC Total. 27 de abril de 2020. Consultado em 29 de abril de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.