Alice Paul

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alice Paul
Nascimento 11 de janeiro de 1885
Morte 9 de julho de 1977 (92 anos)
Cidadania Estados Unidos
Alma mater Swarthmore College, Universidade da Pensilvânia, Centro de Direito da Universidade de Georgetown, Universidade Americana
Ocupação jurista, feminista, sufragette
Prêmios National Women’s Hall of Fame, Hall da Fama das Mulheres de Connecticut, Hall da Fama de New Jersey

Alice Stokes Paul (11 de janeiro de 1885 - 9 de julho de 1977) foi uma ativista americana dos direitos da mulher, sufragista e feminista, e uma das principais líderes e estrategistas da campanha pela Décima Nona Emenda à Constituição dos EUA, que proíbe a discriminação sexual no direito de votar. Paul iniciou, e junto com Lucy Burns e outras, eventos estratégicos como a Women's Suffrage Procession e as Silent Sentinels, que faziam parte da campanha de sucesso que resultou na aprovação da emenda em 1920.[1]

Treinada no ativismo britânico tendo Emmeline Pankhurst como ponto de referência, Paul vislumbrou a luta pelo sufrágio com medidas e formas radicais, longe da moderação da Associação Nacional do Sufrágio das Mulheres Americanas. Além disso, seu único objetivo era reformar a Constituição do país, em vez de realizar referendos por estado. Ela foi expulsa da associação em 1916 e fundou o Partido Nacional das Mulheres, com o qual ela continuou seu ativismo por mais de meio século. [2][3]

Paul deu grande visibilidade ao movimento quando no dia anterior à posse presidencial de Woodrow Wilson em 1913, ela organizou um desfile na Pennsylvania Avenue, que realizou reivindicações pelo voto e teve comparecimento de mais de meio milhão de pessoas. Alguns anos mais tarde, quando o Presidente Wilson se recusou a fazer a emenda à Constituição ser discutida no Congresso, Paul decidiu fazer um piquete às portas da Casa Branca, que seria repetido todos os dias até que a alteração fosse aprovada. Isto teve grande cobertura da imprensa, especialmente os atos violentos que foram registrados para as manifestantes quando o país entrou na Primeira Guerra Mundial e as ativistas continuaram com a medida. Paul e outros ativistas foram presos e mantidos em condições insalubres. Como protesto, Paul fez uma greve de fome e foi forçada a se alimentar.

Após 1920, Paul passou meio século como líder do Partido Nacional da Mulher, e lutou pela Emenda dos Direitos Iguais (Equal Rights Amendment), escrita por Paul e Crystal Eastman, para garantir a igualdade constitucional para as mulheres. Ela conquistou um grande grau de sucesso com a inclusão das mulheres como grupo protegido contra a discriminação pela Lei dos Direitos Civis de 1964.

Referências

  1. Baker, Jean H., "Placards At The White House," American Heritage, Winter 2010, Volume 59, Issue 4.
  2. Editors, History com. «Alice Paul». HISTORY (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2019 
  3. «education-resources» (em inglês). Consultado em 12 de janeiro de 2019