Aliança pelo Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Aliança pelo Brasil
Aliança Pelo Brasil-logo.svg
Presidente Jair Bolsonaro[1]
Vice-presidente Flávio Bolsonaro[2]
Fundação 12 de novembro de 2019 (7 meses)
Sede Brasília, DF
Ideologia Anticomunismo[3]
Capitalismo[4]
Conservadorismo nacional[5]
Conservadorismo religioso[5]
Conservadorismo social[5]
Doutrina Social da Igreja[6]
Familialismo[5]
Militarismo[5]
Minarquismo[5]
Nacionalismo[5]
Nacionalismo católico[7]
Olavismo[8]
Populismo[9][10]
Espectro político Extrema-direita[11]
Página oficial
www.aliancapelobrasil.com.br
Política do Brasil

Partidos políticos

Eleições

A Aliança pelo Brasil (ALIANÇA)[12][13] é uma organização política brasileira que pretende se transformar em partido político. Foi anunciada por Jair Bolsonaro, em 12 de novembro de 2019, durante o exercício do mandato de presidente do Brasil, ao declarar a sua saída do Partido Social Liberal (PSL), gerando uma cisão nesse partido.[14][15][16][17][18]

Inicialmente, tendo o objetivo de coletar assinaturas digitais para a criação da legenda, os organizadores do partido em formação se frustraram com a decisão do TSE, apesar de ter autorizado o uso das assinaturas eletrônicas para a criação de partidos, o tribunal negou a possibilidade desse recurso ser utilizado no momento por falta de regulamentação.[19][20] Por esse motivo os dirigentes da futura legenda iniciaram a coleta física de assinaturas. No dia 17 de fevereiro de 2020 a tesoureira do Aliança, Karina Kufa, anunciou que o número de ficha necessárias para a criação do partido já havia sido atingido,[21][22] porém, o partido em formação esbarrou na burocracia do TSE na homologação das assinaturas, além do grande número de assinaturas invalidas. Até então, o TSE já havia recusado cerca de 14 mil assinaturas, contra 5 mil aceitas, de cerca de 90 mil que foram enviadas.[23][24] Segundo o TSE 77% das assinaturas recusadas correspondem a apoiadores filiados a algum partido político, pois não é permitido apoiar a criação de um partido estando filiado a outro, segundo as regras da legislação eleitoral.[25][26] O TSE informou ainda que 7 assinaturas das que foram analisadas levavam título de eleitor de pessoas mortas, 6 delas ocorreu por erro na digitação do titulo de eleitor e na outra o apoiador faleceu após enviar a ficha de apoiamento, segundo Flavio Bolsonaro.[27][28] Lideranças do partido declararam que o partido está "totalmente fora das eleições de 2020".[29]

O estatuto, com a formalização dos princípios e valores, juntamente com o detalhamento da estrutura organizacional, foi divulgado em 26 de novembro de 2019.[30] Tem sido identificado, pela maioria dos observadores e analistas políticos, como sendo de extrema-direita e nacionalista,[11][31][32] embora alguns de seus membros vejam a Aliança pelo Brasil como apenas um movimento conservador tradicional de direita.[33] Nas palavras de seu fundador, trata-se de um projeto de "partido conservador, que respeita todas as religiões, dá crédito aos valores familiares, defende a legítima defesa, defende a posse e o porte de arma com requisitos, o livre comércio com todo mundo, sem o viés ideológico".[34][35] José Antônio Severo, escrevendo para a coluna de Análise & Opinião, do Jornal Já, notou que o nome do partido lembra ao Arena (Aliança Renovadora Nacional), da Ditadura militar brasileira.[36]

