Alexandre de Rhodes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alexandre de Rhodes
Nascimento 15 de março de 1591
Avinhão
Morte 5 de novembro de 1660 (69 anos)
Isfahan
Cidadania Estados Pontifícios
Ocupação lexicógrafo, linguista, tradutor, missionário
Religião Catolicismo

Alexandre de Rhodes, S.J. (Avinhão, 15 de março de 1591[1]Ispaão, 5 de novembro de 1660) foi um missionário jesuíta e lexicógrafo francês, que teve um impacto duradouro no cristianismo do Vietname durante os séculos XVI e XVII. É o autor do Dictionarium Annamiticum Lusitanum et Latinum, o primeiro dicionário trilingue escrito em vietnamita, português e latim, que fora publicado em Roma, em 1651.[2][3][4]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mapa de "Aname", traçado por Alexandre de Rhodes (1651), que mostra "Cochinchina" (à esquerda) e "Tonquim" (à direita).

Alexandre de Rhodes nasceu em Avinhão, Estados Papais (na atual França). Segundo algumas fontes, ele possuía ascendência judaica.[5] Tornou-se noviço da Companhia de Jesus a 24 de abril de 1612 em Roma, tendo dedicado sua vida ao trabalho missionário. Em 1624, foi enviado para as Índias, onde embarcou à Cochinchina com o companheiro jesuíta Girolamo Maiorica (também conhecido como Jerónimo Maiorica), e estudou a língua vietnamita sob Francisco de Pina.[6] Três anos depois, ele iniciou uma missão em Tonquim, a pedido de um jesuíta superior em Macau. Em 1627, embarcou a Tonquim, no Vietname onde trabalhou até 1630, até ser forçado a partir. Durante três anos manteve relações próximas com a Corte de Hanói durante os reinados de Trịnh Tùng e Trịnh Tráng. Foi durante esse tempo que ele compôs Ngắm Mùa Chay, uma devoção católica popular até a atualidade, tendo meditado sobre a paixão de Cristo na língua vietnamita.[7] Foi expulso do Vietname em 1630 por Trịnh Tráng que o acusou de ser um espião da família Nguyễn. Rhodes afirmou nos seus relatórios ter convertido mais de seis mil vietnamitas.

Do Vietname, Rhodes foi enviado a Macau colonial portuguesa, onde ele passou dez anos. Após regressar ao Vietname, partiu para as terras dos senhores de Nguyễn, próximas a Huế. Lá ele viveu por seis anos, mas acabou despertando o descontentamento de Nguyễn Phúc Lan, que o condenou à morte.

Após a sua sentença ter sido reduzida ao exílio, Rhodes retornou a Roma em 1649 e pediu um aumento no financiamento de missões católicas do Vietname, contando histórias um tanto exageradas sobre as riquezas naturais encontradas lá. Este apelo de Alexandre de Rhodes originou a criação da Sociedade para as Missões Estrangeiras de Paris em 1659. Nessa conformidade, por não ser possível que os portugueses e nem o papa terem demonstrado interesse no projeto, Alexandre de Rhodes, com o acordo do papa Alexandre VII, encontrou voluntários seculares em Paris como François Pallu e Pierre Lambert de la Motte, os primeiros membros da Sociedade para as Missões Estrangeiras de Paris, que foram enviados ao Extremo Oriente como vigários apostólicos.[8][9][10]

Alexandre de Rhodes foi enviado à Pérsia, onde morreu em Ispaão, em 1660, tendo sido sepultado no Cemitério Arménio de Nova Julfa.

Em 1943, a colónia francesa da Indochina emitiu um selo postal de 30c em sua homenagem. Em 2001 o artista vietnamita Nguyen Dinh Dang pintou em homenagem a Alexandre de Rhodes e Nguyen Van Vinh.[11]

Obras[editar | editar código-fonte]

Uma página do dicionário de 1651, Dictionarium Annamiticum Lusitanum et Latinum.

