Alfred J. Kwak

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde janeiro de 2011)
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.


Alfred J. Kwak
Informação geral
Formato Série de desenho animado
Duração 25 minutos (aproximadamente)
Criador(es) Herman van Veen
País de origem Países Baixos
Alemanha
Japão
Produção
Produtor(es) Telecable Benelux B.V.
Exibição
Emissora de
televisão original
VARA (Países Baixos)
TV Tokyo (Japão)
ZDF (Alemanha)
Transmissão original 1989  — 1991
Nº de temporadas 2
Nº de episódios 52

Alfred J. Kwak é um desenho animado holando-japonês de 1989, baseado na peça teatral homônima de Herman van Veen, que também escreveu e cantou músicas para os desenhos. O desenho foi produzido por Harlekjin, Siepermann und Bacher, Telecable Benelux, Toho Co. Ltd. (a mesma produtora de Godzilla) e pela TV Tokyo (co-produtora de Sonic X). Alfred J. Kwak é o protagonista do desenho homônimo, inicialmente veiculado pela VARA. Comparado com outras animações direcionadas às crianças (tais como Shaman King, Pokémon, Beyblade, Medabots, Kimba, o Leão Branco, e Sonic the Hedgehog (SatAM)), Alfred J. Kwak aborda excepcionalmente temas maduros e muitas vezes dramáticos. No 2º episódio, justo após o nascimento de Alfred, sua família é covardemente assassinada por um carro. Alfred, então, é criado por Henk, a toupeira.

O desenho é também notável pelos temas políticos abordados. No desenho, Alfred luta contra um político homicida, esconde fugitivos de um condado sob apartheid (com gansos brancos e patos negros), salva baleias de homicidas, e supervisiona mudanças de seu condado de uma monarquia absoluta para uma constitucional. Temas semelhantes são tipicamente distantes de um desenho infantil, e formam uma grande parte do apelo de Alfred J. Kwak. Outros episódios têm satirizado o amor japonês por golfe, e criticado condados que têm dívidas econômicas aguçadas de norte/sul.

O desenho é também incomum para a sua narrativa de longo termo. Na maioria dos desenhos infantis, os personagens não envelhecem. Em Alfred J. Kwak, vemos o progresso dos protagonistas de crianças para adultos já que a série progredem. Isto é particularmente notável no personagem Dolf. No início um mero aluno travesso, vemos já que seu mal progrede firmemente. Além disso, apesar de a maior parte da população do mundo ser descrita como "animais antropomórficos", os humanos são vistos, ainda que sejam descritos como feras selvagens, que são, por exemplo, enjaulados em circos, com "domadores humanos" para treiná-los para os shows.

Os desenhos foram elaborados por Harald Siepermann (famoso por sua arte em filmes da Disney, como Uma Cilada para Roger Rabbit, Mulan, Tarzan e Irmão Urso, entre outros). No Brasil, Alfred J. Kwak foi exibidos no SBT, no Programa do Bozo, no Show da Simony, no programa Oradukapeta e no Show Maravilha, bem como em outros programas desta emissora.

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Alfred J. Kwak: Um pato. Quando bebê, vive em um tamanco grande com sua família. Posteriormente, passa a viver com seu pai adotivo, Henk, em um covil. Ele é muito preocupado com outras pessoas. Ele sempre se mete em um grande drama, porém sua canção favorita é "Ik ben vandaag zo vrolijk (Eu Estou Feliz Hoje)". Alfred não enfrenta só Dolf e Lipsel, como enfrenta também o corrupto Prefeito Crocodilo, o macaco egoísta NittyLocopan, o gato comilão Patas Arranhão, e as autoridades do estado "Atrique" do apartheid ao estilo sul-africano.
  • Henk: Uma toupeira. Henk criou Alfred após a morte criminosa de sua família.
  • Dolf: O vilão homicida desta história. Líder de "Kraaienpartij (Partido dos Corvos)". Uma figura brutal que só se interessa em poder. Ele usa um uniforme Napoleônico, mas Dolf claramente descreve Adolf Hitler (Dolf, diminutivo de Adolf, foi um nome de um garoto popular holandês para pessoas que apoiavam a NSDAP durante a Segunda Guerra Mundial). Dolf se entrega à maioria dos grandes atos maliciosos da trama, incluindo um golpe de estado de estilo fascista que organiza. Em vários pontos, faz assaltos a lojas, tráfico de armas, sequestra animais inocentes para vendê-los aos circos, atira no Lipsel, e acaba prejudicando a barragem durante a campanha das eleições do condado, causando morte acidental e qualquer dano sem conserto. A representação das regras de Dolf satiriza o Nazismo, completo com referências a Dolf reforçando "puridade racial". Dolf é revelado em um ponto como sendo "parte melro", uma referência manhosa ao próprio Hitler mostrando-se à altura do ideal ariano. Assim como Hitler, que não era alemão, Dolf pinta seu bico amarelo de preto para se parecer com um corvo feio.
  • Winnie: Uma pata negra e namorada de Alfred. É, provavelmente, uma referência à ex-mulher do Nelson Mandela. Um episódio mostra um pato pop star afeminado que quase rouba Winnie do Alfred. Ele é baseado livremente nos famosos cantores Prince e Michael Jackson (este último acusado de abuso sexual).
  • Professor Paljas: Um acadêmico interdisciplinar. Urso polar com sotaque alemão.
  • Ollie: Amigo íntimo de Alfred. Uma cegonha que cresce para ser advogado e que, posteriormente, após a derrota de Dolf, se torna o 1º presidente democraticamente eleito do Grande Vale Aquático.
  • Pikkie: Outro parceiro de Alfred. Um pega propenso a coletar objetos brilhantes, uma característica que muitas vezes causa dramas para seus amigos.
  • Franz Ferdinando: O rei leão do Grande Vale Aquático, residência de Alfred. Seu nome é baseado na figura histórica real Francisco Ferdinando.
  • Lipsel: Uma água-viva espiã sinistra que trabalha para o prefeito da cidade. Fala com ceceio.

Episódios[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]