Alfonso Antonio Portillo Cabrera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Alfonso Antonio Portillo Cabrera
Alfonso Antonio Portillo Cabrera
Presidente da  Guatemala
Período 14 de janeiro de 200014 de janeiro de 2004
Antecessor(a) Álvaro Enrique Arzú Irigoyen
Sucessor(a) Óscar Berger
Dados pessoais
Nascimento 24 de setembro de 1951 (66 anos)
Zacapa, Guatemala
Partido Frente Republicano Guatemalteco
Profissão político

Alfonso Antonio Portillo Cabrera (Zacapa, 24 de setembro de 1951) foi Presidente da Guatemala de 14 de janeiro de 2000 a 14 de janeiro de 2004.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Zacapa, município do oriente do país, no seio de uma família de classe média, mudou-se a México aos 19 anos onde realizou seus estudos universitários, graduando-se como Licenciado em Ciências Jurídicas e Sociais, na Universidade Autônoma de Guerrero e, posteriormente, obtendo um doutorado em Ciências Econômicas na Universidade Nacional Autônoma de México (UNAM). Durante a década de 1970, quando tinhia 20 anos, se vinculou a organizações indígenas e de esquerda. Neste período em que esteve no México, ocorreu um incidente em que Alfonso Portillo atirou e matou dois estudantes. O próprio Portillo admitiu este incidente, e alegou ter atirado em legítima defesa.[1][2]

Iniciou sua vida política filiando-se ao Partido Socialista Democrático - PSD, e em 1989 incorporou-se ao partido Democracia Cristã Guatemalteca - DCG, do qual chegou a ser secretário geral. Exerceu como diretor do Instituto Guatemalteco de Estudos Sociais e Políticos, bem como catedrático universitário de direito, política e economia em diferentes universidades da América Latina.

No ano 1995 desliga-se do DCG e posteriormente integra-se ao partido ultra-direitista Frente Republicano Guatemalteco, fundado pelo general de reserva e ex-ditador Efraín Ríos Montt. O partido foi originalmente criado para apoiar as aspirações presidenciais de Rios Montt, mas por impedimento constitucional este foi incapaz de postulá-lo. Isto tornou possível a candidatura de Portillo, que perdeu as eleições de 1995 contra Álvaro Enrique Arzú Irigoyen. Em 1999 Alfonso Portillo voltou a se candidatar, desta vez obtendo uma ampla vitória sobre o candidato oficial Óscar Berger, tomando posse em janeiro de 2000.

Referências

  1. Jan Kirk (9 de novembro 1999). «"Self-confessed killer leads poll in Guatemala"». The Independent (London) 
  2. Serge F. Kovaleski (7 de novembro de 1999). «"A Killer, and Perhaps a President; Candidate With Violent Past Leads in Polls for Today's Guatemalan Vote"». The Washington Post. Not only has leading presidential candidate Alfonso Portillo admitted to fatally shooting two men--in what he says was self-defense--during a brawl in Mexico 17 years ago, but he has come close to boasting about it in TV campaign commercials. 
Precedido por
Álvaro Enrique Arzú Irigoyen
Presidente da Guatemala
20002004
Sucedido por
Óscar Berger