Alexandre Rey Colaço

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alexandre Rey Colaço
Alexandre Rey Colaço
Informação geral
Nome completo Alexandre Jorge Maria Idalécio Raimundo Rey Colaço
Nascimento 30 de abril de 1854
Origem Tanger
País  Marrocos
Data de morte 11 de setembro de 1928 (74 anos)
Outras ocupações Professor de Sua Altezas, os Infantes de Portugal
Pianista A. Rey Colaco, Giovanni Boldini

Alexandre Jorge Maria Idalécio Raimundo Rey Colaço (Tanger, Marrocos, 30 de abril de 1854 - Lisboa, 11 de setembro de 1928) foi um pianista, compositor português e professor dos príncipes D. Luís Filipe de Bragança e D. Manuel de Bragança (futuro rei D. Manuel II de Portugal).

Seu pai, Paul Théophile André Rey, era cidadão francês nascido em Larnaca, Chipre, e sua mãe, María de los Dolores Raimunda Paula Colaço, nascida em Tanger, de origem luso-espanhola.

Estudou piano no Conservatório de Música de Madrid e deu seu primeiro recital em Lisboa, no ano de 1881. Pedro Eugénio Daupias, 1.º Visconde de Daupias, estava presente e ficou tão impressionado que lhe ofereceu uma viagem a Paris para que ali continuasse seus estudos.

De Paris, mudou-se para Berlim onde estudou piano e composição na Academia Real de Música. Por seu extraordinário talento, foi convidado a ensinar piano na mesma Escola, cujo diretor era o famoso violinista húngaro Joseph Joachim, grande intérprete e amigo de Robert Schumann e Johannes Brahms. Em 1887, Colaço voltou a Lisboa e tornou-se cidadão português.

Nesse mesmo ano, casou-se em Berlim, no dia 11 de dezembro, com Alice Schmidt Constant Lafourcade. O casal teve quatro filhas - Jeanne (1888), Alice (1893) Maria Adalgisa e Amélia Rey Colaço (1898)

Foi indicado para ser professor do Conservatório de Música e contribuiu amplamente para a cultura de seu país como intérprete, compositor e professor, tendo sido mestre do infante D. Manuel de Saxe-Coburgo-Gotha e Bragança, que seria depois o último rei de Portugal[1].

Encontra-se colaboração da sua autoria na Revista do Conservatório Real de Lisboa [2] (1902), e na revista Atlântida[3] (1915-1920).


Obra[editar | editar código-fonte]

Os trabalhos de Colaço estão entre os primeiros a incorporar temas populares portugueses à música para piano: Coleção de Fados,Bailarico, Jota, Malagueña e Pequenas peças, Cantigas de Portugal (para piano e voz). Também escreveu o livro De Música, sobre sua experiência e reflexões acerca da música.


Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Nóvoa, António (dir.) (2003). Dicionário de Educadores Portugueses. Porto: Edições Asa. ISBN 978-972-4136110 

Referências

  1. Nóvoa 2003, pp. 382-384, GOMES, Carlos Alberto s. v. «Alexandre Rey Colaço»
  2. Helena Roldão (07 de novembro de 2014). «Ficha histórica:Revista do Conservatório Real de Lisboa: publicação mensal ilustrada (1902)» (PDF). Hemeroteca Municipal de Lisboa. Consultado em 23 de julho de 2015  Verifique data em: |data= (ajuda)
  3. Atlântida : mensário artístico literário e social para Portugal e Brazil (1915-1920) [cópia digital, Hemeroteca Digital]