Ali Khamenei

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ali Khamenei
سید علی حسینی خامنه
Ali Khamenei em 2017
2.º Líder Supremo do Irã
Período 4 de junho de 1989
até atualidade
Presidente A.H. Rafsanjani (1989-1997)
M. Khatami (1997-2005)
M. Ahmadinejad (2005-2013)
H. Rohani (2013-presente)
Antecessor Ruhollah Khomeini
Sucessor -
3.º Presidente do Irã
Período 13 de outubro de 1981
até 3 de agosto de 1989
Primeiro-ministro Mohammad-Reza Mahdavi Kani (1981, interino)
Mir-Hossein Mousavi (1981-1989)
Antecessor Mohammad-Ali Rajai
Sucessor Akbar Hashemi Rafsanjani
Dados pessoais
Nome completo Ali Hosseini Khamenei
Nascimento 17 de julho de 1939 (81 anos)
Mexed, Irã
Progenitores Pai: Jawad Khamenei
Cônjuge Khojaste Khamenei (1964-presente)
Filhos 6 (Mostafa, Mojtaba, Masoud, Meysam, Hoda e Boshra)
Partido Associação dos Clérigos Combatentes
Religião Islamismo xiita
Assinatura Assinatura de Ali Khamenei

Sayyid Ali Hosseini Khamenei (em farsi: سید علی حسینی خامنه‌ای; Mexed, 19 de abril de 1939)[1][2] é um Marja' duodecimano xiita que atualmente serve como Líder Supremo do Irã, desde 1989, quando sucedeu o Aiatolá Khomeini.[3][4][5] Anteriormente, ele também foi presidente do Irã de 1981 a 1989. Khamenei é o Chefe de Estado a mais tempo no poder no Oriente Médio e o segundo líder com mais tempo na chefia do Irã no século XX, atrás apenas do Xá Mohammed Reza Pahlavi.[6]

Khamenei nasceu numa família de clérigos, em 1939, na cidade de Mexede, e desde jovem se dedicou a religião, indo estudar no Seminário de Qom. De acordo com seu site oficial, ele foi preso seis vezes por protestar contra o reinado de Mohammad Reza Pahlavi antes de ser mandado para um exílio de três anos.[7] Uma das figuras centrais da Revolução Iraniana, sofreu uma tentativa de assassinato, em junho de 1981, que deixou seu braço direito paralisado.[8]

Ali Khamenei foi um dos líderes do Irã durante a Guerra Irã-Iraque na década de 1980 e desenvolveu laços fortes com a Guarda Revolucionária, que ele controlava, e cujos comandantes são eleitos e demitidos por ele. Khamenei sempre utilizou essa Guarda para reprimir a oposição a ele.[9][10] Serviu como presidente do Irã de 1981 a 1989, se tornando um aliado próximo do líder máximo iraniano Ruhollah Khomeini. Com o passar do tempo, Khomeini foi caindo em inimizade com Hussein Ali Montazeri, seu possível herdeiro, e Akbar Hashemi Rafsanjani, um dos seus principais confidentes, afirmou que Khomeini havia decidido que Khamenei seria seu sucessor, enquanto a Assembleia dos Peritos ainda deliberava quem ia ser o próximo Líder Supremo. Após a morte de Khomeini, Ali Khamenei foi selecionado para a Assembleia para ser o novo Líder Supremo do Irã, em 4 de junho de 1989, aos 49 anos de idade.[11]

Como Líder Supremo, Khamenei é o Chefe de Estado do Irã e comandante-em-chefe de suas forças armadas. Por esta razão, ele é considerado a mais alta autoridade do país.[12][13] Na sua posição de poder, Khamenei pode decretar leis e tomar decisões finais de governo em várias questões, como economia, meio ambiente, política externa e planos nacionais.[14][15][16][17][18][19] De acordo com o analista político Karim Sadjadpour, Khamenei tem controle, direto e indireto, sobre os poderes executivo, legislativo e judicial, além das forças armadas e da mídia.[6] Todos os candidatos à Assembleia dos Peritos, a Presidência e o Majlis (Parlamento) são vetados pelo Conselho dos Guardiães, cujos membros são, direta ou indiretamente, eleitos pelo Líder Supremo.[20]

Durante o governo de Khamenei ocorreram vários protestos contra ele, como os de Qazvin em 1994,[21] protestos estudantis em 1999, protestos eleitorais em 2009[22][23][24] e anti-governo em 2011, 2012, 2017 e 2018, além de grandes greves, como em 2018 e 2019. Jornalistas, blogueiros e vários outros indivíduos foram levados a julgamento no Irã por supostamente insultar o Supremo Líder Khamenei, muita das vezes sob acusações de blasfêmia. As sentenças para isso iam desde chicotadas e prisões, a até execuções, com várias pessoas morrendo ainda sob tortura ou em custódia.[25][26] Com relação ao programa nuclear iraniano, Khamenei fez um fátua, em 2003, proibindo a produção, estocagem e uso de qualquer armas de destruição em massa, porém a comunidade internacional levanta suspeitas com relação a isso. No exterior, sua liderança é descrita como autocrática e até ditatorial.[27]

