Alice Vieira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Alice Vieira
Alice Vieira na Feira do Livro de Lisboa de 2012
Nome completo Alice de Jesus Vieira Vassalo Pereira da Fonseca
Nascimento 20 de março de 1943 (75 anos)
Lisboa, Portugal Portugal
Residência Avenidas Novas, Lisboa
Cônjuge Mário Castrim (2 filhos)

Mário Pinto (2005-2016)

Prémios Prémio de Literatura Infantil Ano Internacional da Criança (1979)

Grande Prémio Gulbenkian de Literatura para Crianças e Jovens (1994)
Prémio Literário Maria Amália Vaz de Carvalho (2007)
Melhor livro em língua portuguesa editado no Brasil (2016)

Género literário Romance, conto
Magnum opus Este Rei que eu Escolhi

Alice de Jesus Vieira Vassalo Pereira da Fonseca Com (Lisboa, 20 de março de 1943) é uma escritora e jornalista profissional[1][2][3] portuguesa.

Biografia

Com os pais originários de uma aldeia de Lapas em Torres Novas, Alice Vieira nasceu e viveu em Lisboa[4]. Na infância, dos 4 aos 14 anos, passou os verões nas Termas de Caldelas[5]. Frequentou o Liceu D. Filipa de Lencastre. Alice Vieira licenciou-se em Filologia Germânica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

Dedicou-se desde cedo ao jornalismo, tendo trabalhado nos jornais "Diário de Lisboa" (onde, juntamente com o seu marido, o jornalista e escritor Mário Castrim, dirigiu o suplemento "Juvenil"), "Diário Popular" e "Diário de Notícias" e colaborou durante muitos anos com a revista "Activa" e o "Jornal de Notícias".

Após o início da relação com Mário Castrim, Alice mudou-se para o "Diário Popular" para evitar conflitos de interesse. Desta relação, que durou até à morte de Castrim em 2002, tiveram dois filhos: a jornalista e escritora Catarina Fonseca, e André Fonseca, professor universitário[6].

Atualmente colabora na revista "Audácia", dos Missionários Combonianos [7] e no "Jornal de Mafra" on-line.

Trabalhou em vários programas de televisão para crianças e é considerada uma das mais importantes escritoras portuguesas de literatura infanto-juvenil.

As suas obras foram traduzidas para várias línguas, como o alemão, o búlgaro, o espanhol, o galego, o catalão, o francês, o húngaro, o holandês, o russo, o italiano, o chinês, o servo-croata e o coreano[1][2][3].

A 7 de Março de 1997 foi feita Comendadora da Ordem do Mérito.[8]

Obras

(ano de lançamento - título)

Literatura infanto-juvenil

  • 1979 - Rosa, Minha Irmã Rosa--27ª ed. 2014
  • 1979 - Paulina ao Piano--5ªed. 1999
  • 1980 - Lote 12, 2º Frente--16ª ed. 2009
  • 1981 - A Espada do Rei Afonso--13ª ed. 2010
  • 1982 - Chocolate à Chuva--25ª ed. 2013
  • 1983 - Este Rei que eu Escolhi--14ª ed 2359
  • 1984 - Graças e Desgraças na Corte de El Rei Tadinho--20ªed. 2013
  • 1985 - Águas de Verão--10ª ed. 2010
  • 1986 - Flor de Mel--10ª ed. 2010
  • 1987 - Viagem à Roda do meu Nome--11ª ed. 2010
  • 1988 - Às Dez a Porta Fecha--8ª ed. 2015
  • 1990 - Úrsula, a Maior--9ªed. 2011
  • 1990 - Os Olhos de Ana Marta-- 7ª ed. 2010
  • 1991 - Promontório da Lua--6ª ed. 2009
  • 1992 - Leandro, Rei da Helíria--24ª ed. 2015
  • 1997 - Se Perguntarem por mim, Digam que Voei--7ª ed. 2010
  • 1999 - Um Fio de Fumo nos Confins do Mar--3ª ed. 2011
  • 2001 - Trisavó de pistola à cinta e outras histórias--6ª ed. 2012
  • 2005 - Livro com Cheiro a Chocolate
  • 2005 - O Casamento da Minha Mãe
  • 2006 - Livro com Cheiro a Morango
  • 2007 - Livro com Cheiro a Baunilha
  • 2007 - O meu Primeiro Álbum de Poesia
  • 2008 - A Vida nas Palavras de Inês Tavares
  • 2008 - Livro com Cheiro a Caramelo
  • 2008 - A Charada da Bicharada
  • 2009 - Contos de Grimm Para Meninos Valentes
  • 2009 - A Que Sabe Esta História?
  • 2009 - Livro com Cheiro a Canela
  • 2010 - Contos de Andersen para Crianças Sem Medo
  • 2010 - Meia Hora Para Mudar a Minha Vida-- 2ª ed. 2015
  • 2010 - Livro com Cheiro a Banana
  • 2010 - A Arca do Tesouro (com CD, música de Eurico Carrapatoso, narração de Luís Miguel Cintra e ilustrações de João Fazenda).
  • 2011 - Contos de Perrault para Crianças Aventureiras
  • 2012 - Histórias da Bíblia
  • 2012 - Expressões com HistóriaAs Mãos de Lam Seng
  • 2014 - A velha caixa; A bela moura ilustrações de João Fazenda
  • 2016 - Diário de Um Adolescente na Lisboa de 1910
  • 2018 - A Sopa da Pedra/Um Ladrão Debaixo da Cama

