All Things Go

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
"All Things Go"
Canção de Nicki Minaj
do álbum The Pinkprint
Gênero(s) Hip-hop alternativo, R&B
Duração 4:53
Gravadora(s) Cash Money · Young Money
Composição Nicki Minaj · Ester Dean · Anderson Hernandez
Produção Boi-1da · Allen Ritter
Faixas de The Pinkprint
"I Lied"
(2)

"All Things Go" é uma canção da rapper estadunidense Nicki Minaj, gravada para o seu terceiro álbum de estúdio, The Pinkprint.

Antecedentes e lançamento[editar | editar código-fonte]

Depois de lançar seu segundo álbum de estúdio Pink Friday: Roman Reloaded, em abril de 2012,[1] Minaj entrou no indústria de varejo com o lançamento de suas fragrâncias Pink Friday e Minajesty e uma introdução da linha de roupas exclusiva das lojas Kmart, denominada Nicki Minaj Collection.[2][3] Em novembro daquele ano, ela também relançou o Pink Friday: Roman Reloaded em uma versão expandida, com o subtítulo The Re-Up; Minaj comentou que "no que diz respeito a produção [do álbum], eu gosto do caminho que o The Re-Up seguiu" e "eu quero continuar por esse caminho e adicionar mais coisas nele musicalmente".[4]

Em 30 de novembro de 2014, o site Amazon francês divulgou a tracklist oficial do projeto The Pinkprint[5], que 2 dias depois, Nicki Minaj lançou a pré-venda do álbum com a faixa "All Things Go" junto[6], que fala sobre sua vida.

Composição[editar | editar código-fonte]

"All Things Go" tem uma duração de quatro minutos e cinquenta e três segundos[7], que apresenta o gênero de hip-hop alternativo.

Em letras, a música é um relato sóbrio de uma ampla gama de desafios pessoais o rapper tem enfrentado em sua vida, a partir de relações tensas com sua família para o assassinato de seu primo, Nicholas Telemaque, em julho de 2011.[8] Minaj abre a canção com uma reflexão sobre a fama e a velocidade com que a vida se move para a frente. "A vida é um filme", ela canta. No terceiro verso, Minaj aborda a maternidade - tanto a sua relação com a mãe ("Eu daria tudo se de alguma forma eu poderia apenas reacender isso") e a percepção de que seu próprio filho poderia ter sido um adolescente agora. Na sua canção de 2008, "Autobiography", Minaj se refere ao que soa como um aborto, rap, "Por favor, perdoe-me o bebê, a mamãe era jovem[9]".

Performances[editar | editar código-fonte]

Minaj realizou a música, no dia 06 de dezembro de 2014 no Saturday Night Live, com o apresentador James Franco. Esta foi sua segunda aparição como convidada musical no programa.[10][11]

Referências

  1. «iTunes - Music - Pink Friday ... Roman Reloaded (Deluxe Edition) by Nicki Minaj». iTunes Store (EUA) (em inglês). Apple Inc. 3 de abril de 2012. Consultado em 13 de abril de 2013 
  2. «Nicki Minaj Unveils 'Minajesty' Fragrance Ad». Rap-Up. 12 de agosto de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2014 
  3. «Nicki Minaj Launches Clothing Line at Kmart». Rap-Up (em inglês). 16 de outubro de 2013. Consultado em 17 de fevereiro de 2014 
  4. Arielle Loren (30 de novembro de 2012). «Nicki Minaj Says Third Album Will Be an Extension of The Re-Up». BET. Viacom. Consultado em 17 de fevereiro de 2014 
  5. Faia, Amanda (1 de dezembro de 2014). «Nicki Minaj: site Amazon vaza tracklist do disco "The PinkPrint"». Portal POPLine. Consultado em 3 de dezembro de 2014 
  6. Berman, Eliza. «Listen to "All Things Go," an Emotional Track from Nicki Minaj's The Pinkprint». TIME 
  7. «The Pinkprint (Deluxe) by Nicki Minaj». iTunes Store. Apple. 2 de dezembro de 2014. Consultado em 3 de dezembro de 2014 
  8. «Nicholas Telemaque, 27, shot to death on Brooklyn street after leaving a nightclub». Daily News. 4 de julho de 2011. Consultado em 4 de dezembro de 2014 
  9. Faia, Amanda (1 de dezembro de 2014). «Nicki Minaj: site Amazon vaza tracklist do disco "The PinkPrint"». Portal POPLine. Consultado em 3 de dezembro de 2014 
  10. «Nicki Minaj Drops Emotional New Song "All Things Go" Ahead Of 'The Pinkprint' Release [LISTEN]». Music Times. 3 de dezembro de 2014. Consultado em 4 de dezembro de 2014 
  11. «Foto de nickiminaj». Instagram. 3 de dezembro de 2014. Consultado em 4 de dezembro de 2014