Referências

  1. «Ali Khamenei». CGIE (fa) 
  2. «taking look at the biography of Ali Khamenei». khamenei (fa). Consultado em 21 de março de 2014 
  3. «Quem é o aiatolá Ali Khamenei, o líder supremo do Irã». Nexojornal.com.br. Consultado em 24 de fevereiro de 2020 
  4. «Iran». State. 23 de julho de 2010. Consultado em 21 de agosto de 2010 
  5. «Profile: Ayatollah Seyed Ali Khamenei». BBC News. 17 de junho de 2009. Consultado em 28 de julho de 2009. Cópia arquivada em 26 de março de 2009 
  6. a b «The Supreme Leader – The Iran Primer». Consultado em 1 de julho de 2016. Cópia arquivada em 30 de junho de 2016 
  7. «Khamenei.ir». Cópia arquivada em 12 de novembro de 2013 
  8. Maziar Bahari (6 de abril de 2007). «How Khamenei Keeps Control». Newsweek. Consultado em 29 de setembro de 2010. Cópia arquivada em 25 de outubro de 2010 
  9. «Khamenei Will Be Iran's Last Supreme Leader». Newsweek. 17 de novembro de 2009. Cópia arquivada em 16 de setembro de 2017 
  10. Jamsheed K. Choksy. «Tehran Politics: Are the Mullahs Losing Their Grip?». World Affairs Journal. Cópia arquivada em 22 de julho de 2017 
  11. «انتصاب آیت‌الله خامنه‌ای به عنوان رئیس خدمه‌ی آستان قدس رضوی». farsi.khamenei.ir. khamenei.ir. Consultado em 19 de agosto de 2017. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2017 
  12. «Profile: Iran's 'unremarkable' supreme leader Khamenei». BBC News. 4 de agosto de 2011. Cópia arquivada em 18 de fevereiro de 2012 
  13. Ganji, Akbar, "The Latter-Day Sultan: Power and Politics in Iran", Foreign Affairs, 2008
  14. «Iran's Khamenei hits out at Rafsanjani in rare public rebuke». Middle East Eye. Cópia arquivada em 4 de abril de 2016 
  15. «Khamenei says Iran must go green – Al-Monitor: the Pulse of the Middle East». Al-Monitor. Consultado em 31 de março de 2016. Cópia arquivada em 22 de dezembro de 2015 
  16. Louis Charbonneau and Parisa Hafezi (16 de maio de 2014). «Exclusive: Iran pursues ballistic missile work, complicating nuclear talks». Reuters. Cópia arquivada em 31 de julho de 2017 
  17. «IranWire – Asking for a Miracle: Khamenei's Economic Plan». Cópia arquivada em 7 de março de 2016 
  18. «Khamenei outlines 14-point plan to increase population». 22 de maio de 2014. Consultado em 21 de maio de 2017. Cópia arquivada em 1 de agosto de 2017 
  19. «Iran: Executive, legislative branch officials endorse privatization plan». Cópia arquivada em 5 de janeiro de 2017 
  20. «Rafsanjani breaks taboo over selection of Iran's next supreme leader». The Guardian. Cópia arquivada em 18 de dezembro de 2016 
  21. «The Basij Mostazafan – A culture of martyrdom and death». Al Arabiya. Cópia arquivada em 7 de dezembro de 2016 
  22. «Khamenei was the victim of an attempted assassination». LinkDay. Cópia arquivada em 11 de outubro de 2016 
  23. «Police Are Said to Have Killed 10 in Iran Protests». The New York Times. 28 de dezembro de 2009. Cópia arquivada em 5 de fevereiro de 2010 
  24. «Several killed, 300 arrested in Tehran protests». Cópia arquivada em 31 de dezembro de 2009 
  25. «IRAN 2015 HUMAN RIGHTS REPORT» (PDF). Departamento de Estado dos Estados Unidos 
  26. «IRAN 2016 HUMAN RIGHTS REPORT» (PDF). Departamento de Estado dos Estados Unidos 
  27. «Portrait of Ali Khamenei - Supreme Leader in Iran». Institut Montaigne. Consultado em 24 de fevereiro de 2020 

Precedido por
Mohammad-Ali Rajai
Presidente do Irã
19811989
Sucedido por
Akbar Hashemi Rafsanjani
Precedido por
Ruhollah Khomeini
Líder Supremo do Irã
1989 – atualidade
Sucedido por

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Wikinotícias Notícias no Wikinotícias