Alfabeto carbonário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde agosto de 2014). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

O alfabeto carbonário é um cifrário monoalfabético, ou seja, forma pares equivalentes de letras para substituição de uma por outra, mas não de forma aleatória, obedecendo a regras de articulação das letras:

  • Com pronuncia labial (B:P);
  • Palatal (S:Z);
  • Dental (F:V);
  • Vocal com abertura similar (A;O) e (E:I).

Portanto, este alfabeto prevê que uma letra substitua outra, segundo a seguinte regra de conversão:

Original : A|B|C|D|E|F|G|H|I|L|M|N|O|P|Q|R|S|T|U|V|Z
Criptado: O|P|G|T|I|V|C|H|E|R|N|M|A|B|Q|L|Z|D|U|F|S

Destarte pode-se apresentar como exemplo:

Original: PREFERISCO IL GELATO
Criptado: BLIVILEZGA ER CIRODA

Esta criptografia era utilizada nas cartas secretas pelos membros da carbonária italiana, sociedade secreta fundada em Nápoles, no início dos 1800, de valores patrióticos e liberais.

Este alfabeto foi um dos primeiros cifrados a utilizar um cifrário com letras superpostas.

Ver Também[editar | editar código-fonte]