Referências

  1. «Bolsonaro será o presidente do partido Aliança pelo Brasil; Flávio assumirá a vice-presidência». O Globo. 21 de novembro de 2019. Consultado em 15 de dezembro de 2019 
  2. «Bolsonaro será presidente do Aliança pelo Brasil, e Flávio o primeiro vice». Gazeta do Povo. Consultado em 15 de dezembro de 2019 
  3. «Novo partido de Bolsonaro defende Deus, armas e oposição ao comunismo». Correio Braziliense. 21 de novembro de 2019. Consultado em 14 de março de 2020 
  4. «Bolsonaro, a MP da Liberdade Econômica e sua conversão em lei». Gazeta do Povo. Consultado em 14 de março de 2020 
  5. a b c d e f g «Novo partido se apresenta como 'sonho de pessoas leais a Bolsonaro'». O Estado de S. Paulo. 12 de novembro de 2019. Consultado em 13 de novembro de 2019 
  6. «Candidato Jair Bolsonaro assina Termo de Compromisso com católicos». Voto Católico Brasil. 18 de outubro de 2018. Consultado em 14 de março de 2020 
  7. «Sínodo não reflete a posição de todos os católicos, diz Bolsonaro». Veja. 6 de outubro de 2019. Consultado em 14 de março de 2020 
  8. «Planalto abriga "ideólogos" do Aliança pelo Brasil». O Estado de S. Paulo. 15 de dezembro de 2019. Consultado em 14 de março de 2020 
  9. «Bolsonaro adere ao check-list populista». Valor Econômico. 26 de dezembro de 2019. Consultado em 14 de março de 2020 
  10. «Novo partido de Bolsonaro se aproxima ideologicamente de siglas conservadoras estrangeiras». Jornal O Globo. 1 de dezembro de 2019. Consultado em 14 de março de 2020 
  11. a b «Bolsonaro anuncia saída do PSL e seus planos de fundar sigla Aliança pelo Brasil». El País. 12 de novembro de 2019. Consultado em 13 de novembro de 2019 
  12. «Partidos em formação». www.tse.jus.br. Consultado em 18 de dezembro de 2019 
  13. «Estatuto Aliança Pelo Brasil» (PDF). https://www.aliancapelobrasil.com.br/. Consultado em 18 de dezembro de 2019 
  14. «Bolsonaro anuncia saída do PSL e confirma novo partido: Aliança pelo Brasil». UOL. 12 de novembro de 2019. Consultado em 12 de novembro de 2019 
  15. «Bolsonaro anuncia saída do PSL e criação do Aliança pelo Brasil». R7. 12 de novembro de 2019. Consultado em 12 de novembro de 2019 
  16. «Bolsonaro anuncia saída do PSL e criação de novo partido». G1. 12 de novembro de 2019. Consultado em 12 de novembro de 2019 
  17. «Entenda o racha entre Jair Bolsonaro e o PSL». G1. 18 de outubro de 2019. Consultado em 12 de novembro de 2019 
  18. «'Esquece o PSL, tá ok?', afirma Bolsonaro ao falar com apoiador no Palácio da Alvorada». G1. 8 de outubro de 2019. Consultado em 12 de novembro de 2019 
  19. «Com 3 dias, Aliança pelo Brasil tem 620 mil seguidores nas redes». Poder 360. 15 de novembro de 2019. Consultado em 16 de novembro de 2019 
  20. «Por 4 a 3, TSE autoriza assinatura eletrônica para criação de partido, mas ainda terá de regulamentar». G1. Consultado em 22 de dezembro de 2019 
  21. Partido de Bolsonaro, Aliança pelo Brasil alcança assinaturas necessárias. [S.l.]: UOL. Consultado em 15 de março de 2020 
  22. Líderes do Aliança pelo Brasil dizem ter as assinaturas necessárias para criar partido. [S.l.]: Correio do Estado. Consultado em 15 de março de 2020 
  23. Com mais assinaturas negadas que aprovadas, Aliança tem até apoio de eleitores mortos. [S.l.]: O Globo. Consultado em 15 de março de 2020 
  24. TSE rejeitou 11 mil adesões a sigla de Bolsonaro. 3 mil passaram. [S.l.]: Metropoles. Consultado em 15 de março de 2020 
  25. Filiação a outro partido explica 77% das assinaturas inválidas da Aliança de Bolsonaro. [S.l.]: Folha de São Paulo. Consultado em 15 de março de 2020 
  26. Fichas inaptas para criar sigla partido de Bolsonaro superam as aprovadas. [S.l.]: UOL. Consultado em 15 de março de 2020 
  27. TSE detecta assinatura de mortos em lista de apoios do Aliança pelo Brasil. [S.l.]: EXAME. Consultado em 15 de março de 2020 
  28. Flávio Bolsonaro: mortos em lista da Aliança foi “erro de preenchimento”. [S.l.]: EXAME. Consultado em 15 de março de 2020 
  29. ‘Aliança está totalmente fora das eleições municipais’, diz Bibo Nunes. [S.l.]: R7. Consultado em 15 de março de 2020 
  30. «Aliança pelo Brasil divulga estatuto do partido; leia as normas». Poder360. 26 de novembro de 2019. Consultado em 27 de novembro de 2019 
  31. Bernardo Mello Franco. «O partido do presidente». o Globo. Consultado em 16 de novembro de 2019 
  32. «O presidente e sua legenda». IstoÉ. Consultado em 16 de novembro de 2019 
  33. «"O problema não está na criação de mais partidos, mas na qualidade", diz advogada de Bolsonaro». O Antagonista. 15 de novembro de 2019. Consultado em 16 de novembro de 2019 
  34. «Número do Aliança pelo Brasil será 38, revela Bolsonaro». R7. 21 de novembro de 2019. Consultado em 22 de novembro de 2019 
  35. «Bolsonaro escolhe o número 38 para representar o Aliança pelo Brasil». Poder 360. 21 de novembro de 2019. Consultado em 22 de novembro de 2019 
  36. José Antônio Severo. «Bolsonaro funda partido e dá um salto no escuro». Jornal Já. Consultado em 29 de abril de 2020. Cópia arquivada em 30 de abril de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.