Alfabeto aramaico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alfabeto aramaico
Tipo Abjad
Línguas faladas aramaico
Período 200 a.C. até hoje
Sistemas Hieróglifos egípcios
 → Escrita proto-sinaítica
  → Alfabeto fenício
   → Alfabeto aramaico
Sistemas filhos Alfabeto hebraico

Alfabeto de Palmira
Alfabeto mandaico
Escrita pahlavi
Escrita brahmi
Escrita kharosthi
Alfabeto siríaco
  →Alfabeto sogdiano
    →Alfabeto de Orkhon (disputado)
      →Runas húngaras
    →Uigur antigo
    →Alfabeto mongol
  →Alfabeto nabateu
    →Alfabeto árabe
      →Alfabeto N'ko

Faixas de códigos Unicode U+10840–U+1085F
ISO 15924 Armi
Nota: esta página pode conter símbolos fonéticos IPA em Unicode.

O sistema de escrita aramaico foi um abjad[1] [2] muito difundido na região da Mesopotâmia a partir do séc a.C., sendo então adotado pelos persas.

Diferente do latim que caiu em desuso por volta de 1300, o aramaico ainda hoje é uma língua ativa em regiões do interior da Síria,[3] da Turquia[4] e do Iraque.[5]

O aramaico é um idioma muito esclarecedor para a história da humanidade e sua importância reside no fato de ser o elo para conhecer a pronúncia dos nomes e dos sons das consoantes que formam o alfabeto hebraico; língua que esteve em desuso quotidiano (porém manteve o uso na religião judaica), muito antiga que até meados do século XX era impronunciável devido à ausência das vogais.

Diferente do alfabeto hebraico, o aramaico sempre foi usado no interior da Síria e sua preservação se deve ao fato de ser escrito e falado pelos aldeões cristãos que durante milênios habitavam as diversas cidades ao norte de Damasco, entre elas reconhecidamente em Ma'lula e Yabrud "onde Jesus Cristo morou por 3 dias"[carece de fontes?] e outras aldeias da Mesopotâmia por onde Cristo passou[carece de fontes?], como Tur'Abdin e Mardin ao sul da Turquia.

No início do século passado, devido a perseguições políticas e religiosas fizeram com que milhares desses cristãos imigrassem para o ocidente onde hoje restam poucas centenas deles.

Escrita[editar | editar código-fonte]

A escrita aramaica é abjad, ou seja, usa somente consoantes. O sentido de escrita é da direita para a esquerda em linhas horizontais, como ocorre, por exemplo, com as escritas hebraica e árabe.

O primitivo alfabeto aramaico contava com 22 símbolos para consoantes, as quais sofreram modificações por volta do século V a.C. e passaram a apresentar duas formas, uma cursiva e outra dita "quadrada", com traços mais retilíneos.

Alfabeto aramaico imperial[editar | editar código-fonte]

A tabela abaixo [6] apresenta formas do alfabeto aramaico usadas no Egito no século V a.C. As denominações estão conforme o aramaico bíblico. São apresentados os equivalentes hebraico, árabe e siríaco.

Nome da letra Forma da letra Letra Hebraico Árabe Siríaco Fonologia
Ālaph Aleph.svg 𐡀 א أ ܐ /ʔ/; /aː/, /eː/
Bēth Beth.svg 𐡁 ב ب‎ ܒ /b/, /v/
Gāmal Gimel.svg 𐡂 ג ج ܓ /ɡ/, /ɣ/
Dālath Daleth.svg 𐡃 ד د‎ ܕ /d/, /ð/
He0.svg 𐡄 ה ﻫ‎ ܗ /h/
Waw Waw.svg 𐡅 ו و‎ ܘ /w/; /oː/, /uː/
Zain Zayin.svg 𐡆 ז ز‎ ܙ /z/
Ḥēth Heth.svg 𐡇 ח خ,ح ܚ /ħ/
Ṭēth Teth.svg 𐡈 ט ط ܛ /tˤ/ enfático
Yudh Yod.svg 𐡉 י ي ܝ /j/; /iː/, /eː/
Kāph Kaph.svg 𐡊 כ ך ك ܟܟ /k/, /x/
Lāmadh Lamed.svg 𐡋 ל ل ܠ /l/
Mim Mem.svg 𐡌 מ ם م‎ ܡܡ /m/
Nun Nun.svg 𐡍 נ ן ن ܢܢ ܢ /n/
Semkath Samekh.svg 𐡎 ס س ܣ /s/
Ayin -‘Ē Ayin.svg 𐡏 ע غ,ع ܥ /ʕ/
Pe0.svg 𐡐 פ ף ف ܦ /p/, /f/
Ṣādhē Sade 1.svg, Sade 2.svg 𐡑 צ ץ ص‎ ܨ /sˤ/ enfático
Qoph Qoph.svg 𐡒 ק ق‎ ܩ /q/
Rēsh Resh.svg 𐡓 ר ر ܪ /r/
Shin[desambiguação necessária] Shin.svg 𐡔 ש ش,س ܫ /ʃ/
Tau Taw.svg 𐡕 ת ت‎,ث ܬ /t/, /θ/

Referências

  1. "Abjads". Omniglot. Consult. 19 de Janeiro de 2012. 
  2. Bringhurst, Robert. A Forma Sólida da Linguagem. São Paulo: Rosari, 2006. 71-72 p. ISBN 85-88343-44-4
  3. Brock, Sebastian. "An Introduction to Syriac Studies" (PDF) (em inglês). Consult. 31 de outubro de 2014. A Western Aramaic dialect survives only in three villages in the Anti-Lebanon (two Muslim, and one—Ma‘lula—Christian) 
  4. Jastrow, Otto. (1986). "The Turoyo Language Today" (PDF). Journal of Assyrian Academic Studies I. Fund for Modern Assyrian Studies. Visitado em 28 de dezembro de 2015.
  5. "Assyrian Neo-Aramaic". Ethnologue: Languages of the World (em inglês). SIL International. Consult. 18 de setembro de 2015. 
  6. A Grammar of Biblical Aramaic de Franz Rosenthal

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.