Colecção Macau

  • 1988 - O que Sabem os Pássaros
  • 1988 - As Árvores que Ninguém Separa
  • 1988 - Um Estranho Barulho de Asas
  • 1988 - O Tempo da Promessa
  • 1990 - Macau: da Lenda à História
  • 1991 - Corre, Corre, Cabacinha
  • 1991 - Um Ladrão debaixo da Cama
  • 1991 - Fita, Pente e Espelho
  • 1991 - A Adivinha do Rei
  • 1992 - Periquinho e Periquinha
  • 1992 - Maria das Silvas
  • 1993 - As Três Fiandeiras
  • 1993 - A Bela Moura
  • 1994 - O Pássaro Verde
  • 1994 - Eu Bem Vi Nascer o Sol

Obras para Adultos

  • 1997 - Praias de Portugal (com fotos de Maurício Abreu)
  • 1999 - Esta Lisboa (com fotos de António Pedro Ferreira)
  • 2004 - Bica Escaldada (crónicas)
  • 2006 - Pezinhos de Coentrada (crónicas)
  • 2007 - Dois Corpos Tombando na Água (poesia ) - Prémio Literário Maria Amália Vaz de Carvalho (2007)
  • 2008 - Tejo (com fotos de Neni Glock)
  • 2009 - O Que Dói às Aves (poesia )
  • 2011 - O Que se Leva Desta Vida (crónicas)
  • 2011 - Os Profetas (romance )
  • 2012 - O Mundo de Enid Blyton
  • 2012 - O Livro da Avó Alice
  • 2013 - Os Armários da Noite (poesia, finalista do Prémio PEN Clube
  • 2017 - Só Duas Coisas Que, Entre Tantas, Me Afligiram

Poesia

  • 2018 - Olha-Me Como Quem Chove

Obras em conjunto com outros escritores

  • 2005 - Novos Mistérios de Sintra (romance)
  • 2006 - O Código de Avintes (romance)
  • 2007 - Eça Agora! (romance)
  • 2009 - 13 Gotas ao deitar (romance)
  • 2010 - Chocolate — Histórias de Ler e Chorar por Mais (contos)
  • 2011 - Picante - Histórias Que Ardem na Boca (contos)
  • 2013 - A Misteriosa Mulher da Ópera (romance)[9]

Prémios

Referências

  1. a b c Alice Vieira no Netescrit@.
  2. a b c Entrevista de Alice Vieira à revista Activa em 19 de maio de 2009.
  3. a b c Biografia de Alice Vieira no site da Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Biliotecas.
  4. http://omirante.pt/entrevista/2017-03-12-Alice-Vieira-ja-fez-as-pazes-com-as-origens-ribatejanas
  5. Pereira, Pedro Antunes (12 de Agosto de 2019). «60 anos depois, Alice Vieira regressou a Caldelas». Jornal O Amarense. Consultado em 17 de Agosto de 2018 
  6. Rita Pimenta - Letra Pequena (20 de Junho de 2012). «Alice (Vieira) a falar de Mário (Castrim)». Consultado em 2 de Abril de 2018 
  7. Na revista Audácia mantém a secção A Mala de Alice.
  8. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Alice de Jesus Vieira Vassalo Pereira da Fonseca". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 24 de abril de 2016 
  9. A lista das obras tem como fonte a PORBASE, base de dados da Biblioteca Nacional de Portugal.
  10. http://www.dn.pt/artes/interior/alice-vieira-ganha-premio-no-brasil-5267648.html
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.