Enquanto estava no Vietname, Alexandre elaborou um alfabeto vietnamita antigo baseado nas obras dos antigos missionários portugueses. Rhodes compilou um catecismo, Phép giảng tám ngày, e o dicionário de tradução escrito em vietnamita, português e latim, Dictionarium Annamiticum Lusitanum et Latinum. Ambas publicadas em Roma em 1651, as obras de Rhodes refletiram a sua deferência a partir do alfabeto derivado do latim em vez da escrita Nôm.[12] Posteriormente aperfeiçoada como chữ Quốc ngữ, foi a partir do século XX que tornou-se de facto a forma escrita da língua vietnamita. No entanto, o catecismo e os textos devocionais de Jerónimo Maiorica refletiam a favor da escrita chữ Nôm, que foi a escrita dominante da literatura cristã vietnamita até ao século XX.[13]

Alexandre de Rhodes também escreveu vários livros sobre o Vietname e as suas viagens por lá, incluindo:

  • Relazione de’ felici successi della santa fede predicata dai Padri della Compagnia di Giesu nel regno di Tunchino (Roma, 1650)
  • Tunchinesis historiae libri duo, quorum altero status temporalis hujus regni, altero mirabiles evangelicae predicationis progressus referuntur: Coepta per Patres Societatis Iesu, ab anno 1627, ad annum 1646 (Lião, 1652)
  • Histoire du Royaume de Tunquin, et des grands progrès que la prédication de L’Évangile y a faits en la conversion des infidèles Depuis l’année 1627, jusques à l’année 1646 (Lião, 1651)
  • Divers voyages et missions du P. Alexandre de Rhodes en la Chine et autres royaumes de l'Orient (Paris, 1653)
  • La glorieuse mort d'André, Catéchiste (pub. 1653)

Notas e referências

Notas

* Este artigo foi inicialmente traduzido do artigo da Wikipédia em inglês, cujo título é «Alexandre de Rhodes», especificamente desta versão.

Referências

  1. Alguns académicos contemporâneos sugerem que Rhodes teria nascido em 1593. Ver Eduardo Torralba, S.I., "La Date de naissance du Père de Rhodes: 15 mars 1591, est-elle exacte?", em Bulletin de la Societé des Etudes Indochinoises, n.s. 35 (1960), 683–689, sobre o desacordo sobre a data de nascimento de Rhodes. Enquanto algumas fontes, incluindo a Enciclopédia Católica, indicam que a data é de 1591, os especialistas como Torralba, Peter Phan, Claude Larre, Pham Dinh Khiem, e Joseph Dehergne atribuíram a data de 1593.
  2. Hausmann, Franz Josef. Wörterbücher: Ein Internationales Handbuch Zur Lexikographie (em alemão). [S.l.: s.n.] p. 2583 
  3. Cowles, James (1844). Researches Into the Physical History of Mankind (em inglês). [S.l.]: Sherwood, Gilbert & Piper. p. 501 
  4. Guillemin, Alain. «Alexandre de Rhodes Inventou o quôc ngu?» (pdf). Universidade de Ais de Provença. Consultado em 14 de abril de 2020 
  5. Sousa, Ivo Carneiro de (2013). «The First French in Macao. The Jesuit Alexandre de Rhodes» (em inglês). Instituto Cultural de Macau 
  6. «Customs and Culture of Vietnam» (em inglês). www.militaryliving.com. Consultado em 14 de abril de 2020. Cópia arquivada em 5 de maio de 2006 
  7. C, Phan, Peter (2015). Mission and Catechesis: Alexandre de Rhodes & Inculturation in Seventeenth-Century Vietnam (em inglês). [S.l.]: Orbis Books. ISBN 9781608334742 , "Adaptations of Christian liturgy", n. 5.
  8. Nhung Tuyet Tran, Anthony Reid. Viet Nam (em inglês). [S.l.: s.n.] p. 222 
  9. Daughton, James Patrick. An Empire Divided (em inglês). [S.l.: s.n.] p. 31 
  10. Asia in the Making of Europe (em inglês). [S.l.: s.n.] p. 229–230 
  11. «The Introduction of Roman Writing Into Vietnam (The transcendental Death of Mr. Nguyen Van Vinh)» (em inglês) 
  12. Sidwell P., Jenny M. (2014). The Handbook of Austroasiatic Languages (em inglês). 2. [S.l.]: BRILL. p. 909 
  13. Ostrowski, Brian Eugene (2010). «The Rise of Christian Nôm Literature in Seventeenth-Century Vietnam: Fusing European Content and Local Expression». In: Wynn Wilcox. Vietnam and the West: New Approaches (em inglês). Ithaca, Nova Iorque: SEAP Publications, Chương trình Đông Nam Á Cornell, Đại học Cornell. p. 23, 38. ISBN 9780877277828